Ateliês Contemporâneos de Gravura para seguir nas redes sociais

Trago a público uma matéria sobre ateliês contemporâneos para seguir nas redes sociais. É um levantamento que abrange boa parte dos países do mundo feito com atenção para o leitor do site Gravura Contemporânea. No conteúdo que segue o leitor poderá ter uma dimensão do panorama das artes gráficas em boa parte do mundo. Neste primeiro momento evidenciei países da América Latina, Central e do Norte e países Europeus, focalizando a atividade gráfica e projetos coletivos ou de instituições de ateliês de Gravura no Brasil, Uruguai, Argentina, Peru, Cuba, Guatemala, Nicaraguá, México, EUA, Portugal, Espanha, França, Itália e Inglaterra. São 139 ateliês para você seguir nas redes sociais, pesquisar e agendar sua visita ou mesmo uma residência. Ainda assim, há mais e mais ateliês para descobrir e seguir, assunto que tratarei em matérias futuras. Neste momento perceberão que não vinculei países como Alemanha, Canadá, África do Sul, Egito, Marrocos, Turquia, China, Rússia, Irã e Austrália entre outros que ficarão para um próximo estudo que estou realizando.

Caros amigos leitores, acessem o conteúdo, sigam os ateliês de Gravura e mergulhem no Universo Gráfico. Fiquem a vontade para me seguir nas redes sociais e postar suas indicações de ateliês e lojas de materiais artísticos aqui na matéria

Brasil

Galeria de Gravura

Nosso estúdio é um espaço de produção de gravura. O estúdio fica localizado em Florianópolis e conta com equipamentos de última geração para produção de gravuras na técnica de serigrafia. O estúdio é aberto ao público e fica disponível gratuitamente para produções de obras de arte. Toda estrutura é custeada pela Galeria de Gravura.

oficina_gratuita_serigrafia_galeria_de_gravura

 

Lira Nordestina – (Juazeiro do Norte – Cariri).

A Lira Nordestina, antiga Tipografia São Francisco, localizada em Juazeiro do Norte – CE é um dos espaços mais antigos e famosos do Brasil em termos de produção de cordel e xilogravura. Entre os anos de 1932 e 1982, a Tipografia São Francisco com o nome de “Folhetaria Silva”, funcionou em Juazeiro do Norte como uma editora de cordel, tendo à frente José Bernardo da Silva, que em 1939 mudou o nome para Tipografia São Francisco.

Em 1949, José Bernardo adquire os direitos autorais de João Martins de Athayde, tornando-se a editora mais importante do Brasil. José Bernardo também incentivou a ilustração das capas de cordel com xilogravura, de custo mais baixo que os clichês de metal. Na década de 1950, devido a uma série de fatores econômicos e políticos, há uma forte diminuição da produção de cordéis.

Na década de 1970 com o falecimento de filhos, da esposa e do próprio José Bernardo, ficou à frente da Tipografia sua filha Maria de Jesus da Silva Diniz. Em 1980, a Tipografia passa a denominar-se Lira Nordestina, por sugestão de Patativa do Assaré, um dos maiores poetas do Ceará.

Com a crise cada vez mais forte, Maria de Jesus vende a Lira Nordestina em 1982 ao Estado do Ceará que, em 1988 passa a fazer parte do patrimônio da Universidade Regional do Cariri – URCA.

http://www.urca.br/liranordestina/

 

Graphias Casa da Gravura é um atelier-galeria com acervo e espaço expositivo. Foi criada em 2003 por Mauro Vaz e Salete Mulin.

graphias_atelie_galeria_de_gravura

Trago a público uma matéria sobre ateliês contemporâneos para seguir nas redes sociais. É um levantamento que abrange boa parte dos países do mundo feito com atenção para o leitor do site Gravura Contemporânea. No conteúdo que segue o leitor poderá ter uma dimensão do panorama das artes gráficas em boa parte do mundo. Neste primeiro momento evidenciei países da América Latina, Central e do Norte e países Europeus, focalizando a atividade gráfica e projetos coletivos ou de instituições de ateliês de Gravura no Brasil, Uruguai, Argentina, Peru, Cuba, Guatemala, Nicaraguá, México, EUA, Portugal, Espanha, França, Itália e Inglaterra. São 139 ateliês para você seguir nas redes sociais, pesquisar e agendar sua visita ou mesmo uma residência. Ainda assim, há mais e mais ateliês para descobrir e seguir, assunto que tratarei em matérias futuras. Neste momento perceberão que não vinculei países como Alemanha, Canadá, África do Sul, Egito, Marrocos, Turquia, China, Rússia, Irã e Austrália entre outros que ficarão para um próximo estudo que estou realizando.

Caros amigos leitores, acessem o conteúdo, sigam os ateliês de Gravura e mergulhem no Universo Gráfico. Fiquem a vontade para me seguir nas redes sociais e postar suas indicações de ateliês e lojas de materiais artísticos aqui na matéria.

 

Ateliê Piratininga (São Paulo/SP)

atelie_piratininga_galeria_de_gravura

O Piratininga é um Atelier Coletivo de Gravura gerido por artistas com o propósito de compartilhar espaço de trabalho, informação, ideias, projetos artísticos e educativos. Valoriza a produção artística individual e acredita no desenvolvimento humano através da Arte.

Desde sua fundação em 1993, organiza e participa de várias exposições no Brasil e no exterior, encontros com artistas, cursos, workshops, projetos de intercâmbio, simpósios, palestras e publicações, envolvendo inúmeros parceiros e colaboradores. Além disso, abriga dezenas de artistas que desenvolvem projetos de curta ou longa duração em seu espaço, através do programa de Residência Artística.

Em 2016, o Atelier convida novos artistas e parceiros que estiveram próximos nestes últimos anos para se integrarem ao grupo, que ficou responsável por manter a tradição de mais de 20 anos de Gravura no PIRA.

O Atelier Piratininga está localizado no bairro da Vila Madalena em São Paulo, conhecido por abrigar diversos locais e propostas ligadas as artes, cultura e entretenimento.

https://atelierpiratininga.com/

Graphias (São Paulo/SP)

Salete Mulin, artista plástica formada pela FAAP, mestre pela UNESP e professora na Faculdade Santa Marcelina, coordena os trabalhos desenvolvidos no Atelier.

Mauro Vaz, engenheiro formado pela INATEL, administra o Acervo e Espaço Expositivo da Graphias.

Estabelecida em um sobrado na Vila Mariana, a Graphias mantém a originalidade de sua construção por estar próximo ao Instituto Biológico, preservado pelo Patrimônio Público.

http://www.graphias.com.br/novo/

https://www.facebook.com/graphiasgravura/

 

Atelier do Centro (São Paulo/SP) 

Ensino de Arte

Conheça nossos cursos de arte expandida dentro do méthodo de Rubens Espírito Santo

“[…] Somos onze sentados em volta de uma mesa, onze peças, onze figuras, onze milagres latentes, onze pequenas partículas de Deus sentados em volta de uma mesa: cada fala, cada pergunta, colocação, gesto, suspiro, resistência, cada olhar desviado se torna material para a condução dessa jornada acerca disso mesmo que acredito querer ser implicado – é como se a coisa estivesse nos provocando constantemente para ser implicada de volta, e nós buscamos artifícios de todos os tipos […]”

Retirado do texto “Abertura para uma nova concepção dos procedimentos pedagógicos de RES – Depois do curso do Méthodo” de 01/03/2017 por Anna Irael

http://www.atelierdocentro.com.br/

http://valongo.atelierdocentro.com.br/o-atelier/

 

Gravurar (Santos/SP)

Quer nos conhecer? Ligue: 13 981416395

GRAVURAR – Ateliê de Artes gráficas em Santos.

O Gravurar é um espaço de produção, formação e difusão de arte e cultura, indissociavelmente articuladas, nossa missão é fomentar a arte, ampliando a bagagem cultural do público e incentivando talentos individuais.

Para alcançar esses objetivos o Gravurar oferece cursos contínuos e oficinas, grupo de estudo, palestras, mostras e diversas atividades culturais.

Como o nome indica, o espaço é voltado para a prática da gravura, desenho e afins e é aberto a todas as pessoas que tenham interesse em arte. O espaço localizado na região histórica de Santos se constitui de um ateliê para a prática de gravura em côncavo e relevo no térreo e espaço expositivo, para palestras e cursos no primeiro andar.

Fundado pela artista e arte educadora Márcia Santtos, o espaço possui o compromisso de fornecer capacitação artística de qualidade.

https://www.facebook.com/gravurar/

https://www.instagram.com/https://www.instagram.com/gravurar/

https://sites.google.com/site/marciasanttos/

https://www.facebook.com/marcia.santtos.7

Artista orientadora: Márcia Santtos.

CURRÍCULO:

Márcia Santtos é Mestre em Artes Visuais pelo Instituto das Artes da UNESP, arte educadora e artista plástica.

Fundou e coordenou de 2006 a 2013 o Grupo de Gravura Mariana Quito da Secult de Santos, foi artista residente do Estúdio Valongo e idealizou e organizou a I Bienal Internacional de gravura Santos 2011. É professora universitária em diversas instituições da baixada santista.

Fundou o Gravurar – espaço gráfico, onde ministra cursos e se dedicado à sua produção com pesquisa na área de gravura sobre materiais não convencionais. Publicou alguns resultados destas pesquisas em sua dissertação de mestrado e em 2010 recebeu o convite de ministrar na PUC – Lima no Peru um workshop sobre essa pesquisa.

Como Artista Plástica participou de exposições por todo o Brasil e exterior. Realizou diversas mostras individuais como em 1999 no Museu da Gravura Brasileira em Bagé no Rio grande do Sul e recebeu diversos prêmios, sendo o mais recente na 5ª Bienal nacional de gravura Olho Latino – Atibaia – SP – Brasil.

 

Fossil Graff (São Paulo/SP)

 

 

fosseis_fecundos_galeria_de_gravura

Professor e jornalista (arqueólogo ou cenógrafo?) O autor efetua em geral o registro fotográfico dos objetos ao se dirigir para seu local de trabalho, ontem e hoje, como na Escola de Música do Sesi Leopoldina, Centro Cultural Fiesp, Rádio USP, Escola da Prefeitura etc. As joias da coroa são os Sítios Arqueológicos Vila Fátima, no quadrilátero que compreende as ruas Maria de F. Kida, Duque de Caxias, Ibiraiaras e Vacaria, em Guarulhos e Mário de Andrade, localizado no cruzamento da Av. São Luís e Rua da Consolação, no centro de SP.

https://www.instagram.com/nomesocial/

https://www.facebook.com/FossilGraff

https://fosseis-fecundos.webnode.com/

https://fosseis-fecundos.webnode.com/meu-trabalho/

 

Ateliê Santos (Santos/SP)

Sobre a artista

Trabalha e vive como artista plástico em Santos e São Paulo. Mestre em poéticas visuais pela ECA – USP sob orientação de Claúdio Mubarac, é membro fundador da Associação Cultural Jatobá – AJA e do Ateliê Espaço Coringa, que entre 1998 e 2009 produziu ações coletivas como: exposições, publicações, vídeos, aulas, intercâmbios e residências artísticas. Participou de diversas exposições coletivas: Trilhas do Desejo – Rumos Itaú Cultural, X Bienal de Santos (1° prêmio), Novas Gravuras – Cité Internationale des Arts /Paris –FR e Arte Contemporânea no Acervo Municipal – Centro Cultural S. Paulo. Participou do Encontro Panamericano de Xilogravura em Trois Riviérès no Canadá e do programa de residência como artista convidado no Atelier Engramme na cidade do Québec. Realizou exposições individuais na Estação Pinacoteca – SP e no CCSP, integra os acervos públicos da Pinacoteca Municipal e do Estado de SP, Casa do Olhar – Sto André e da Secretaria Municipal de Cultura de Santos. Implantou um ateliê no bairro do Valongo, no centro histórico da cidade de Santos, onde desenvolve seu trabalho poético. Desde 2008, coordena o Ateliê de Artes no Instituto Acaia na Vila Leopoldina em São Paulo.

ateliesantos@gmail.com

www.ateliesantos.blogspot.com

www.fabriciolopez.com

 

Atelier de Gravura Paulo Menten (Londrina/PR)

 laboratorio_das_artes_galeria_de_gravura 

Sobre o Atelier.

O Atelier de Gravuras de Paulo Menten é uma instituição não formal, que funciona por iniciativa privada da família do artista Paulo Menten, falecido em 2011 deixou como seu legado o acervo com obras e equipamentos voltados aos estudos de artes em geral e especialização em gravura. Hoje coordenado pelo seu neto Raphael Soares Menten, procura manter como missão preservar a memória e acervo deixado pelo artista, com ações como palestras, minicursos, exposições e ações pedagógicas com intuito de ensinar e difundir o ensino da gravura levando aos mais diversos públicos.

Sobre o artista.

Paulo Menten nasceu em São Paulo em 17 de junho de 1927. De 1949 a 1951 fez curso livre de desenho no Museu de Arte de São Paulo e em 1960 fez curso de xilogravura com Lívio Abramo no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Em 1958 ganhou seu primeiro prêmio no Primeiro Salão Bancário de Arte com Menção Honrosa em pintura e primeiro prêmio em desenho. Em 1969 ganhou o Prêmio Aquisitivo “Itamaraty” na 10ª Bienal Internacional de São Paulo.

Participou de inúmeros salões e exposições em todo Brasil tendo sido premiado em praticamente todos eles.

Possui obras no Museu de Arte Moderna de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Fairleigh University Printcol em New York, Coleção de Gravuras da Biblioteca Lenin de Moscou, na Embaixada do Brasil em Israel, entre outros, além de coleções particulares.

Nos anos 1970, coordenou um atelier de gravuraem São Caetano do Sul. Em 1980 mudou-se para Londrina, onde lecionou na Universidade Estadual de Londrina e realizou diversos cursos de gravura.

Em 2005 publicou o livro de poesias “Diário de Bordo Inseguro”. Doou seu acervo pessoal para a formação do Museu de Gravura em Cornélio Procópio (PR). Faleceu no dia 28 de maio de 2011, com 83 anos.

http://www.laboratoriodasartes.com.br/paulomenten.html

https://prosas.com.br/empreendedores/10408-atelier-de-gravura-paulo-menten

 

Atelier Valparaiso (Londrina/PR)

 atelie_valparaiso_galeria_de_gravura 

O Atelier Valparaíso surgiu da vontade dos artistas KBelmar e Carolina Sobreira, em 2015, de difundir a gravura em Londrina e levar a técnicas gráficas para diversos locais e públicos. Em 2017 o atelier junta forças com Raphael Menten, do atelier Paulo Menten, com quem elaboram trabalhos, projetos, como a Mostra Latino-americana de gravura e ações educativas.

Além dos trabalhos dos artistas Belmar, Sobreira e Menten, o atelier leva a feiras e promove o trabalho do artista paulistano Lucas SB.

Atualmente o espaço físico do ateliê não se encontra aberto para visitas, mas a equipe envolvida participa de oficinas, eventos, feiras e cursos em outros locais.

https://www.facebook.com/atelievalpo/

https://www.instagram.com/atelievalpo/

https://atelievalpo.wixsite.com/gravura

 

Xilomóvel (Campinas/SP)

 

 

xilomovel_galeria_de_gravura

O Xilomóvel é um ateliê itinerante equipado com todo o material necessário para a prática da xilogravura.

https://www.facebook.com/xilomovel/

http://xilomovel.com.br/

https://www.instagram.com/xilomovel/?hl=pt-br

http://xilomovel.blogspot.com/2013/11/

https://www.youtube.com/watch?v=St5Qy-zGPdk

 

HF – Atelier de Gravura

 hf_atelier_de_gravura_galeria_de_gravura 

Espaço de pesquisas e projetos em gravura em metal, cologravura, monotipia, xilogravura e mokulito. São Paulo Brasil

https://deskgram.org/hfatelierdegravura

 

Ateliê de Gravura UFPEL (Pelotas/RS)

 ufpe_atelie_de_gravura 

O Laboratório de Gravura do Centro de Artes da UFPel é um espaço onde se realizam atividades de ensino e de pesquisa relacionadas às artes gráficas, pelo viés dos processos tradicionais de impressão, como a xilogravura, a gravura em metal, a litografia, etc. Dentre as atividades de ensino desenvolvidas no laboratório estão as disciplinas de Introdução à Gravura, Ateliê de Gravura I, II e III e projetos de ensino como o Ensinar e aprender no atelier de gravura da UFPel. Projetos de extensão como o Corredor Impressa, e projetos de pesquisa como o Arte e Natureza: proliferações acontecem também nos espaços do atelier.

https://wp.ufpel.edu.br/nulab/atelie-de-gravura/

 

Atelier Aquaforte

 Biografia

O Aquaforte Atelier nasceu em janeiro de 2010 da associação dos artistas Guyer Salles, responsável pela orientação artística do atelier, Angelita Cardoso e César Nogueira. Em 2011 uniu-se ao grupo o artista Christian Von Ameln.

O atelier abriga artistas com formações e visões variadas, cujo denominador comum é a paixão pela gravura em metal. As técnicas empregadas são as mais diversas, tanto tradicionais como experimentais.

O nome Aquaforte é referência a uma das técnicas mais usadas na gravura, o banho ácido que permite transformar a chapa de metal em uma matriz de ideias. Um meio democrático, universal, que aceita manifestações diversas, gravando em cada chapa o resultado da habilidade de cada artista.

https://www.facebook.com/AtelierAquaforte/

aquaforte.br@gmail.com

https://angelitacardoso.com/

 

Ateliê Ponto (São Paulo/SP)

A proposta do ateliê Ponto é a de promover discussões sobre a prática artística contemporânea; seu fazer, sua importância e seu lugar junto ao público.

Marisa Hypolito

atelieponto@hotmail.com

http://pontoateliearte.blogspot.com/

https://www.facebook.com/ponto.atelie/

https://www.facebook.com/marisa.hypolito

 

Atelier Paulista (São Paulo)

 atelier_paulista_galeria_de_gravura 

História

Tudo começou com um telefonema do León Ferrari dizendo que havia um espaço disponível ao lado do seu. Assim foi criado o Atelier Paulista em 1980, pelas artistas Branca de Oliveira e Marilu Beer, como um centro independente de estudos e produção em arte. Seu objetivo é fomentar projetos artísticos em gravura, desenho, pintura e múltimeios. Visa também à reflexão sobre metodologias e procedimentos específicos empreendidos em sua realização. Procura ainda desenvolver recursos de metalinguagem e sistematização adequados às formas de apresentação e documentação de pesquisa em arte.

Com esses propósitos, promove atividades múlti e interdisciplinares: pesquisa, experimentações artísticas, residências, oficinas, cursos, palestras e encontros entre expoentes de diversos campos culturais (audiovisual, performance, música, literatura, filosofia, etc.).

Com foco na exploração criativa das potencialidades da imagem, o Atelier Paulista oferece consultoria, assessoria e assistência técnica em projetos que abrangem desde procedimentos artesanais até processamentos digitais de produção e multiplicação de imagens. Como estratégia para alcançar os objetivos propostos, mantém um núcleo multidisciplinar de pesquisadores, cujas singularidades refletem a multiplicidade artística contemporânea.

http://www.atelierpaulista.com/

https://www.facebook.com/atelierpaulista/

 

AAPLAJ

Associação de Artistas Plásticos de Joinville. End: R. XV de Novembro, nº 1383, Galpão 13, Cidadela Cultural Antártica, América, Joinville/SC, CEP 89201602

https://www.facebook.com/aaplaj/

 

Coletivo de Gravura do CIC, (Centro Integrado de Cultura), Florianópolis/SC.

 

Responsável pela formação de várias gerações de gravadores catarinenses, o pioneiro ateliê de gravura do Centro Integrado de Cultura (CIC), em torno do qual gravita um grupo de xilogravurista, mantem suas atividades a mais de 30 anos. As oficinas na cidade de Florianópolis/SC, começaram no final dos anos 70, com Onor Filomeno e Jayro Schmidt. Eles passaram o bastão para Carlos Roberto, o Bebeto, que desde 1984 dá aulas gratuitas na instituição. Assim que o CIC foi aberto, a primeira oficina foi a de gravuras – xilogravura, litogravura (técnica em pedra) e gravura em metal.

Bebeto, é o mestre gravador de maior reconhecimento no estado por sua atuação à frente do atelier de gravura do CIC. Com formação em desenho arquitetônico, aproximou-se dessa linguagem por um amigo e começou como aluno de Filomeno.

O grupo de gravura reúne artistas que trabalham com a arte da gravura há mais de 30 anos com outros gravadores iniciantes, que há apenas pouco mais de um ano se iniciaram nessa arte. No dizer de Jayro Schmidt, artista plástico, professor de pintura e de história da arte nas Oficinas de Arte do CIC, o Grupo de Gravura “reúne gravadores, desde os mais experientes, que aliam excelência técnica com linguagem pessoal, como os demais gravadores, que gradualmente descobrem os segredos dos materiais e dos instrumentos, as técnicas propriamente ditas, o que exige a espontânea relação de intuição e intelecto”. A trajetória de alguns integrantes desse grupo e a atuação nas oficinas de gravura do CIC denota uma experiência, em termos de coletividade, incomum no cenário artístico nacional, destaca o professor.

Professor/artista:

Carlos Roberto Nascimento de Oliveira (Bebeto),

https://www.facebook.com/oficinadegravura/

http://gravuraflorianopolis.blogspot.com.br/2010_08_01_archive.html

 

Museu da Gravura Cidade de Curitiba – Solar do Barão

 solar_do_barao_galeria_de_gravura 

Ateliês e Coletivos de Gravura no Solar do Barão.

Na passagem de 1980 a 1981, o ateliê de gravura do Centro de Criatividade foi transferido para a recém-inaugurada Casa da Gravura. Com essa transferência, o Solar do Barão assumiu as funções do Centro e se tornou o principal pólo de produção e ensino da gravura em Curitiba. Nesse processo, contudo, não apenas um conjunto de prensas e pedras mudou de endereço, como o próprio staff de orientadores e frequentadores acompanhou a mudança, levando consigo um certo entendimento de gravura e de arte. O próprio Fernando Calderari, por exemplo, consolidou sua influência local e logo assumiu a primeira coordenação da Casa da Gravura, trazendo consigo suas alunas do Centro de Criatividade Rosane Schlögel e Uiara Bartira, que juntas passaram a orientar os ateliês de litografia e gravura em metal, respectivamente. Abertos em março de 1981, os dois ateliês seriam dali em diante o carro-chefe da Casa, centralizando a produção de gravura e atendendo a demanda do público interessado.

 

Museu da Gravura Cidade de Curitiba

Inaugurado em 1989, o Museu da Gravura é um local de tradicionais exposições temporárias de grandes artistas nacionais e estrangeiros que se destacam nas mais diversas expressões da técnica de gravura. Com cinco mil obras disponíveis, o acervo apresenta ao público criações de renomados artistas como Picasso, Louise Bourgeois, Joel Shapiro, Brice Marden, Andy Warhol, Kiki Smith, Isabel Pons, Oswaldo Goeldi, Valtércio Caldas, Calasans Neto, Amilcar de Castro, Cildo Meireles, Antonio Dias, Anna Bella Geiger, Tomie Otake, Daniel Senise, Mira Schendel, Luiz Carlos de Andrade Lima, Poty Lazzarotto, Uiara Bartira, Denise Roman, entre outros.

Loja da Gravura

Oriunda da antiga Casa Gilda Belczak, a Loja da Gravura oferece um espaço para comercialização e exposição de gravuras, além de promover a ampliação e o intercâmbio entre artistas paranaenses e nacionais.

http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/espacos-culturais/solar-do-barao/

http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/espacos-culturais/loja-da-gravura/

https://www.facebook.com/Solar-Do-Bar%C3%A3o-174949279229903/

museudagravura@fcc.curitiba.pr.gov.br

 

Núcleo de Gravura de Porto Alegre.

 

O Núcleo foi fundado em 8 de outubro de 1984 no Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre. É uma Associação de Artistas Gravadores que atuam de forma independente, desenvolvendo as técnicas gráficas como: Xilogravura, Linóleogravura, Calcografia que também é chamada Gravura em Metal, Litografia, Serigrafia, Gravura Digital.

Tem como finalidade congregar e estimular os gravadores a participar em atividades culturais como Exposições, Encontros, Feiras de Gravura, e Intercâmbios no Brasil e no Exterior, como já houve com a França, a Alemanha, Estados Unidos, Peru, Colombia e Uruguay.

Para a criação do Núcleo de Gravura do Rio Grande do Sul, constata-se que as reuniões se iniciaram no Atelier Livre da Prefeitura. Foi lá que Anico Herskovitz, Maristela Salvatori e Glaé Eva Macalós elaboraram o Estatuto que, posteriormente, foi aprovado em reunião geral. A primeira diretoria executiva foi composta por Suzana Sommer, Maristela Salvatori. Jair da Silva Dias, Silvia Cestari Cunha e Glaé Eva Macalós e o primeiro Conselho Fiscal por Marta Loguércio, Ondina Pozoco e Ricardo Campos. Do Atelier Livre da Prefeitura, o Núcleo de Gravura passa para o antigo Hotel Magestic, hoje Casa de Cultura Mário Quintana, reunindo-se depois no MAM. Finalmente, contando com a adesão de todos os grupos então atuantes e aberto a todos os artistas gravadores, é inaugurada a sede do Núcleo de Gravura, no Museu do Trabalho.

https://nucleodegravurars.wordpress.com/

https://www.facebook.com/nucleodegravuradors

 

Gráfica Lenta

grafica_lenta_galeria_de_gravura

“A prensa é inimiga da perfeição”

Esse é o lema da Gráfica Lenta, que surgiu por iniciativa do artista Maurício Castro, em abril de 2014. A Gráfica Lenta além de produzir gravuras, tem um posicionamento político e social, que presa por uma desaceleração. Um respeito ao nosso tempo. Um tempo de criação mais lento. Mais humano.

A ideia, o desenho. O corte do linóleo. A escolha das cores. Mãos sujas tinta e atenção: Cuidado com o papel! É preciso posicioná-lo bem na prensa. Lá vai a gravura ganhando vida. São transformações graduais de uma única arte em muitas, cada qual com suas combinações de cores e impressões.

Entre árvores, gatos e goivas, tintas, papéis e prensa: um mundo colorido! Este é o ambiente de trabalho da Gráfica Lenta. Muitos artistas ocupam o quintal da Maumau, nosso espaço de convergência artística, numa intensa produção de gravuras.

Um encontro entre artistas, com traços e experiências diversas, acontece semanalmente.  O que acaba por gerar uma troca de conhecimento e técnica de forma natural e fluida.

Estes encontros são abertos ao público, e tem por intuito estimular a produção de gravuras. Aqui não há formato certo. Às vezes, o erro é bem vindo! Tudo é naturalmente “deformado”. Tudo é mutável.

Por ter um caráter expansivo, a Gráfica Lenta foi agregando mais e mais artistas! Uns passam, outros ficam e assim vamos procriando.

A prole só aumenta! Prevalece o bom senso e a harmonia criada por nós, artistas.

http://www.maumaugaleria.com/home/casa-2/grafica-lenta/

http://www.lojinhagraficalenta.iluria.com/

https://facienda.com.br/tag/lojinha-grafica-lenta/

 

Xicra

 xicra_galeria_de_gravura 

Pensando a gravura a partir do conceito de campo ampliado, o Grupo XICRA vem desenvolvendo seu processo de pesquisa desde a gravura tradicional de capa de cordel até sua inserção na arte urbana através do lambe-lambe e da possibilidade de diálogo com outras linguagens.

Sempre acreditando no intercâmbio e percebendo que através da troca de experiências com outros artistas possam surgir novas possibilidades de discutir e fazer arte, o grupo participou de uma conexão gráfica em 2011 com gravuristas de Oaxaca, Berlim e São Paulo.

Em 2012 através do Projeto O Fio da Xilo com apoio da FUNARTE, projeto que tem como objetivo o incentivo à produção xilográfica de jovens caririenses, surgiu entre muitas experiências interessantes, o contato com a gravadora argentina Julieta Warman e o Coletivo MUXICA – Mulheres Xilógrafas do Cariri, artistas que vem pesquisando e atuando junto do Grupo XICRA desde então.

É importante pensar nesta presença feminina no campo da xilogravura nordestina e no incentivo a permanência, campo este com predominância masculina. Acreditamos que esta permanência é alimentada através da inserção de sua produção no circuito de arte.

https://xicra.wordpress.com/

Atelier do Porto

atelier_do_porto_galeria_de_gravura

O Atelier do Porto é um coletivo de artistas estabelecido no centro histórico da cidade de Belém, que se destaca por sua atuação no campo das artes visuais com acento na produção e na difusão da gravura produzida no estado do Pará. Contudo, a pesquisa de criação do grupo que responde pelo espaço não se limita a uma modalidade técnica, seu campo de interesse envolve outras linguagens, como a escultura, a pintura e a vídeo-arte, por exemplo.

Diante da necessidade de pensar a produção artística contemporânea no contexto local, o grupo constituído por Armando Sobral e Elaine Arruda decidiu ampliar suas atividades visando a consolidação de um projeto que possa reunir produção e mercado. O primeiro passo foi criar um espaço para a comercialização das obras de diversos artistas e abrir o atelier  para visitação como estratégia de difundir o conhecimento da arte, iniciativa considerada fundamental para estimular um ambiente propício ao estabelecimento de um circuito independente na cidade.

http://atelierdoporto.blogspot.com.br/

https://www.facebook.com/atelierdoportobelem

http://www.flickr.com/photos/atelierdoporto

atelierdoporto@gmail.com

 

Laboratório das Artes

O Laboratório das Artes de Franca – Lab surgiu em 1982, iniciativa de um grupo de artistas e produtores culturais da cidade, como um projeto coletivo de produção e integração das mais diversas manifestações culturais e artísticas locais. Em 1983, por iniciativa do arquiteto Mauro Ferreira, foi construído um prédio para sediar as atividades do grupo, que se manteve ativo até 1987. Agora, o mesmo arquiteto e a artista plástica Atalie Rodrigues Alves reativaram o espaço e suas atividades, porém voltados para as artes visuais, a arquitetura e o patrimônio cultural.

O Lab pretende se firmar como um pólo de referência cultural na cidade, realizando atividades diversificadas no campo das artes visuais, da arquitetura e do patrimônio cultural de Franca e região e constituindo e promovendo a divulgação de um significativo acervo das artes visuais modernas.

O Lab possui espaço de exposição e sala para oficinas culturais, nos quais abriga mostras de arte, cursos de difusão e formação, debates, seminários, desenvolvimento de pesquisas e atividades de arte-educação.

http://www.laboratoriodasartes.com.br/

http://www.laboratoriodasartes.com.br/ogura.html

laboratoriodasartes@yahoo.com.br

 

Clubes de colecionadores – MAM São Paulo

 mam_clube_de_fotografia_e_gravura_galeria_de_gravura 

Os clubes de colecionadores foram criados para fomentar o colecionismo e incentivar a produção artística brasileira. A associação a cada clube é anual e dá direito a cinco obras comissionadas pelo MAM para cada edição. As obras selecionadas por curadores renomados nas áreas de gravura e fotografia são produzidas em tiragens de 100 exemplares e entregues aos sócios dos clubes com certificado de autenticidade. Provas de artista de cada obra são incorporadas à coleção do museu.

Para saber mais acesse:

http://mam.org.br/faca-parte/clube-de-colecionadores/clube-de-fotografia/

 

Museu Lasar Segall

Após o retorno de Paris Lasar Segall fixou residência na Rua Afonso Celso, local em que está instalado o Museu Lasar Segall. O projeto é do arquiteto Gregori Warchavchik, seu concunhado, que construiu ao lado da casa o ateliê do artista.

Lasar Segall trabalhou intensamente nesse espaço até a sua morte em 1957, deixando grande legado para a cultura brasileira. Já nesse momento o artista idealizou a Escola de Arte Lasar Segall, que não se concretizou. No entanto, esse desejo de criar um espaço aberto de formação se realiza em 1976 com um programa desenvolvido pelo Museu.

Nessa fase, o ateliê iniciou suas atividades como um espaço de criação livre, apresentando uma proposta pautada por certas características básicas, como o caráter aberto de atividade permanente, sem exigências de conhecimentos prévios e na livre expressão de seus participantes. Até 1989 funcionou com oficinas de pintura, desenho, gravura, escultura e cursos de iniciação e workshops sobre arte e cultura.

A partir de 1989, o ateliê passa a centrar suas atividades na área da gravura.

Atualmente o ateliê oferece ao público cursos e oficinas de xilogravura, litografia e gravura em metal. Também é um espaço dedicado ao desenvolvimento e orientação de projetos individuais.

http://www.mls.gov.br/

www.facebook.com/pages/Museu-Lasar-Segall

 

Centro Cultural São Paulo

centro_cultural_de_sao_paulo_galeria_de_gravura

Espaços educativos

A Ação Cultural do CCSP atua em todo o prédio, mas oferece alguns espaços específicos para usos de formação e práticas artísticas. A Sala da Ação Cultural ou Sala de Vidro fica em frente à Sala Adoniran Barbosa e está completamente conectada ao fluxo do prédio; enquanto a Leon Hirszman é localizada no Piso Caio Graco e se integra às mostras em cartaz. Há também espaços de ateliês abertos que recebem o público em horários específicos, para práticas gráficas e fotográficas artesanais e experiências em áudio – Folhetaria, Laboratório de fotografia e Estúdio de rádio.

Outros espaços educativos são geridos a partir de parcerias com coletivos da cidade e outras áreas da Prefeitura. A Oficina Mão na roda, que funciona logo na entrada da rampa do metrô, é conduzida pela Ciclocidade. A Horta Comunitária, localizada no Jardim Suspenso (lado 23 de Maio), é cultivada pelo Coletivo da Horta, que convida todos os frequentadores do CCSP para participar de mutirões. O Fab Lab Livre SP é uma iniciativa em parceria com a Secretaria Municipal de Serviços e Obras, que funciona no Piso 23 de Maio, bem ao lado da Folhetaria, compondo um espaço de convivência e práticas culturais.

http://centrocultural.sp.gov.br/site/

www.facebook.com/CentroCulturalSaoPaulo/

 

Escola de Artes Visuais do Parque Lage

escola_de_artes_visuais_do_parque_large_galeria_de_gravura

MISSÃO E PLANO

Para corresponder ao desafio de pensar criticamente o lugar ocupado pela EAV no cenário cultural e artístico local, nacional e internacional e propor pontos de orientação que permitam o seu desenvolvimento, foi constituído um grupo de trabalho integrado por profissionais com atuações diversas no campo da arte. Após análise do levantamento histórico e diagnóstico das atividades, o grupo elaborou diretrizes e sugeriu indicações para um Plano Diretor.

O Plano Diretor define:

A Escola de Artes Visuais do Parque Lage está voltada prioritariamente para o campo das artes visuais contemporâneas, com ênfase em seus aspectos interdisciplinares e transversais. Abrange também outros campos de expressão artística contemporânea (música, dança, cinema, teatro), assim como literária (literatura, poesia), vistos em suas relações com a visualidade. As atividades da EAV contemplam tanto as práticas artísticas como seus fundamentos conceituais.

A EAV configura-se como centro educacional aberto de formação de artistas e profissionais do campo da arte contemporânea; como polo cultural voltado para a formação de público a partir da realização de exposições e eventos; e como núcleo de documentação, compreendendo uma biblioteca e seu arquivo de documentos históricos sobre arte e artistas. Como referência nacional, com uma consistente imagem no meio da arte, a EAV busca criar mecanismos internos e linhas de atuação externa que permitam um diálogo produtivo com a cidade e com o circuito de arte nacional e internacional.

EVANY CARDOSO – OFICINA DE SERIGRAFIA NÃO FOTOGRÁFICA

O objetivo especifico da oficina é transmitir um conhecimento da serigrafia, através de vários tipos de máscaras: de papéis, espontâneas, de goma arábica, de grafite, possibilitando impressões sobre diversos suportes.

JOÃO ATANÁSIO – GRAVURA: TEORIA, PRÁTICA E EXPERIMENTAÇÃO Incentivar os alunos a explorar os limites das técnicas da gravura, em especial gravura em metal, buscando novos recursos gráficos a fim de obter resultados plásticos, objetivando ajudá-los a refletir sobre o seu processo de trabalho e desenvolvimento de um projetográfico.

JÚLIO CASTRO – XILOGRAVURA E CONEXÕES

O curso objetiva capacitar prática e teoricamente o desenvolvimento da xilogravura como linguagem no âmbito da arte contemporânea. A partir de uma abordagem histórica da xilogravura no decorrer dos diversos movimentos artísticos e do conhecimento dos instrumentos de gravação, suportes e meios de impressão, os participantes serão estimulados a produzir e a refletir coletivamente sobre os desafios que os recursos da xilogravura suscitam, associando a procedimentos da gravura como um todo e seus desdobramentos tais como a monotipia, o stencil e a imagem digital.

http://eavparquelage.rj.gov.br/

www.facebook.com/parquelage/

 

Tipografia Experimental –  Theobaldo de Nigris Escola Senai

 

Sobre a Escola

O Centro Tecnológico composto pelas Escolas SENAI “Theobaldo De Nigris”, “Felício Lanzara” e pela “Faculdade SENAI de Tecnologia Gráfica” ocupa 16.000 m2 de área construída e é o único no mundo a cobrir todas as etapas da cadeia de produção gráfica, desde a fabricação da celulose até o acabamento e a restauração de documentos em papel.

www.facebook.com/senaigrafica/

grafica.sp.senai.br/curso/79848/114/tipografia-experimental

 

Argentina

Raro Buenos Aires – Madrid.

esraro_galeria_de_gravura

 

R.A.R.O. es un programa  de residencias creado con el fin de generar espacios de intercambio, creación y difusión. Introduce un formato que tiene la particularidad de ser itinerante, recibe artistas, curadores, y gestores extranjeros y de las provincias argentinas para que desarrollen sus proyectos en los diferentes Ateliers R.A.R.O. de la ciudad de Buenos Aires, y paralelamente genera charlas, encuentros, visitas y muestras que complementan cada proyecto.

https://www.esraro.com/

https://www.facebook.com/raro.colectivo/

https://www.instagram.com/raro_mad/

https://www.esraro.com/home-bsas-esp

 

Magma Estúdio Litográfico

magma_lotografia_galeria_de_gravura

MAGMA es un espacio dedicado a la producción, enseñanza y difusión de la litografía en Argentina, dirigido por el impresor Matías Amici, ubicado en la Ciudad de Buenos Aires.

En MAGMA los artistas desarrollan sus proyectos trabajando estrechamente en colaboración con un impresor, lo que promueve el intercambio y la experimentación. El impresor es el responsable del proceso de estampación, permitiendo al artista focalizar en los aspectos creativos de su proyecto.

Cada litografía es un original dado que el artista participó directamente en la creación de cada imagen y aprobó todas las impresiones del conjunto de la edición. Cada edición es impresa artesanalmente, cuidadosamente curada y documentada.

El estudio está equipado para la producción y edición de litografía sobre piedra, sobre plancha de aluminio y fotolitografía, la cual permite la incorporación de la fotografía y la imagen digital.

Desde el año 2008 el impresor Matías Amici colabora en la edición de obra gráfica de numerosos artistas argentinos. Ha colaborado en proyectos de artistas de Estados Unidos, Canadá, Grecia, Brasil y Uruguay.

En 2011 Matías Amici asistió a Tamarind Institute y realizó un entrenamiento intensivo en la técnica de la litografía. Tamarind Institute es un centro de producción y formación en litografía, donde se entrena a impresores de todo el mundo. Es allí donde incorporó el concepto de collaborative printmaking (gráfica colaborativa) que actualmente lleva a la práctica en MAGMA. Collaborative printmaking es la acción en la que un artista y un impresor se unen para trabajar juntos. Cada uno es experto en su campo y se unen para realizar un producto que es mayor a la suma de las partes implicadas. La colaboración permite al artista enfocarse totalmente en el proceso creativo mientras el impresor se ocupa de que sea técnicamente posible.

Actualmente MAGMA continúa con su contribución al crecimiento de la litografía en Argentina brindando su experiencia profesional y ofreciendo un espacio ideal para aquellos artistas que deseen trabajar en equipo en un ámbito de concentración y colaboración.

http://magmalitografia.blogspot.com/

https://www.facebook.com/pages/Magma-Estudio-Litogr%C3%A1fico/274804295886284

https://www.matiasamici.blogspot.com/

 

Uruguai

Club de Grabado de Montevideo | Prueba de Artista

Quem somos

Esta página pertence a Montevidéu Gravura Coletiva, um grupo formado por ex-membros de diferentes idades e gerações, o extinto Clube Gravura Montevidéu. *

Gravura Coletiva Montevidéu tem dois objectivos complementares: em primeiro lugar, para organizar e oficinas de apoio e atividades educativas e de experimentação, e em segundo lugar colaborar na investigação e divulgação da gravura e sua história. Este blog vai, então, contribuir tanto para o resgate da memória (especialmente referindo-se ao Clube de Gravura de Montevidéu), como registrado no relatório sobre o Uruguai.

Como parte de sua formação e experimentação, o Collective of Engraving Montevidéu promover a realização de exposições e workshops com artistas e professores uruguaios residentes no país e no exterior e buscar estabelecer e desenvolver contactos com escritores estrangeiros, especialmente dos países vizinhos.

Ao apoiar a memória tarefa de recuperação e do património da gravura nacional, gravura obras colectivas em Montevidéu tornando arquivos e bancos de dados digitais, a fim de facilitar a implementação de projetos de pesquisa, apresentação e publicação.

https://pruebadeartista.wordpress.com/category/club-de-grabado-de-montevideo/

www.facebook.com/pruebadeartistagrabado/

 

Grabado – Taller Arteclub

arte_club_galeria_de_gravura

O que é Arteclub?

Arteclub é uma instituição – formada por um grupo de artistas uruguaios de reconhecida trajetória – dedicada ao ensino e difusão de artes plásticas e visuais em Montevidéu. Ele iniciou suas atividades em 1991 após a fusão de duas oficinas de aquarela e pintura a óleo para acrescentar, não apenas outras técnicas de artes plásticas, mas também cursos de artes digitais e literárias ao longo do tempo.

http://www.tallerarteclub.com.uy/grabado.html

https://www.facebook.com/TallerArteClub/

 

Caja Baja

loja_baja_galeria_de_gravura
“Eu sou o exército de chumbo que conquista o mundo: EU SOU O TIPO!” Frederic W. Goudy Caja Baja é um projeto de resgate e disseminação da antiga técnica de composição e impressão tipográfica, onde é feita uma tentativa de reavivar o espírito e a beleza do antigo comércio gráfico.

https://www.cajabaja.com.uy/taller-de-grabado-en-linoleo/

https://www.facebook.com/cajabajauruguay/

 

Taller Grabados

idea_mas_galeria_de_gravura

A Feira do Livro e a Gravura, criada e recriada ano após ano pela Sra. Nancy Bacelo, foi, sem dúvida, uma referência cultural de Montevidéu por 50 anos. Para os artistas, editores e artesãos o espaço da Feira sempre foi muito especial e o sentimento de pertencimento é comum a todos que fazem parte desse grupo.

Em reconhecimento a essa trajetória, os participantes da Feira levantamos a possibilidade de iniciar um projeto, talvez com outras características, que garanta a permanência daquele lugar como espaço cultural que hoje pertence a todos, cineastas e público. Este desafio foi assumido por mais de uma centena de artesãos, artistas e editores, formando um projeto de autogestão cujo caráter formal é o de uma associação civil sem fins lucrativos.

Acreditamos na importância de trazer a arte para as pessoas e nada melhor para isso do que os espaços públicos, a livre circulação, onde o custo de uma entrada não é um impedimento à participação e ao prazer.

Nosso objetivo é manter um espaço cultural como tal e para que isso não diminua em direção a uma proposta puramente comercial, buscamos um espetáculo artístico de qualidade, onde todos os participantes estejam comprometidos na busca da excelência. Do planejamento urbano e estética do lugar aos produtos oferecidos, estarão de acordo com os critérios que hoje nos unem: manter o espírito da Feira e a qualidade do conteúdo cultural. Se somarmos a importância da chamada, o encontro entre os diferentes expositores e a ligação entre eles e seu público, poderemos dar forma a este desafio.

Para nós, a cultura não é apenas “o resgate contínuo de nossas raízes mais genuínas”, é tudo gerado pela sociedade, no dia a dia, e é do contemporâneo onde essa nova produção é criada.

Finalmente, levando em conta essa soma de aspectos que definem o que queremos de diferentes ideias que estavam surgindo em muitos dias de trabalho, decidimos nomear este projeto: IDEAS +.

(Associação Civil Pza.Florencio Sánchez)

https://www.ideasmas.com/taller-grabados/

https://www.facebook.com/tallergrabados

 

Taller Barradas

taller_barradas_galeria_de_gravura

Depois de um encerramento infeliz do Clube de Grabado de Montevidéu, uma instituição que trabalhou incansavelmente durante anos na disseminação da gravura no Uruguai, um grupo de seus fundadores e seguidores iniciou uma árdua tarefa de recuperar a memória dele e por que não no futuro gerador de novas atividades.

Este grupo está integrado aos mais importantes registradores do Uruguai, residentes no Uruguai e outros estabelecidos no exterior.

É nossa intenção informar nossos amigos sobre o desenvolvimento desta iniciativa.

https://www.tallerbarradas.org.uy/index.php/noticias-news/125-como-el-ave-fenix-club-de-grabado-renace

https://www.facebook.com/Taller-Barradas-Arte-Y-Educaci%C3%B3n-905559739518796/

 

Peru

Taller Lluvia De Sol
O Taller Lluvia De Sol dedica-se à reciclagem de papel de forma artesanal, sem qualquer tipo de produtos químicos, utilizando apenas água e papel. Os papéis são usados ​​para a preparação de cadernos, calendários, diretórios, partes do casamento, etc, os desenhos que são usados ​​são feitos em xilogravura assim, em todos os artigos feitos, arte e artesanato são misturados. Também fabricamos papel de fibra de algodão e amora para fins artísticos, como xilogravuras.

El Taller Lluvia de Sol se dedica a reciclar papel de manera artesanal sin ningun tipo de quimicos, usando solo agua y papel. Los papeles son usados para la confeccion de cuadernos, calendarios, directorios, partes de matrimonio etc, los diseños que se usan estan hechos en xilografia asi, en todos los articulos confeccionados se mezcla el arte y la artesania .

Tambien hacemos papel de fibra de algodon y morera para fines artisticos como xilografias.

http://perupymes.com/taller-lluvia-de-sol

 

Membrana ediciones

membrana_edicione_galeria_de_gravura

Somos um coletivo editorial gráfico formado por quatro artistas plásticos gerados pelos quais se faz a impressão artesanal. Através da simbiose entre as técnicas tradicionais com os novos meios eletrogêneos, procuramos gerar novas linguagens gráficas cuidadosamente fecundadas e observadas ao microscópio.

Nossa missão como parte de um micro-organismo é ser aquela camada seletiva que permite que a célula se diferencie do meio ambiente. Somos aquela pele permeável e flexível que procura estimular o feedback entre diferentes linguagens e conteúdos plásticos. A membrana permite a reprodução de conteúdo em formas um tanto extintas no meio gerando sua continuidade. Acreditamos que os processos de criação e alquimia devem ser misturados no laboratório para permitir um jogo contínuo que origina trabalhos únicos, cópias únicas.

Somos un colectivo editorial gráfico conformado por cuatro artistas plásticos engendrados por el que hacer de la imprenta artesanal. Por medio de la simbiosis entre técnicas tradicionales con los nuevos medios electro-gráficos, buscamos generar nuevos lenguajes gráficos fecundados cuidadosamente y observados bajo el microscopio.

Nuestra misión como parte de un microorganismo es ser esa capa selectiva que permite a la célula diferenciarse del medio.  Somos esa piel permeable y flexible que busca estimular la retroalimentación entre distintos lenguajes  plásticos y contenidos. La membrana permite la reproducción de contenidos en formas un tanto extintas en el medio  generando su continuidad. Creemos que los procesos de creación y la alquimia deben mezclarse  en el laboratorio para permitir un juego continuo que origina obras únicas, copias únicas.

https://www.facebook.com/membranaediciones/

http://membranaediciones.tumblr.com/

 

Pucara Bulls
Pucara Bulls, loja de arte utilitária e design do autor. Espaço alternativo onde atividades relacionadas às artes, oficinas, exposições.

Pucara Bulls, tienda de arte utilitario y de diseño de autor. Espacio alternativo donde se desarrollan actividades vinculadas a las artes, talleres, expos.

https://www.facebook.com/pucarabulls/

https://www.amazon.com/Zoeartcrafts-Pucara-Bulls/dp/B07BFK18MD

http://www.pucarabulls.com/

 

Taller Kimkilen Kimkilen

https://www.facebook.com/tallerkimkilen.kimkilen

 

Liceo Manuel Barros Borgoño

http://www.lmbb.cl/

https://www.facebook.com/pages/Liceo-Manuel-Barros-Borgo%C3%B1o/114726908544197

 

Atelier Kapuli

https://www.facebook.com/atelierkapuli

 

Taller de Arte Llavenelojo

https://www.facebook.com/LLavenelojo/?rc=p

Sobre: Taller de Serigrafía Artística, dedicado al Diseño, Impresión y Edición de Obra Gráfica Peruana contemporánea.

Produtos

-Asesoría Artística para realización de proyectos Serigráficos.

-Diseño Digital

-Realización de Artes y Fotolitos

-Edición de Carpetas Artísticas Individuales o colectivas

-Impresión sobre diversos soportes.

-Serigrafía Publicitaria Institucional

-Talleres Formativos y clases personalizadas.

 

El Calaverón / Taller

https://www.facebook.com/ElCalaveronTaller/

http://www.elcalaveron.com/

 

Cuba

Taller de Serigrafia René Portocarrero
O Taller de Serigrafía René Portocarrero favorece jovens artistas de Cuba e lhes dá a oportunidade de expor seus trabalhos ao público. Aqui, você pode encontrar muitas impressões e pinturas. Os preços variam de 30 a 150 pesos. Uma característica importante da galeria é que você pode assistir as pinturas sendo criadas na frente de seus olhos.

franciscobernal@mac.com

www.facebook.com/tallerreneportocarrero/

 

Taller experimental de Grafica

taller_experimental_de_grafica_galeria_de_gravura

A Gravura em Cuba remonta ao século 18 com a ilustração de santos e escudos, enriquecida no século 19, com vinhetas de engenhos de açúcar e costumes locais, álbuns de viajantes, e os curativos em charutos. Em 1959, a gravura tornou-se um assunto no sistema de educação artística, tornando-se uma especialidade independente. Em julho de 1962, o ateliê experimental de gravura na Plaza de la Catedral foi fundado pelo artista cubano Orlando Suárez e pelo pintor chileno José Venturelli usando pedras de impressão antigas e maquinário que havia sido usado para decorações de charutos. Desde o seu início, o workshop centrou-se exclusivamente em projetos artísticos e foi aberto aos mais importantes cineastas cubanos, que realizaram um trabalho intensivo de criação e experimentação, um fator crucial no impulso experimentado pela arte da gravura no presente. A pequena Galería del Grabado no andar de cima vende estampas excelentes e não turísticas, incluindo gravuras, litografias, xilogravuras e collagraphs. O workshop também oferece cursos sobre litografia tradicional (usando pedra), xilogravuras e gravuras (usando metal). Cursos para estrangeiros são altamente recomendados e incluem instrução individual por professores altamente especializados e todos os suprimentos. Espere pagar cerca de US $ 250 por um curso de um mês e menos por períodos mais curtos.

http://www.lahabana.com/guide/taller-experimental-de-grafica-de-la-habana/

https://www.facebook.com/www.perezpaula.cult.cu/

tgrafica@cubarte.cult.cu

http://www.montalvan-estudio.com

 

Guatemala

Taller Experimental de Gráfica de Guatemala TEGG

Associação que e promove artistas gráficos e arte na Guatemala.

http://tegguatemala.blogspot.com/

https://www.facebook.com/tallerexperimentaldegraficadeguatemala/

https://www.instagram.com/explore/locations/1018961408/taller-experimental-de-grafica-guatemala-tegg

tallerexperimental@hotmail.com

https://vimeo.com/230394543

https://www.instagram.com/tallerexperimentaldegrafica/?fbclid=IwAR3H50Rb0KbHdgjmy9amgTV3i6BdDG7e1pMlk-Mb6N5kxO2RWQoFnRUzxK8

 

Nicarágua

La Calaca Press International Print Exchange

calaca_press_international_galeria_de_gravura

La Calaca Press é um projeto de gravura criado com o objetivo de promover a gravura e criar conexão com artistas / gravadores em todo o mundo.

Visualizar meu perfil completo

Artista: Carlos Barberena DelaRocha

http://calacapressinternationalprintexchange.blogspot.com/

https://www.facebook.com/calacapress/

http://www.lacalacapress.com/

 

México

Gabinete Gráfico

gabinete_grafico_galeria_de_gravura
Nascido em agosto de 2011 para a necessidade de criar um espaço autossustentável de forma independente, que promove a abordagem divulgação e gráfica para crianças, jovens, produtores e criadores com e sem caminho através da criação de projetos, realização de workshops e exposição de trabalhos gráficos. A razão é obter um feedback dos diferentes processos de estampagem e discursos visuais que a linguagem gráfica fornece, destacando a xilogravura; porque esta técnica responde a duas palavras; honestidade e naturalidade ao que o homem pode esperar a partir do gráfico, é um protesto claro para artes gráficas contemporâneas com suas texturas decorativas constantes e excessivos, como a xilogravura está presente no México desde antes do século XIX e apesar de ser ameaçado sua extinção se reinventa e se recusa a ser destruída. O objetivo atual da oficina é tornar-se uma reunião espaço dinâmico e disseminação, onde convergem as várias propostas que são gerados na paisagem atual do gráfico no México, também gabinete gráfico é um espaço que pode promover e apresentar o cenário atual e nosso contexto social, não só a decoração e exigindo uma parte da sociedade, no final o que você quer enfatizar é que, em uma seção de papel, você pode começar a gerar posições configuração de instantâneo e ideias.

Nace en Agosto del 2011 ante la necesidad de crear un espacio independiente- autosustentable, el cual propicie la difusión y el acercamiento de la gráfica a niños, jóvenes, productores y creadores con y sin trayectoria mediante la creación de proyectos, impartición de talleres y la exhibición de obra gráfica. El motivo es lograr una retroalimentación de los distintos procesos de estampación y discursos visuales que el lenguaje grafico proporcione destacando a la xilografía; pues esta técnica responde a dos palabras; honestidad y naturalidad a lo que el hombre puede esperar de la grafica, es una clara protesta a las artes graficas contemporáneas con sus constantes y excesivas texturas decorativas, pues la xilografía ha estado presente en México desde antes del siglo XIX y a pesar de ser amenazada para su extinción se reinventa y se resiste a ser destruida.

El objetivo actual del taller es que se convierta en un espacio dinámico de encuentro y difusión donde converjan las distintas propuestas que se generan en el panorama actual de la gráfica en México, también que gabinete grafico sea un espacio que pueda promover y exhibir el panorama actual y social de nuestro contexto, y no solo lo decorativo y demandante por una parte de la sociedad, al final lo que se quiere destacar es que en un tramo de papel, puede llegar a generarse una configuración instantánea de posiciones e ideas.

https://gabinetegrafico.wordpress.com/

https://www.instagram.com/explore/tags/gabinetegrafico/

https://pt-br.facebook.com/gabinete.grafico

 

Hoja Suelta

https://www.instagram.com/graficahojasuelta/

https://www.facebook.com/hoja.suelta.12

 

Gráfica Mala Vida

https://www.facebook.com/grafica.y.fuego

https://www.instagram.com/graficamala.vida/

 

La Maquina Francisco Limon

https://www.facebook.com/francisco.limon.3192

 

Yaguart/Taller-Galeria

https://www.facebook.com/yaguart.taller/

https://www.instagram.com/explore/tags/yaguart/

 

Grafica Chacala

grafica_chacala_galeria_de_gravura

Gráfica Chacala, ofrece la enseñanza de diferentes tecnicas de la gráfica tradicional y contemporánea, de manera individual y grupal :  Punta seca, mezzotinta ó manera negra, colografía, transfer, electrólisis. En general grabado menos tóxico. Estamos ubicados a solo unos pasos del Oceano Pácifico en Chacala Nayarit

además contamos con el servicio de edición para artistas asi como tambien la creación de matrices en cualquiera de las tecnicas que manejamos.

 

O gráfico Chacala oferece o ensino de diferentes técnicas de gráficos tradicionais e contemporâneos, individualmente e em grupos: ponto seco, mezzotint ou black way, colografia, transferência, eletrólise. Em geral, menos tóxico. Estamos localizados a poucos passos do OCEANO PACÍFICO em Chacala Nayarit

Temos também o serviço de edição de artistas, bem como a criação de matrizes em qualquer uma das técnicas que tratamos.

https://www.facebook.com/grafica.chacala

http://d2714myl.wixsite.com/graficachacala

 

TEGA y Taller Colectivo de Xilografía y Lino Grabado

tega.jimdosite.com

www.facebook.com/TEGA-Taller-experimental-de-gráfica-Actual-191188781794979/

 

 

Taller de Grafica Experimental “El Merequetengue”

http://picdeer.com/tgemerequetengue

www.facebook.com/tallerdegraficaexperimentalmexicana/

tallermerequetengue@gmail.com

 

Taller De Gráfica Artística Aguamanta
Escola Superior de Gráfica Artística Administrada por Raul Mora y Aurora Roldán

aguamanta@gmail.com

www.facebook.com/Taller-De-Gráfica-Artística-Aguamanta-188721121184745/

 

Taller de Gráfica “Enrique Flores” – Oaxaca – México

enrique_flores_galeria_de_gravura

A oficina gráfica “Enrique Flores” é uma oficina dedicada às artes plásticas e especialmente à gravura em metal, madeira e litografia.

Este workshop foi fundado em 1988 pelo professor Enrique Flores para a produção do seu trabalho pessoal, à medida que o tempo passou a oficina cresceu e agora abre suas portas para artistas profissionais para a realização de suas edições, jovens estudantes de artes plásticas, jovens da comunidade e todas as pessoas interessadas nas artes plásticas.

Os serviços oferecidos na oficina são:

Damos cursos individuais ou em grupo nas diferentes técnicas do gráfico.

Demonstrações sobre o processo de trabalho e impressão.

Aluguel de espaço para artistas profissionais.

Edições para artistas profissionais.

Venda de trabalho gráfico.

www.facebook.com/Taller-de-Gráfica-Enrique-Flores-423302894396120/

http://enriqueflores-grafica.blogspot.com/

https://www.facebook.com/enrique.floresgonzalez.1

 

Taller de Gráfica Experimental de Oaxaca

Estêncil gráfico vinculativo galeria de arte loja de café litografia pintura em aquarela pintura instalação do templo objeto de arte encadernada.

www.facebook.com/graficaexperimentaldeoaxaca/

www.facebook.com/guillermopachecoartistavisual

 

Taller Grabarte

https://www.facebook.com/taller.grabarte

 

Taller Fátima Conesa

https://www.facebook.com/profile.php?id=100010374968955

 

EUA

Tamarind Institute

tamarind
O QUE É O INSTITUTO TAMARIND? O INSTITUTO TAMARIND É UM CENTRO NÃO LUCRATIVO DEDICADO A PROJETOS DE PESQUISA, EDUCAÇÃO E ARTÍSTICA EM LITOGRAFIA DE ARTE FINAL. O Instituto Tamarind, uma divisão da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Novo México, é um centro sem fins lucrativos de litografia de arte que treina mestres em impressoras e abriga um estúdio de colaboração profissional para artistas. Fundada em 1960 em Los Angeles, Tamarind é reconhecida internacionalmente por suas contribuições para o crescimento da gravura contemporânea em todo o mundo e continua a fornecer treinamento profissional e oportunidades criativas para artistas.

WHAT IS TAMARIND INSTITUTE?

TAMARIND INSTITUTE IS A NON-PROFIT CENTER DEDICATED TO RESEARCH, EDUCATION, AND ARTISTIC PROJECTS IN FINE ART LITHOGRAPHY.

Tamarind Institute, a division of the College of Fine Arts at the University of New Mexico, is a nonprofit center for fine art lithography that trains master printers and houses a professional collaborative studio for artists. Founded in 1960 in Los Angeles, Tamarind is recognized internationally for its contributions to the growth of contemporary printmaking around the world and continues to provide professional training and creative opportunities for artists.

http://tamarind.unm.edu/

https://www.facebook.com/TamarindInstitute/

 

Atelier 17

atelier_contrepoint_galeria_de_gravura
O Atelier 17 foi fundado em 1927 por Stanley William Hayter. Originalmente localizado na rue Moulin Vert, o nome do ateliê foi derivado de sua localização posterior em 17 rue Campagne Premiere, Paris, onde Hayter se estabeleceu no início da década de 1930. O ateliê é mais conhecido pelos muitos artistas célebres que trabalharam lá e foram encorajados pela insistência de Hayter de que a gravura não precisa ser simplesmente um método de reprodução, mas sim uma forma de criação artística. Os artistas do ateliê trabalhavam diretamente no prato e buscavam constantemente novas experiências e técnicas.
Em 1939, o Atelier 17 suspendeu suas atividades em Paris e mudou-se para Nova York em 1940. Ali, tornou-se um importante ponto de encontro de artistas europeus e americanos. Em 1950, o Atelier 17 foi reestabelecido em Paris. Após a morte de Hayter, em 1988, o ateliê, em homenagem ao seu fundador, foi renomeado como “Atelier Contrepoint”.

Atelier 17 was founded in 1927 by Stanley William Hayter. Originally located in rue Moulin Vert, the atelier’s name was derived from its later location at 17 rue Campagne Premiere, Paris, where Hayter settled in the beginning of the 1930’s. The atelier is best known for the many celebrated artists who worked there and were encouraged by Hayter’s insistence that printmaking need not be simply a method of reproduction but rather was a form of artistic creation. The artists of the atelier often worked directly on the plate and were constantly seeking new experiences and techniques.

In 1939 Atelier 17 suspended its activities in Paris and moved to New York in 1940. There it became an important meeting place for both European and American artists. In 1950 Atelier 17 was reestablished in Paris. Upon Hayter’s death in 1988 the atelier, in tribute to its founder, was renamed “Atelier Contrepoint.”

http://www.ateliercontrepoint.com/17index.html

http://www.ateliercontrepoint.com/index.html

https://www.youtube.com/watch?v=uGBbFtw8uc8

 

Southern Graphics Council (SGC)

sgc_international_galeria_de_gravura
A missão desta organização será promover a posição profissional das pessoas envolvidas na produção de gravuras e desenhos originais e estimular a apreciação e interesse do público pelas artes da gravura, desenho e outras mídias gráficas através do intercâmbio de informações profissionais entre artistas e outros. envolveu essas artes; através da organização, exibição e circulação de exposições de gravuras e desenhos por membros e outros artistas para serem mostrados em instituições educacionais e instituições que promovam as artes, para fins de estudo, pesquisa, desfrute e o avanço dessas artes; através de prêmios concedidos a esses merecedores de reconhecimento especial nessas artes; e através de publicações para informar os membros e outros sobre atividades e outras informações consideradas apropriadas para os propósitos acima mencionados.

The mission of this organization shall be to advance the professional standing of persons engaged in making original prints and drawings and to stimulate public appreciation and interest in the arts of printmaking, drawing, and other graphic media through the exchange of professional information among artists and others involved these arts; through the organization, display and circulation of exhibitions of prints and drawings by members and other artists to be shown in educational institutions and institutions which further the arts, for the purposes of study, research, enjoyment, and the advancement of these arts; through awards given to these deserving special recognition in these arts; and through publications to inform members and others of activities and other information deemed appropriate to the aforesaid purposes.

https://www.sgcinternational.org/

 

The Boston Printmakers

the_boston_pritmakers_galeria_de_gravura

An International Association Of Artists
A Boston Printmakers foi fundada por um pequeno grupo de estudantes seniores e professores da Boston Museum School e da Massachusetts College of Art. Eles realizaram sua primeira reunião na Galeria Wiggin, na Biblioteca Pública de Boston, no outono de 1947. Seu anfitrião nessa primeira reunião foi o falecido Arthur Heintzelman, um ilustre artista e o Guardião das Impressões da Biblioteca. Também compareceram Ture Bengtz, chefe do departamento de artes gráficas da Escola de Museus, e Otis Philbrick, chefe do departamento de pintura e de gráficos da Faculdade de Arte de Massachusetts. Os dois homens continuaram a guiar os impressores de Boston até a morte em 1973. Na primavera seguinte, o grupo montou seu primeiro show, realizado no quarto andar da loja de móveis Paine. Os visitantes precisavam acampar em uma pista de obstáculos de camas, sofás, escritórios e outros móveis domésticos. A gama completa de gravura contemporânea foi representada – gravuras e drypoints, cortes de lino, gravuras, litografias, xilogravuras, gravuras de madeira, e até mesmo a serigrafia recentemente popular. A estréia foi um sucesso impressionante, tanto que no ano seguinte as Printmakers representaram não apenas artistas locais, mas expositores de outras partes dos Estados Unidos, além de Inglaterra e Canadá. Obras de artesãos conservadores como Samuel Chamberlain e John Taylor Arms, encontraram-se na companhia da atual vanguarda, levando um crítico a observar: “Os Boston Printmakers mostraram uma verdadeira democracia em sua latitude e o que parece ser a liberdade de preferência de favoritismo por extremo ou prática. ” Esta tradição persiste. A exposição nacional da Bienal está aberta a todos. A mídia varia de imagens tradicionais a digitais, monotipos e impressões experimentais de mídia mista. As muitas mudanças estimulantes na gravura nos últimos cinquenta anos estão amplamente representadas. A Bienal de Imprensa da América do Norte é um dos eventos de maior prestígio na gravura. De 1954 a 1969, a exposição foi realizada no Museu de Belas Artes de Boston. Outros anfitriões incluíram a Hayden Gallery no MIT, o Rose Art Museum, o Duxbury Art Complex Museum, o Fitchburg Art Museum, o Danforth Museum, a Boston University, o Art Institute of Boston e o DeCordova Museum. A Boston Printmakers atrai seus membros de todas as partes dos Estados Unidos, Canadá e México. A associação é feita por júri duas vezes por ano para qualquer artista que viva ou trabalhe na América do Norte, por favor veja a página de associação.

https://www.bostonprintmakers.org/resources/links/

 

Anderson Ranch Art Center, CO

anderson_ranch-art_center_galeria_de_gravura

Nossa história

Uma arte original desde 1966

“É um centro, não uma escola. Somos diferentes. ”- Paul Soldner, fundador do Anderson Ranch Arts Center

No início…

Foi a visão do proeminente ceramista raku americano Paul Soldner combinada com uma incrível oportunidade de terra que abriu o caminho para o que o Anderson Ranch é hoje – um dos mais respeitados programas de artes visuais do país.

Em 1966, quando a indústria do esqui começou a florescer, os desenvolvedores de resorts locais imaginaram um centro artístico e cultural para o vale e a comunidade vizinha. Eles pediram a Soldner, que escolheu a propriedade de Anderson Ranch como o local para esse local, para torná-lo uma realidade.

Soldner e seus contemporâneos, a fotógrafa Cherie Hiser, o escultor de argila Peter Voulkos, o marceneiro Sam Maloof e muitos outros, plantaram as sementes para um centro de artes que era decididamente diferente dos programas existentes voltados para os cursos.

“Parecia importante fazermos as coisas de maneira diferente do que pode ser feito na faculdade”, expressou Soldner logo no início. Assim, os princípios fundamentais do rancho nasceram e ainda são realizados hoje:

Turmas pequenas, permitindo atenção pessoal e acesso ao corpo docente

24/7 disponibilidade de estúdio para incentivar a criatividade desenfreada arte fazendo como um modo de vida e um caminho profissional o valor de dar mais do que você leva – e fazer com que outros gostem

Havia muito sacrifício pessoal necessário para tornar esses sonhos iniciais uma realidade – um que continua a evoluir e crescer. Siga a linha do tempo abaixo para ver os principais marcos alcançados ao longo do caminho …

Our History

An art original since 1966

“It is a center, not a school. We’re different.” — Paul Soldner, Founder of Anderson Ranch Arts Center

In the beginning…

It was the vision of prominent American raku ceramist Paul Soldner combined with an incredible land opportunity that paved the way for what Anderson Ranch is today—one of the most respected visual arts programs in the country.

In 1966, just as the ski industry began to blossom, local resort developers envisioned an arts and cultural center for the valley and surrounding community. They called on Soldner, who chose the Anderson Ranch property as the location for that venue, to make it a reality.

Soldner and his contemporaries, photographer Cherie Hiser, clay sculptor Peter Voulkos, woodworker Sam Maloof and many others, planted the seeds for an arts center that was decidedly different from existing degree-focused programs.

“It seemed important that we do things differently than can be done in college,” Soldner expressed early on. Thus, core principles of the Ranch were born and are still carried on today:

Small class sizes allowing for personal attention and access to faculty

24/7 studio availability to encourage unbridled creativity art making as a way of life and a professional path the value of giving more than you take–and making for others to enjoy

There was much personal sacrifice required to make those initial dreams a reality—one which continues to evolve and grow. Follow the timeline below to see the major milestones achieved along the way…

https://www.andersonranch.org/

https://www.facebook.com/andersonranch/

www.instagram.com/andersonranchartscenter/

 

Center for Contemporary Printmaking, Norwalk, CT

center_for_contemporary_pritmaking_galeria_de_gravura

 

Missão e História

MISSÃO

Nossa missão é apoiar, preservar e promover a arte das impressões originais.

HISTÓRIA

Fundado em 1995, o Centro de Gravura Contemporânea (uma organização 501 (c) (3)) foi criado para apoiar e encorajar artistas emergentes e profissionais sérios na criação de impressões originais e para educar a comunidade para uma melhor compreensão e apreciação das impressões e o processo de impressão. Oferece uma visão histórica e contemporânea da gravura, incentivando técnicas tradicionais, bem como tecnologias modernas.

Mission & History

MISSION

Our mission is to support, preserve, and advance the art of original prints.

HISTORY

Founded in 1995, the Center for Contemporary Printmaking (a 501(c) (3) organization) was established to support and encourage serious emerging and professional artists in the creation of original prints and to educate the community to a better understanding and appreciation of prints and the process of printmaking. It offers both an historic and contemporary view of printmaking, encouraging traditional techniques as well as modern technologies.

https://contemprints.org/

www.facebook.com/CenterforContemporaryPrintmaking/

www.instagram.com/contemprints/

 

Constellation Studios, Lincoln, NE

constellation_studios_galeria_de_gravura

Sobre nós

A diretora Karen Kunc fundou a Constellation Studios em 2013 para perseguir e transmitir sua paixão por impressão, papel e livro de arte. O renomado artista de Nebraska estabeleceu esta galeria criativa, espaço de trabalho e sala de aula profissional em um prédio reformado e histórico em Lincoln, o bairro de Antelope Valley, em Nebraska. Entre as impressoras da Constellation, tipo loja, estúdio de papel úmido, encadernação, coleções de livros e impressos e espaços de uso misto, Kunc serve como mentora, artista, curadora e organizadora comunitária, com o objetivo de desenvolver jovens artistas, estimular carreiras e estimular a cultura.

About us

Director Karen Kunc founded Constellation Studios in 2013 to pursue and pass on her passion for print, paper and bookmaking. The internationally renowned Nebraska artist established this creative gallery, workspace and professional classroom in a refurbished and historic building in Lincoln, Nebraska’s Antelope Valley neighborhood. Among Constellation’s printing presses, type shop, wet paper studio, bookbindery, print and book collections and mixed-use spaces, Kunc serves as mentor, artist, curator and community organizer, aiming to develop young artists, spur careers and cheer culture.

https://constellation-studios.net/

https://constellation-studios.net/blog/

www.facebook.com/constellationstudioslincoln/

 

Crown Point Press, San Francisco, CA

crown_point_press_galeria_de_gravura

Sobre

Quando comecei a trabalhar na Crown Point Press, em 1962, meu equipamento era uma máquina de escrever e uma impressora de gravura manual. Eu trabalhei sozinho, imprimindo as estampas, ajudando artistas a fazerem pratos e, geralmente, executando coisas. Agora, temos uma equipe de dez pessoas (Valerie Wade é nossa diretora) e temos computadores, sites e uma galeria ao lado de nosso estúdio. Nosso negócio foi radicalmente alterado pela tecnologia, mas nossos meios de produção não mudaram. Os artistas ainda usam placas de cobre, e as impressoras ainda pintam e imprimem à mão.

Em 1965, Richard Diebenkorn desenhou o rosto de uma mulher num prato e, cinquenta e um anos depois, Jacqueline Humphries, trabalhando na mesma mesa, integrou emojis com abstração. Ela disse que estava pensando nos pratos, não nas impressões. “As placas fazem a impressão.”

Dê uma olhada na lista de artistas que publicamos. Eles vêm a São Francisco de todo o mundo para trabalhar conosco em nosso prédio histórico, construído em 1922 para o San Francisco News. Se você puder, visite nossa galeria. Estamos do outro lado da rua do Museu de Arte Moderna de São Francisco. Além de criar e publicar gravuras, também publicamos os livros instrucionais dos Magical Secrets para gravuras e mantemos oficinas de verão abertas a todos. Os arquivos de nossas gravuras são realizados pelos Museus de Belas Artes de São Francisco e pela National Gallery of Art, Washington, D.C.

Kathan Brown

Diretor Fundador

About

When I started Crown Point Press in 1962 my equipment was a typewriter and a hand-cranked etching press. I worked alone, printing the prints, helping artists make plates, and generally running things. Now, we have a staff of ten (Valerie Wade is our director), and we have computers, websites, and a gallery alongside our studio. Our business has been radically changed by technology, but our means of production has not changed. Artists still draw on copper plates, and printers still ink and print them by hand.

In 1965 Richard Diebenkorn drew a woman’s face on a plate and fifty-one years later Jacqueline Humphries, working at the same table, integrated emojis with abstraction. She said she was thinking about the plates, not the prints. “The plates make the print.”

Take a look at the list of artists we have published. They come to San Francisco from around the world to work with us in our historic building, built in 1922 for the San Francisco News. If you can, visit our gallery. We are across the street from the San Francisco Museum of Modern Art. Besides creating and publishing etchings, we also publish the Magical Secrets instructional books for etching and hold summer workshops open to all. Archives of our prints are held by the Fine Arts Museums of San Francisco and the National Gallery of Art, Washington, D.C.

Kathan Brown

Founding Director

https://crownpoint.com/

www.youtube.com/user/CrownPointPress/

www.facebook.com/Crown-Point-Press

www.instagram.com/crownpointpress/

 

Dog’s Eye Print Studio, Framingham, MA

BIO DO ARTISTA

A arte de Nancy Diessner emerge de sua formação em pintura, gravura, desenho, fotografia e manipulação de imagens digitais. Incorporando todas essas mídias, suas impressões de entalhe de fotopolímero exploram a misteriosa e complexa conexão entre humanos e animais, ao mesmo tempo expressando nosso anseio humano e isolamento do “outro”. Dedicada à gravura mais segura, ela criou dois gravuras universitárias de baixa toxicidade. estúdios durante a sua carreira docente de 17 anos, e agora dirige um estúdio de gravura pública, o Dog’s Eye Print Studio, em Framingham, MA, onde também produz placas de fotopolímero para artistas.

ARTIST’S BIO

Nancy Diessner’s artwork emerges from her background in painting, printmaking, drawing, photography, and digital image manipulation. Incorporating all these media, her photopolymer intaglio prints explore the mysterious and complex connection between humans and animals, at the same time expressing our human longing for and isolation from the “other.” Dedicated to safer printmaking, she created two low-toxicity college printmaking studios during her 17 year college teaching career, and now runs a public printmaking studio, Dog’s Eye Print Studio, in Framingham, MA, where she also makes photopolymer plates for artists.

http://ndiessner.com/dogseyeprint/

 

Full Tilt Print Studio, Hyde Park, MA

 full_tilt_print_studio_galeria_de_gravura 

Sobre nós

Desde o início do Full Tilt Print Studio, atraiu impressores fortes e inovadores. Começou em 1970 como Experimental Etching Studio (EES), fundado por Deborah Cornell, Jeannette Silverio e Gretchen Ewert. Em 1983, evoluiu para uma cooperativa, operando sob o nome de EES Arts, que duas décadas depois se tornou uma organização sem fins lucrativos. À medida que os membros começaram a explorar as técnicas de impressão além da gravação, a organização buscou uma mudança de nome. Assim, em 2013, nasceu o Full Tilt Print Studio – um nome que reflete não apenas a criatividade do grupo, mas também sua força e energia.

O Full Tilt Print Studio tem 26 membros que se beneficiam por fazer parte de uma comunidade de impressores experientes. Os membros compartilham conhecimentos técnicos em um local de trabalho tranquilo e colegiado. Como o único estúdio de gravura cooperativo sem fins lucrativos de Boston, a Full Tilt oferece um espaço aberto que incentiva o pensamento livre e inovador. Os artistas aproveitam a conveniência de poder trabalhar sempre que quiserem em um ambiente ideal para projetos abertos. O estúdio é acessível 24 horas por dia e inclui uma oficina bem iluminada e espaçosa (2.800 pés quadrados), estacionamento gratuito e instalações para criar gravuras, monotipias, litografias e gravuras em relevo. Para informações mais detalhadas, acesse Tornando-se um Membro

Ao longo dos anos, os impressores do estúdio procuraram oportunidades para mostrar coletivamente seu trabalho. Em 1992, David Acton, curador de gravuras no Worcester Art Museum, jurou uma retrospectiva do trabalho dos membros, que foi exibido na Biblioteca Pública de Boston. Essa exposição resultou em um catálogo, Working Provof: Experimental Etching Studio.

Os membros do estúdio expuseram juntos nas seguintes instituições, entre outros:

Boston Public Library, Boston, MA

Museu Danforth, Framingham, MA

Art Complex Museum, Duxbury, MA

Museu de arte de Fitchburg, Fitchburg, MA

Museu Fuller, Brockton, MA

Centro de Estrasburgo de Administrif Hall d’Accueil, França

Até o momento, o estúdio publicou sete portfólios diferentes. Várias instituições adicionaram essas obras especiais a suas coleções permanentes, incluindo a Biblioteca Pública de Boston e o Art Complex Museum, em Duxbury. Os dois portfólios colaborativos mais recentes do estúdio, Lighten Up e Sub Rosa, foram exibidos no The Art Complex Museum durante o inverno de 2016-17.

About Us

Since Full Tilt Print Studio’s beginning, it has attracted strong, innovative printmakers. It began in 1970 as Experimental Etching Studio (EES), founded by Deborah Cornell, Jeannette Silverio, and Gretchen Ewert. By 1983, it had evolved into a cooperative, operating under the name EES Arts, which two decades later became a nonprofit. As members began exploring printmaking techniques beyond etching, the organization sought a name change. Thus, in 2013, Full Tilt Print Studio was born—a name that reflects not only the group’s creativity, but its drive and energy.

Full Tilt Print Studio has 26 members who benefit by being part of a community of experienced printmakers. Members share technical expertise in a quiet, collegial workplace. As Boston’s only nonprofit cooperative printmaking studio, Full Tilt offers an open space that encourages free, innovative thinking. Artists enjoy the convenience of being able to work whenever they choose in an environment that’s ideal for open-ended projects. The studio is accessible 24-hours a day and includes a well-lit, spacious workshop (2,800 square feet), free parking, and facilities for creating etchings, monotypes, lithographs, and relief prints. For more detailed information, go to Becoming a Member

Throughout the years, the studio’s printmakers have sought opportunities to collectively show their work. In 1992, David Acton, curator of prints at the Worcester Art Museum, juried a retrospective of members’ work, which was exhibited at the Boston Public Library. That exhibit resulted in a catalog, Working Proof: Experimental Etching Studio.

Studio members have exhibited together at the following institutions, among others:

Boston Public Library, Boston, MA

Danforth Museum, Framingham, MA

Art Complex Museum, Duxbury, MA

Fitchburg Art Museum, Fitchburg, MA

Fuller Museum, Brockton, MA

Strasbourg Centre de Administrif Hall d’Accueil, France

To date, the studio has published seven different portfolios. Several institutions have added these special works to their permanent collections, including the Boston Public Library and the Art Complex Museum, Duxbury. The studio’s two most recent collaborative portfolios, Lighten Up and Sub Rosa, were exhibited at The Art Complex Museum during the winter of 2016-17.

http://www.fulltiltprintstudio.com/

https://www.facebook.com/fulltiltprintstudio/

 

Highland Print Studio, Inverness, UK

highland_print_studio_galeria_de_gravura

O Highland Print Studio é uma instalação de impressão e imagem digital baseada em Inverness, nas Terras Altas da Escócia. O estúdio opera a partir de suas próprias instalações com vista para o rio Ness, no coração da cidade e tem instalações para uma variedade de técnicas de impressão, incluindo screenprint, relevo, impressão de relevo e litografia (foto-placa e pedra). Seu pacote digital recentemente atualizado inclui instalações para imagens digitais de alta especificação, impressão fotográfica de grande formato e digitalização de alta resolução.

Highland Print Studio is a printmaking and digital imaging facility based in Inverness in the Scottish Highlands. The Studio operates from its own premises overlooking the River Ness, in the heart of the city and has facilities for a range of printmaking techniques including screenprint, intaglio, relief print and lithography (photo-plate and stone). Its recently upgraded digital suite includes facilities for high-spec digital imaging, large-format photographic printing and high-resolution scanning.

https://highlandprintstudio.co.uk/

www.facebook.com/HighlandPrintStudio

www.pinterest.co.uk/highlandprint/

www.instagram.com/highlandprintstudio/

 

Honoluluprintmakers,HI
Apoiar atividades de gravura no Havaí, como exposições, casas abertas, visitas a artistas, aulas e demonstrações, divulgação na comunidade e um estúdio de impressão de acesso à comunidade para impressores locais.

Support printmaking activities in Hawai’i such as exhibitions, open houses, visiting artists, classes and demonstrations, community outreach, and a community-access printing studio for local printmakers.

http://www.honoluluprintmakers.org/

 

Manhattan Graphics Center, NYC

 manhattan_graphics_center_galeria_de_gravura

SOBRE O CENTRO GRÁFICO DE MANHATTAN

O MGC é um ateliê de gravura de belas artes totalmente equipado que acolhe artistas em todos os níveis da experiência de impressão. A participação no artista é necessária para participação em aulas e uso das instalações.

ABOUT MANHATTAN GRAPHICS CENTER

MGC is a fully equipped, fine art printmaking workshop that welcomes artists at all levels of printmaking experience. Artist membership is required for participation in classes and use of the facilities.

www.manhattangraphicscenter.org/

www.facebook.com/ManhattanGraphicsCenter/

www.instagram.com/manhattangraphicscenter/

 

Maud Morgan Art Center, Cambridge, MA

maud_morgan_arts_galeria_de_gravura

Maud Morgan, 1903-1999

O talento de Maud Morgan como artista foi reconhecido cedo. No final da década de 1930 e início da década de 1940, ela estava expondo na Betty Parsons Gallery em Nova York e foi a artista de destaque em uma exposição de ilustres expressionistas abstratos em Yale. Os principais museus de Nova York, incluindo o Museu Metropolitano de Arte, o Museu Whitney e o Museu de Arte Moderna, adquiriram seu trabalho.

Em meados da década de 1940, Maud deixou Nova York para Andover, Massachusetts, para seguir a carreira de seu marido. Enquanto ensinava arte na Abbot Academy, ela continuou a pintar e experimentar outras mídias e exibiu na Galeria Margaret Brown, em Boston. Maud preencheu a casa de sua família com o trabalho de contemporâneos e criou um ambiente acolhedor para inúmeros jovens artistas, como Frank Stella e Carl Andre.

No final dos anos 1950, Maud veio para Boston e depois mudou-se para o bairro Agassiz, em Cambridge. Seu trabalho foi exibido regularmente na Barbara Singer Gallery. Embora ela se visse como pintora, ela nunca hesitou em experimentar outras mídias. Suas impressões e suas investigações com papel e colagem na Rugg Road Papers and Prints foram recebidas com entusiasmo nas décadas de 1970, 80 e 90. Maud fez apresentações individuais na Massachusetts College of Art, em Boston, no Fuller Art Museum, em Brockton, na Addison Gallery, em Andover, e no Museum of Fine Arts, em Boston.

Ao longo de sua carreira, Maud foi uma fonte de inspiração para dezenas de artistas, jovens e velhos. Para mulheres artistas, em particular, ela serviu como modelo. Ela os encorajou a seguir suas carreiras sem renunciar ao privilégio e prazer da vida familiar. Sua alegria de viver era contagiante e tocava a vida de todos que a conheciam. Na idade de noventa e dois anos, ainda vigorosa e ansiosa para explorar mais um meio de expressão, Maud publicou sua autobiografia, A jornada de Maud: uma vida da arte.

Maud Morgan, 1903–1999

Maud Morgan’s talent as an artist was recognized early. By the late 1930s and early 1940s, she was exhibiting at the Betty Parsons Gallery in New York City and was the featured artist in an exhibit of distinguished Abstract Expressionists at Yale. Major New York City museums including the Metropolitan Museum of Art, the Whitney Museum, and the Museum of Modern Art acquired her work.

In the mid-1940s, Maud left New York for Andover, Massachusetts, to follow her husband’s career. While teaching art at Abbot Academy, she continued to paint and experiment with other media, and exhibited at the Margaret Brown Gallery in Boston. Maud filled her family home with the work of contemporaries and created a nurturing environment for numerous young artists such as Frank Stella and Carl Andre.

In the late 1950s, Maud came to Boston and later moved to the Agassiz neighborhood of Cambridge. Her work was exhibited regularly at the Barbara Singer Gallery. Although she viewed herself as a painter, she never hesitated to experiment with other media. Her prints and her investigations with papermaking and collage at Rugg Road Papers and Prints were enthusiastically received in the 1970s, 80s, and 90s. Maud was given one-person shows at the Massachusetts College of Art in Boston, the Fuller Art Museum in Brockton, the Addison Gallery in Andover, and the Museum of Fine Arts in Boston.

Throughout her career, Maud was a source of inspiration for dozens of artists, both young and old. For women artists, in particular, she served as a role model. She encouraged them to pursue their careers without foregoing the privilege and pleasure of family life. Her joie de vivre was infectious and touched the lives of all who knew her. At the age of ninety-two, still vigorous and eager to explore yet another medium of expression, Maud published her autobiography, Maud’s Journey: A Life from Art.

http://www.maudmorganarts.org/

www.instagram.com/maudmorganarts/

www.facebook.com/MaudMorganArts/

 

Mixit Print Studio, Somerville, MA
O Mixit Print Studio é um estúdio de gravura profissional de acesso aberto de propriedade de Catherine Kernan, Jane Goldman e Randy Garber. Embora de propriedade privada, o estúdio promove uma comunidade de impressores / artistas de apoio e interativa. Fundada em 1987, a Mixit Print Studio ocupa 1800 pés quadrados no piso térreo do Mixit Studios Cooperative, um edifício de propriedade / trabalho de propriedade do artista, anteriormente a fábrica do Mixit Hand Soap. Ao longo dos anos, o Mixit Print Studio patrocinou muitas exposições coletivas, produziu vários portfolios de gravuras, agora em importantes coleções, e publicou ou co-publicou dois livros substanciais sobre o estúdio para acompanhar exposições. Nós orientamos vários jovens artistas e oferecemos oficinas sobre diversos tópicos de gravura. O estúdio está totalmente equipado para fazer e imprimir em grande escala placas de entalhe, monótipo, monoprint, relevo e foto-intaglio. Recursos que fazem do Mixit Print Studio um dos principais estúdios de impressão na área de Boston: Nossa localização conveniente para o transporte público Um limite no número de artistas que usam o estúdio a qualquer momento Espaço inteligente e flexível Uma ênfase em processos de impressão seguros e sustentáveis Equipamentos de qualidade que podem acomodar grandes placas Uma comunidade vibrante e solidária de artistas / impressores Participação em exposições, portfólios e Somerville Open Studios Compartilhamento generoso de informações técnicas e feedback sobre o trabalho Oportunidade de participar de workshops ministrados no Mixit O Mixit Print Studio foi apresentado em uma recente edição do Somerville News. Assista o vídeo! Saiba mais sobre os inícios do Mixit e artistas atuais.

Mixit Print Studio is an open access professional printmaking studio owned and operated by Catherine Kernan, Jane Goldman, and Randy Garber. Although privately owned, the studio fosters a supportive and interactive community of printmakers/artists.

Founded in 1987, Mixit Print Studio occupies 1800 square feet on the ground floor of Mixit Studios Cooperative, an artist-owned live/work building, formerly the factory for Mixit Hand Soap.

Over the years Mixit Print Studio has sponsored many group exhibitions, produced several portfolios of prints, now in important collections, and published or co-published two substantial books about the studio to accompany exhibitions. We have mentored a number of young artists, and we offer workshops on a range of printmaking topics.

The studio is fully equipped for making and printing large-scale intaglio, monotype, monoprint, relief, and photo-intaglio plates.

Features that make Mixit Print Studio one of the premier printmaking studios in the Boston area include:

Our convenient location to public transportation

A limit on the number of artists using the studio at any one time

Intelligently and flexibly organized space

An emphasis on safer and sustainable printmaking processes

Quality equipment that can accommodate large plates

A vibrant and supportive community of artists / printmakers

Participation in exhibitions, portfolios, and Somerville Open Studios

Generous sharing of technical information and feedback on work

Opportunity to participate in workshops given at Mixit

Mixit Print Studio was featured on a recent edition of Somerville News. Watch the video!

Learn more about Mixit’s beginnings, and current artists.

https://www.mixitprint.com/

www.facebook.com/mixitprintstudio/

 

Muskat Studios, Somerville, MA
A Muskat Studios é especializada na criação de litografias originais, impressões em relevo e monotipias em colaboração com artistas regionais e nacionais. Nós fornecemos um recurso significativo para artistas que desejam produzir impressões excepcionais. O estúdio oferece programação especial ao longo do ano, incluindo palestras de artistas, workshops, casas abertas e demonstrações de gravura que ampliam a definição e o escopo da gravura e da arte. “Esta é uma pequena loja com ênfase na colaboração personalizada. Eu me esforço para ajudar artistas que são novos na gravura, assim como aqueles com experiência, a trabalhar com confiança e entusiasmo. O foco está na obra de arte e na experiência do artista. A qualidade do trabalho é crítica. Eu quero fazer todo o possível para permitir que o artista faça seu melhor trabalho. ”” – Carolyn M Muskat

Muskat Studios specializes in the creation of original lithographs, relief prints, and monotypes in collaboration with regional and national artists. We provide a significant resource to artists looking to produce exceptional prints. The studio offers special programming throughout the year, including artist talks, workshops, open houses and printmaking demonstrations that broaden the definition and scope of printmaking and art.

“This is a small shop with an emphasis on personalized collaboration. I strive to help artists who are new to printmaking, as well as those with experience, to work with confidence and enthusiasm. The focus is on the artwork and the artist’s experience. The quality of the work is critical. I want to do everything possible to enable the artist to do his or her best work.” ”

— Carolyn M Muskat

http://www.muskatstudios.com/

www.facebook.com/muskatstudios/

 

Piscataqua Fine Arts, Portsmouth, NH

don_gorvett_galeria_de_gravura
Temos o orgulho de anunciar que, depois de um hiato de dois anos, Don Gorvett reabriu a Piscataqua Fine Arts, sua gráfica em Portsmouth, New Hampshire. A loja serve como galeria irmã para seu ateliê e galeria em Ogunquit, Black Bear Fine Art. O Piscataqua Fine Arts está convenientemente localizado no coração do centro de Portsmouth, no 123 Market St, ao virar da esquina da antiga localização da galeria, na Ceres Street. Além de ser um dos portos mais antigos e ilustres da América, o Portsmouth tem sido durante séculos um destino para artistas. Essa rica história da arte continua até hoje, pois a fileira mais antiga da cidade de armazéns à beira-mar abriga a renomada grande escala redução de xilogravuras do artista Don Gorvett. Além do trabalho de Don, também apresentamos uma coleção exclusiva de obras de arte de alguns dos mais talentosos artistas e impressores da Nova Inglaterra, incluindo Sidney Hurwitz, Alex deConstant, Penelope Jenks, as fotografias em gelatina de grande formato de Conrad Marvin, gravuras de Sean Hurley, escultura de Bill Duffy e Jeffery Briggs, e desenhos abstratos de Ralph Gorvett. Piscataqua Fine Arts é também o lar de uma variedade de gravuras antigas e modernas, e nós somos a única galeria em Portsmouth com ênfase especial na gravura de mestres contemporâneos e históricos.

We are proud to announce that after a two-year hiatus, Don Gorvett has re-opened Piscataqua Fine Arts, his print shop in Portsmouth, New Hampshire. The shop serves as sister gallery to his studio and gallery in Ogunquit, Black Bear Fine Art.

Piscataqua Fine arts is conveniently located in the heart of downtown Portsmouth at 123 Market St, just around the corner from the gallery’s former location on Ceres Street. In addition to being one of America’s oldest and illustrious ports, Portsmouth has for centuries been a destination for artists.This rich history of art continues to this day, as the city’s oldest row of waterfront warehouses is now home to the renowned, large-scale reduction woodcuts of artist Don Gorvett. In addition to Don’s work we also feature a unique collection of fine art by some of New England’s most accomplished artists and printmakers, including Sidney Hurwitz, Alex deConstant, Penelope Jenks, the large format silver gelatin photographs of Conrad Marvin, etchings by Sean Hurley, sculpture by Bill Duffy and Jeffery Briggs, and abstract drawings by Ralph Gorvett. Piscataqua Fine Arts is also home to a variety of old and modern master prints, , and we are the only gallery in Portsmouth with a special emphasis on printmaking of both contemporary and historic masters.

https://dongorvettgallery.com/

www.facebook.com/PiscataquaFineArts/

dongorvett@dongorvettgallery.com

 

Shepherd and Maudsleigh Studio,West Newton, MA

shephero_maudsleigh_studio_galeria_de_gravura
O Shepherd & Maudsleigh Studio é um espaço de 6000 pés quadrados que é um grande estúdio de gravura com um espaço adjacente com estúdios para artistas de todas as disciplinas. A gráfica está equipada com quatro prensas de gravação, aerógrafo aquatint, tanque de gravação de cloreto férrico, unidade de exposição foto-gravura. É também um dos poucos lugares na área de Boston, onde os artistas têm acesso a um estúdio silkscreen totalmente equipado e espaçoso. Em meados de março de 2019, o estúdio estará equipado para impressão de metragem: terá uma mesa de serigrafia acolchoada de 11 ” e os correspondentes silkscreens, unidade de exposição e washout para artistas têxteis, bem como aqueles que gostariam de aprender a imprimir artigos de jarda. O estúdio de gravura fornece a maior parte do que um artista precisa para começar incluindo todos os suprimentos de limpeza, um suprimento básico de tintas, ferramentas pequenas, motivos e brayers, assim como rodos, colheres, emulsão fotográfica, etc. cubbies bem bloqueáveis ​​para locatários mensais. Os artistas são responsáveis ​​pelo papel, tintas e pratos especiais. Os estúdios de artistas adjacentes são espaços limpos, tranquilos e bem iluminados para artistas profissionais que procuram espaço de estúdio. Artistas interessados ​​devem solicitar um tour com hora marcada. Liz Shepherd, uma artista que dirigiu o Shepherd Studio, uma popular estamparia de South End (Boston), é membro da Boston Sculptors Gallery e da Boston Printmakers. www.lizshepherd.com Shepherd ministra oficinas de silkscreen pequenas, bem como técnicas tradicionais de gravura, foto-ataque, woodblock, litografia de placa e monotipia. Rebekah Lord Gardiner da Maudsleigh Editions é uma gravadora e encadernadora. Ela dirigiu a unidade de produção na Oficina e Museu de Tecidos na Filadélfia, além de ajudar os impressores mestres com artistas convidados. Lorde Gardiner ensinará oficinas de impressão de tecidos e poderá ajudar impressores interessados ​​em fazer livros de suas impressões. www.rebekahlordgardiner.com Na ocasião, o Shepherd & Maudsleigh Studio convida artistas convidados para ministrar workshops. Artistas convidados recentes foram Christiane Corcelle (impressão carborundum) Peter Madden (livros de artista) e Amanda McCavour (superfícies experimentais: têxteis).

Shepherd & Maudsleigh Studio is a 6000 square foot space that is a large printmaking studio with an adjacent space with studios for artists of all disciplines. The printshop is equipped with four etching presses, aquatint airbrush, ferric chloride etching tank, photo etching exposure unit. It is also one of the few places in the Boston area where artists have access to a fully equipped and spacious silkscreen studio. By mid March 2019 the studio will be equipped for printing yardage: it will have an 11’ padded silkscreen table and the corresponding silkscreens, exposure unit and washout booth for textile artists as well as those who would like to learn how to print yard goods.

The printmaking studio provides most of what an artist needs to get started including all clean up supplies, a basic supply of inks, small tools, grounds and brayers as well as squeegees, scoop coaters, photo emulsion etc. A flat file drawer is provided as well lockable cubbies for monthly renters. Artists are responsible for their paper, specialty inks and plates.

The adjacent artist studios are clean, quiet and well-lit spaces for professional artists seeking studio space. Interested artists should request a tour by appointment.

Liz Shepherd, an artist who ran Shepherd Studio, a popular South End (Boston) printshop is a member of the Boston Sculptors Gallery and the Boston Printmakers. www.lizshepherd.com Shepherd teaches small silkscreen workshops as well as traditional etching techniques, photo-etching, woodblock, pronto plate litho and monotypes.

Rebekah Lord Gardiner of Maudsleigh Editions is a printmaker and bookbinder. She ran the production unit at the Fabric Workshop and Museum in Philadelphia as well as assisted the master printers with guest artists. Lord Gardiner will teach fabric printing workshops and can assist printmakers interested in making books of their prints. www.rebekahlordgardiner.com

On occasion Shepherd & Maudsleigh Studio invites guest artists in to teach workshops. Recent guest artists have been Christiane Corcelle (carborundum printing) Peter Madden (artist books) and Amanda McCavour (experimental surfaces: textiles).

https://shepherdmaudsleighstudio.com/

https://www.facebook.com/shepherdmaudsleighstudio/

 

Taylor Art Studio, Marshfield MA
Este workshop é para artistas que querem ir além de impressões digitais “planas” usando papéis de arte, materiais de colagem, pintura, pastel e uma variedade de mídias de transferência. A ênfase está na exploração e experimentação com processos integrativos, não um produto final. Os participantes criam impressões de transferência a jato de tinta em papel e metal usando produtos DASS e inkAID. Impressões em camadas únicas adicionais serão criadas a partir de uma ampla gama de superfícies personalizadas combinadas com imagens digitais. As técnicas de inscrição e colocação também serão demonstradas durante o workshop.

This workshop is for artists who want to go beyond “flat” digital prints using fine-art papers, collage materials, paint, pastel, and a variety of transfer mediums. Emphasis is on exploration and experimentation with integrative processes, not a final product. Participants create inkjet transfer prints on paper and metal using DASS & inkAID products. Additional unique layered prints will be created from wide range of custom made surfaces combined with digital images. Registration & placement techniques will also be demonstrated throughout the workshop.

http://marytaylorart.com/

http://marytaylorart.com/blog/

 

Two Rivers Printmaking Studio
O Two Rivers Printmaking Studio é um espaço de trabalho de ensino e aprendizagem executado de forma cooperativa por um grupo de membros dedicados. Estamos localizados no edifício Tip Top em White River Junction, VT.

 

Two Rivers Printmaking Studio is a teaching and learning workspace run cooperatively by a group of dedicated members. We are located in the Tip Top building in White River Junction, VT.

http://www.tworiversprintmaking.com/

https://www.facebook.com/tworiversprintmakingstudio/

http://www.tworiversprintmaking.org

 

Wingate Studio, Hinsdale, NH

wingate_studio_galeria_de_gravura
O Wingate Studio produz e publica edições impressas, livros e projetos especiais em colaboração com artistas contemporâneos de renome internacional. A imprensa é especializada em gravura em entalhe, com abertura para exploração e inovação dentro e além do processo tradicional. Os projetos são dirigidos pelos artistas e facilitados pela imprensa. Peter Pettengill fundou o Wingate Studio em 1985, depois de passar sete anos como impressor na Crown Point Press. James Pettengill e Alyssa Robb se juntaram à imprensa como co-diretores em 2013. O Wingate Studio apoia um grupo diversificado de artistas em suas carreiras, proporcionando um ambiente onde os artistas podem fazer seu melhor trabalho. Além de projetos, o Wingate Studio publica trabalhos publicados em coleções públicas e privadas em nível nacional e internacional, e educa os alunos e o público em geral sobre o processo de gravação em entalhe. Para saber mais sobre nosso processo e como trabalhamos, visite nossa página Processos e veja nossas notícias no Studio. O estúdio ocupa um celeiro clássico da Nova Inglaterra, localizado em uma fazenda de 11 hectares, a cerca de três horas ao norte da cidade de Nova York. Artistas convidados a colaborar em projetos são fornecidos com um confortável apartamento privado e refeições preparadas na hora com ingredientes da fazenda. Artistas trabalham com nossos mestres impressores para produzir obras de arte originais na forma de impressões e múltiplos. Além disso, os artistas que desejarem publicar seus próprios projetos poderão contratar o Wingate Studio para produzir seu trabalho – entre em contato conosco para obter as tarifas e o agendamento. O conceituado Programa de Aprendizagem do Wingate Studio está em andamento há mais de 20 anos. Se você estiver interessado em aprendizado, leia a descrição do programa e o processo de inscrição. O Wingate Studio ministra palestras e ministra workshops para galerias, residências, universidades e museus. Se você estiver interessado em convidar o Wingate Studio para ministrar um workshop ou palestra, ou agendar uma visita de classe ao nosso estúdio, entre em contato conosco. Impressões publicadas e impressas no Wingate Studio estão nas coleções do Museu de Arte Memorial Allen no Oberlin College, Museu de Arte de Baltimore, Museu Chazen, Museu de Arte de Cleveland, Museu Davis, Centro de Artes Davison no Wesleyan College, Museu Hammer, Museu Hood Arte, Biblioteca do Congresso, Museu de Arte de Minneapolis, MoMA, Museu Smith College of Art, Galeria de Arte da Universidade de Yale, Museu Whitney de Arte Americana e coleções particulares internacionais. Peter Pettengill, Fundador e Master Printer James Pettengill, co-diretor e impressora Alyssa Robb, co-diretora e vendas Para consultas de vendas ou para agendar uma visita ao estúdio, entre em contato conosco. +1 603 239 8223 info@wingatestudio.com 941 Northfield Road, Hinsdale, NH 03451

Wingate Studio produces and publishes printed editions, books, and special projects in collaboration with contemporary artists of international acclaim. The press specializes in intaglio etching, with an openness to exploration and innovation within and beyond the traditional process. Projects are directed by the artists and facilitated by the press.

Peter Pettengill founded Wingate Studio in 1985 after spending seven years as a printer at Crown Point Press. James Pettengill and Alyssa Robb joined the press as co-directors in 2013. Wingate Studio supports a diverse group of artists in their careers by providing an environment where artists can make their best work. Beyond projects, Wingate Studio places published works in public and private collections nationally and internationally, and educates students and the general public on the intaglio etching process. To learn more about our process and how we work please visit Our Processes page and see our News from the Studio.

The studio occupies a classic New England barn located on a 55-acre farm about three hours north of New York City. Artists invited to collaborate on projects are provided with a comfortable private apartment and freshly prepared meals with ingredients from the farm. Artists work with our master printmakers to produce original artworks in the form of prints and multiples. Additionally, artists wishing to publish their own projects may hire Wingate Studio to produce their work–please contact us for rates and scheduling.

Wingate Studio’s highly regarded Apprenticeship Program has been ongoing for over 20 years. If you are interested in apprenticing, please read over the program description and application process. Wingate Studio gives lectures and teaches workshops for galleries, residencies, universities, and museums. If you are interested in inviting Wingate Studio to teach a workshop or lecture, or scheduling a class visit to our studio, please contact us.

Prints published and printed at Wingate Studio are in the collections of the Allen Memorial Art Museum at Oberlin College, Baltimore Museum of Art, Chazen Museum, Cleveland Museum of Art, Davis Museum, Davison Art Center at Wesleyan College, Hammer Museum, Hood Museum of Art, Library of Congress, Minneapolis Museum of Art, MoMA, Smith College Museum of Art, Yale University Art Gallery, Whitney Museum of American Art, and private collections internationally.

Peter Pettengill, Founder and Master Printer

James Pettengill, Co-Director and Printer

Alyssa Robb, Co-Director and Sales

For sales inquiries or to schedule a studio visit please contact us.

+1 603 239 8223

info@wingatestudio.com

941 Northfield Road, Hinsdale, NH 03451

http://wingatestudio.com/about

www.facebook.com/wingatestudio/

 

Zea Mays, Florence, MA

zea_mays_printmaking_galeria_de_gravura

A Zea Mays Printmaking é um estúdio, oficina, galeria, centro educacional e centro de pesquisa dedicado às práticas de impressão mais seguras e sustentáveis ​​disponíveis. Estamos continuamente pesquisando novas técnicas e produtos interessantes. Nós compartilhamos essas informações através de nossos workshops, consultas e tutoriais privados.

Oferecemos workshops em processos de impressão mais seguros; acesso ao nosso estúdio de última geração; exposições; residências; impressões para venda e muito mais.

Zea Mays Printmaking is a studio, workshop, gallery, educational facility and research center dedicated to the safest and most sustainable printmaking practices available. We are continually researching exciting new techniques and products. We share this information through our workshops, consultations and private tutorials.

We offer workshops in safer printmaking processes; access to our state-of-the-art studio; exhibitions; residencies; prints for sale and more.

https://www.bostonprintmakers.org/resources/links/

https://www.zeamaysprintmaking.com/

 

Printmakers Open Forum
A Printmakers Open Forum LLC, (PMOF) o Lar para Meninas e Garotos da Wayward Print, é: – uma forma livre, compartilhada, não hierárquica amálgama de impressores que acreditam que informações, tecnologias, idéias devem ser acessadas na forma de código aberto. – um estúdio de trabalho utilizando todas as técnicas de impressão: impressão de tela, entalhe, litografia, relevo e modalidades digitais. O PMOF se concentra na educação continuada para o artista que trabalha, na transcendência artística, proficiência técnica e um futuro inovador. Somos gratos àqueles que vieram antes de nós para aqueles que passaram suas vidas imersos e fascinados por esse esforço. O PMOF se esforça para ser um canal de educação continuada para o artista que trabalha.

Printmakers Open Forum LLC, (PMOF) the Home for Wayward Print Girls and Boys, is: – a free form, shared, non hierarchical amalgam of printmakers that believe information, technologies, ideas should be accessed in open-source fashion. – a working studio utilizing all printmaking techniques: screenprint, intaglio, lithography, relief and digital modalities. PMOF focuses on continuing education for the working artist, artistic transcendence, technical proficiency and an innovative future. We are grateful to those who came before us, to those who spent their lives immersed in and entranced by this endeavor. PMOF strives to be a conduit of continuing education for the working artist.

http://printmakersopenforum.org

www.facebook.com/printmakersopenforum/

https://www.instagram.com/printmakersopenforum/

www.youtube.com/channel/UCROPeakjAVDSdBzcWw31LMA

http://printmakersopenforum.tumblr.com/

 

American Print Alliance
A Aliança de Impressão Americana promove a impressão, a arte essencial do século XXI. A American Print Alliance é um consórcio de conselhos de imprensa sem fins lucrativos nos Estados Unidos e no Canadá. A Aliança patrocina projetos nacionais e internacionais, como este site e exposições itinerantes. O financiamento da aliança vem principalmente das assinaturas do nosso jornal, Contemporary Impressions. Leia-o para acompanhar as questões críticas que cercam as artes gráficas contemporâneas, participe do diálogo e inspire sua criatividade. Ao apoiar a Aliança com sua assinatura, você também obtém uma organização de defesa, exposições, publicações de recursos e muito mais. Assuma o compromisso de nos ajudar a levar as artes da impressão ao seu potencial máximo!

The American Print Alliance

promotes the print, the essential art of the 21st century.

The American Print Alliance is a consortium of non-profit printmakers’ councils in the United States and Canada. The Alliance sponsors national and international projects, like this website and traveling exhibitions. Alliance funding comes primarily from subscriptions to our journal, Contemporary Impressions. Read it to catch up on the critical issues surrounding contemporary print arts, take part in the dialogue and inspire your creativity. By supporting the Alliance with your subscription, you also get an advocacy organization, exhibitions, resource publications, and more. Make a commitment to help us bring the print arts to their fullest potential!

http://www.printalliance.org/

 

California Society of Printmakers

california_socieety_of_printmakers_galeria_de_gravura

Sociedade de gravuristas da Califórnia

A Sociedade de Impressoras da Califórnia (CSP), uma organização sem fins lucrativos 501 (c) 3, é a organização de gravura mais antiga do país. Originalmente fundada em 1912 como a Sociedade da Califórnia de Etchers, refletiu uma onda de atividade de gravura no Ocidente durante o início do século. Em 1968, a Sociedade de Etchers da Califórnia fundiu-se com os Printmakers da Área da Baía para formar a atual Sociedade de Gravadores da Califórnia.

Mais Informações:

100 anos de gravura: uma breve história

Sociedade de Gravadores da Califórnia: 2013 Centennial

CSP na Wikipedia

ARQUIVO

O arquivo da Sociedade de Gravadores da Califórnia está localizado na Biblioteca CSP Centennial LogoBancroft, no campus da Universidade da Califórnia, em Berkeley. A coleção inclui periódicos antigos, boletins informativos, boletins, atas, informações de exibição, correspondência e outras miscelâneas.

Pesquise o catálogo on-line da UCB, Pathfinder, usando os impressores da Sociedade da Califórnia no campo “palavras-chave da organização do autor”. O recurso de busca eletrônica ajuda a localizar os registros históricos de CSP de 1925 até o presente. Todos esses materiais são acessíveis ao público, mas devem ser solicitados de armazenamento com cinco dias de antecedência.

California Society of Printmakers

The California Society of Printmakers (CSP), a 501(c)3 non-profit organization, is the oldest printmaking organization in the nation. Originally founded in 1912 as the California Society of Etchers, it reflected a surge of printmaking activity in the West during the early part of the century. In 1968 the California Society of Etchers merged with the Bay Area Printmakers to form the present California Society of Printmakers.

More information:

100 Years of Printmaking: A Brief History

California Society of Printmakers: 2013 Centennial

CSP on Wikipedia

ARCHIVE

The California Society of Printmakers archive is located at the CSP Centennial LogoBancroft Library on the campus of at the University of California, Berkeley. The collection includes past journals, newsletters, bulletins, minutes, exhibition information, correspondence and other miscellany.

Search the UCB online catalog, Pathfinder , using California Society Printmakers in the “author-organization keywords” field. The electronic finding aid assists locating CSP historical records from 1925 to the present. All of these materials are accessible to the public, but must be requested from storage five days in advance.

http://www.caprintmakers.org/

www.facebook.com/caprintmakers/

 

The Graphic Arts Workshop, San Francisco

 

História do GAW

Do começo

GAW_AntiWar Posters_7 O Workshop de Artes Gráficas foi fundado em 1952 por professores e artistas da California Labor School. Durante as décadas de 1930 e 40, o impacto da Grande Depressão, do Projeto Federal de Artes WPA e da visita a artistas mexicanos, assim como a outros modernistas europeus, teve um impacto profundo na nova geração de artistas impressos em São Francisco. O domínio da linha gravada ou gravada começou a ser eclipsado por outras técnicas, como litografia, relevo e serigrafia ou serigrafia. Essas novas técnicas foram acompanhadas por um movimento estético em direção a um assunto mais engajado socialmente. As preocupações sociais dos membros do Workshop de Artes Gráficas (GAW) foram refletidas no estilo de trabalho de cada artista e na forma cooperativa do Workshop. A gráfica se tornou uma base de atividade política e produção artística abundante, e atraiu muitos artistas estrangeiros como colaboradores.

GAW History

From The Beginning

GAW_AntiWar Posters_7Graphic Arts Workshop was founded in 1952 by faculty and artists from the California Labor School. During the 1930s and 40s, the impact of the Great Depression, the WPA Federal Arts Project, and visiting Mexican artists as well as other European modernists had a profound impact on the new generation of print artists in San Francisco. The dominance of the etched or engraved line began to be eclipsed by other techniques such as lithography, relief, and serigraphy or screenprint. These new techniques were accompanied by an aesthetic move toward more socially engaged subject matter. The Graphic Arts Workshop (GAW) members’ societal concerns were reflected in each artist’s style of work and in the co-operative form of the Workshop. The printshop became a base of political activity and abundant artistic output, and attracted many foreign artists as collaborators.

http://graphicartsworkshop.org/

 

Indochina Arts Partnership

Sobre nós

Fundada em 1987, quando David Thomas, fundador da organização e veterano do Vietnã, retornou ao Vietnã e dedicou a IAP como uma organização para intercâmbios artísticos, culturais e educacionais entre os Estados Unidos e o Vietnã. Desde a fundação, o IAP apoiou mais de cinquenta artistas e representantes culturais através do nosso programa de residência. O sucesso inicial da organização inclui exposições importantes como “Visto de Ambos os Lados” (1991), “Sete Pilares” (1994), e “An Ocean Apart” (1995) que apresentou artistas vietnamitas ao público americano pela primeira vez após a guerra.

A IAP é uma organização sem fins lucrativos 501 (c) (3) conduz programas de desenvolvimento cultural e intercâmbio artístico entre os Estados Unidos e os países do Sudeste Asiático, com foco principal no Vietnã. O IAP oferece várias atividades por meio de três programas principais: 1) organizar exposições e promover educação artística, 2) fornecer apoio aos artistas por meio de residências e programas de desenvolvimento de carreira e 3) promover o desenvolvimento mútuo por meio de parcerias e colaborações. A IAP formou parcerias com museus e instituições de arte, bem como espaços de arte independentes em diferentes partes do mundo, para criar parcerias fortes e apoiar o desenvolvimento das artes e da cultura.

About us

Established in 1987 when David Thomas, the organization’s founder and a Vietnam veteran returned to Vietnam and dedicate IAP as an organization for art, cultural, and educational exchanges between the United States and Vietnam. Since founding, the IAP has supported more than fifty artists and cultural representatives through our residency program. The organization’s early success includes important exhibitions namely “As Seen From Both Sides” (1991), “Seven Pillars” (1994), and “An Ocean Apart” (1995) which introduced Vietnamese artists to the American audience for the first time after the war.

IAP is a 501 (c) (3) non-profit organization conducts programs of cultural development and artistic exchange between the United States and the countries of Southeast Asia, with a primary focus on Vietnam. IAP offers various activities through three core programs: 1) organize exhibitions and promote art education, 2) provide artists’ support through residencies and career development programs, and 3) foster mutual development via partnerships and collaborations. IAP has formed partnership with museums and art institutions, as well as independent art spaces in different parts of the world, to create strong partnerships and support for the development of arts and culture.

http://indochinaartspartnership.org

www.facebook.com/IndochinaArtsPartnership/

 

Los Angeles Printmaking Society (LAPS)

 

Sobre

A Sociedade de Gravura de Los Angeles (LAPS) é uma organização nacional sem fins lucrativos dedicada ao incentivo da gravura, educando o público e promovendo os interesses da gravura como uma forma de arte. Encorajamos os estudantes a explorar meios de impressão com exposições de estudantes e as subvenções da Fundação LAPS. A LAPS publica uma revista trimestral Interleaf, bem como catálogos e cartazes em apoio à nossa exposição bienal, The National. Também mantemos um site onde os membros podem exibir seu trabalho em nossa galeria na Web e onde um calendário de eventos pode ser acessado. Do nosso site pode-se explorar muitos links de recursos para outros sites de gravura. O LAPS promove a comunicação entre artistas interessados ​​em ampliar o diálogo nas artes gráficas.

LAPS é um membro da American Print Alliance, que também inclui: Boston Printmakers, Sociedade de Gravadores da Califórnia, Conseil Quebecois de l’Estampe, Sociedade Printmakers da Flórida, Printmakers de Honolulu, Printmakers de Maryland, Conselho de Impressão Mid America, Associação de Gravadores de Nova Escócia, Noroeste Conselho de Impressão, Grupo de Impressão de Pittsburgh, Southern Graphics Council. O LAPS tem uma história longa e ilustre na comunidade artística de Los Angeles. Torne-se um membro ativo e participe da diretoria.

A Sociedade de Gravura de Los Angeles convida seus membros para se juntarem ao grupo do Yahoo. Esta listagem de grupo voluntário permitirá que os membros compartilhem informações entre si. Este fórum pode ser usado para anunciar exposições pessoais, workshops, prensas à venda ou quaisquer outros projetos ou questões relacionadas à gravura no sul da Califórnia. Para se inscrever, vá para a página seguinte e aperte o botão Join this group no lado direito da tela. Yahoo irá guiá-lo através do processo.

About

The Los Angeles Printmaking Society (LAPS) is a national non-profit dedicated to the encouragement of printmaking, educating the public and promoting the interests of printmaking as an art form. We encourage students exploring printmaking media with student exhibitions and the LAPS Foundation grants. LAPS publishes a quarterly journal Interleaf as well as catalogs and posters in support of our biennial exhibition, The National. We also maintain a web site where members can exhibit their work in our web gallery and where a calendar of events can be accessed. From our website one can explore many resource links to other printmaking sites. LAPS fosters communication among artists interested in expanding the dialogue in the graphic arts.

LAPS is a member of the American Print Alliance, which also includes: Boston Printmakers, California Society of Printmakers, Conseil Quebecois de l’Estampe, Florida Printmakers Society, Honolulu Printmakers, Maryland Printmakers, Mid America Print Council, Nova Scotia Printmakers Association, Northwest Print Council, Pittsburgh Print Group, Southern Graphics Council. LAPS has had a long and illustrious history in the Los Angeles arts community. Become an active member and join the Board.

The Los Angeles Printmaking Society invites its members to join our yahoo group. This voluntary group listing will allow members to share information with each other. This forum can be used to announce personal exhibitions, upcoming workshops, presses for sale or any other projects or questions related to printmaking in Southern California. To sign up go to the following page and hit the join this group button on the right hand side of the screen. Yahoo will guide you through the process.

http://www.laprintmaking.com

 

Magical Secrets, A Printmaking Community

magical_secrets_galeria_de_gravura

A Crown Point Press é especializada em impressão em baixo relevo. Para fazer uma impressão em relevo, o artista primeiro desenha em uma placa de cobre usando uma ferramenta afiada e / ou materiais como sabão, açúcar, alcatrão ou cera. Nós gravamos a imagem na placa usando ácido. Finalmente, uma impressora empurra a tinta manualmente para a placa e limpa a superfície. A imprensa força o papel no prato para fazer a impressão. Uma borda da placa visível mostra que a imagem está gravada no papel.

Como editora e impressora de gravuras de belas artes desde 1962, a Crown Point Press está empenhada em manter o meio de intaglio vivo. Fazemos isso através de nossos livros técnicos sobre gravura, tours de nosso estúdio e galeria, e através deste site, que enfoca o processo criativo e a arte e artesanato da gravura, principalmente gravura. Neste site você encontrará descrições de técnicas usadas no estúdio de gravação da Crown Point Press, dicas e truques de nossas principais impressoras e vídeos de artistas trabalhando e conversando sobre o processo. Você pode ver um arquivo on-line de nossas impressões publicadas no website dos pais da Magical Secrets: Crown Point Press.

Crown Point Press specializes in intaglio printing. To make an intaglio print, the artist first draws on a copper plate using a sharp tool and/or materials like soap, sugar, tar or wax. We etch the image into the plate using acid. Finally, a printer pushes ink by hand into the plate and wipes the surface clean. The press forces the paper into the plate to make the print. A visible plate edge shows that the image is embossed into the paper.

As a publisher and printer of fine art etchings since 1962, Crown Point Press is committed to keeping the medium of intaglio alive. We do this through our technical books on printmaking, tours of our studio and gallery, and through this website, which focuses on the creative process and the art and craft of printmaking, primarily etching. On this website you will find descriptions of techniques used in the Crown Point Press etching studio, tips and tricks from our master printers, and videos of artists working and talking about the process. You can view an online archive of our published prints on the Magical Secrets parent website: Crown Point Press.

https://magical-secrets.com/

https://www.facebook.com/Crown-Point-Press-161959307190473/

www.instagram.com/crownpointpress/

https://www.youtube.com/user/CrownPointPress/

 

Maryland Printmakers

Fundada em 1989 por Sam Peters e John Sparks, a Maryland Printmakers é uma organização que educa o público sobre as técnicas, a natureza e as funções da gravura, e incentiva e avança a arte da gravura. Maryland Printmakers, Inc., é uma corporação beneficente sem fins lucrativos.

O objetivo da organização é promover a gravura para o público em geral e artistas que trabalham na mídia através do patrocínio do seguinte: exposições juried, não juried e itinerante, um registro de slides, um boletim informativo, palestras de caridade e educacionais, demonstrações e programas. A associação está aberta a qualquer indivíduo comprometido com a promoção da gravura. A Maryland Printmakers atualmente tem mais de 250 membros internacionalmente.

A Maryland Printmakers é membro da American Print Alliance, um consórcio sem fins lucrativos de conselhos de imprensa nos Estados Unidos e no Canadá. A Aliança publica uma revista de literatura crítica sobre as artes impressas e um guia para oficinas de gravura, expõe curadorias, fornece informações e é um defensor de impressões, papéis e artes do livro.

Founded in 1989 by Sam Peters and John Sparks, Maryland Printmakers is an organization that educates the public concerning the techniques, nature and functions of printmaking, and encourages and advances the art of printmaking. Maryland Printmakers, Inc., is a charitable non-profit corporation.

The objective of the organization is to promote printmaking to the general public and artists working in the media through sponsorship of the following: juried, non-juried and traveling exhibits, a slide registry, a newsletter, charitable and educational lectures, demonstrations and programs. Membership is open to any individual committed to the promotion of printmaking. Maryland Printmakers currently has more than 250 members internationally.

Maryland Printmakers is a member of the American Print Alliance, a non-profit consortium of printmakers’ councils in the United States and Canada. The Alliance publishes a journal of critical literature about the print arts and a guide to printmaking workshops, curates exhibitions, provides information and is an advocates for prints, paperworks and book arts.

http://www.norsecode.com

www.facebook.com/Maryland-Printmakers-109112815782361/

http://www.marylandprintmakers.org/

 

Mid America Print Council

 

mgene_galeria_de_gravura
Promover a conscientização e valorização das formas tradicionais e contemporâneas de gravura.

Promoting awareness and appreciation of traditional and contemporary forms of printmaking.

https://midamericaprintcouncil.org/

www.facebook.com/pages/Mid-America-Print-Council/1109715315711008

Monotype Guild of New England

Dedicado à arte da impressão única, o Monotype Guild of New England é uma organização nacional sem fins lucrativos que promove a compreensão e a apreciação de monotipos e monoprints. Patrocina exposições, workshops e outros programas especiais para seus membros e para o público.

Os membros recebem notícias de oportunidades por meio de explosões de e-mail regulares, além de serem postadas no site do Guild. Imagens por membros são apresentadas em uma galeria online. Atualmente, existem mais de 200 membros, que são voluntários para o Conselho, além de deveres de exposições e workshops. Não há exigência de júri para associação.

O Grêmio patrocinou mais de 100 exposições abertas, juradas e curadas em seus trinta anos de história. Essas exposições mostram o trabalho de nossos membros e monoprinters em todo o país, revelando a diversidade de técnicas de monoprinting tradicionais e inovadoras usadas atualmente. Por exemplo, o Grêmio participou de uma exposição internacional de intercâmbio com artistas impressos exclusivos da Austrália Ocidental. Esta exposição conjunta visitou cinco galerias e museus na Austrália e quatro na Nova Inglaterra.

Fundada em 1985 por Beverly Edwards, a Monotype Guild of New England é uma organização sem fins lucrativos. A MGNE recentemente introduziu duas novas classes de membros para incluir artistas estudantis e membros de apoio. Agora aberto a artistas nos Estados Unidos, o Clã atualmente tem membros de artistas de sete estados fora da Nova Inglaterra, bem como membros de todos os seis Estados da Nova Inglaterra.

Dedicated to the art of the unique print, the Monotype Guild of New England is a national, nonprofit organization that fosters understanding and appreciation of monotypes and monoprints. It sponsors exhibitions, workshops, and other special programs for its members and the public.

Members receive news of opportunities through regular email blasts, as well as being posted on the Guild website. Images by members are featured in an online gallery. Currently there are over 200 members, who volunteer for the Board as well as exhibition and workshop duties. There is no jurying requirement for membership.

The Guild has sponsored over 100 open, juried and curated exhibitions in its thirty year history. These exhibitions showcase the work of our members and monoprinters throughout the country, revealing the diverse range of traditional and innovative monoprinting techniques being used today. For example, the Guild participated in an international exchange exhibition with unique print artists from Western Australia. This joint exhibition toured five galleries and museums in Australia and four in New England.

Founded in 1985 by Beverly Edwards, the Monotype Guild of New England is a nonprofit organization. MGNE recently introduced two new classes of membership to include student artists and sustaining members. Now open to artists throughout the United States, the Guild currently has artist members from seven states outside of New England, as well as members from all six New England States.

http://mgne.org/

https://www.facebook.com/MonotypeGuildNE/

https://www.instagram.com/MonotypeGuildNE/

 

Print Club Of Rochester

 the_print_club_rochester_galeria_de_gravura 

Clube de impressão

O Print Club of Rochester é uma organização dedicada à promoção de gravuras de belas artes. Existente desde 1930, é um dos mais antigos clubes impressos em circulação nos Estados Unidos.

O clube oferece demonstrações educacionais, workshops e palestras. Os membros são convidados a participar de nossa Exposição anual de jurados. A associação é aberta a artistas, colecionadores e entusiastas de impressão.

Desde a sua criação, o Print Club de Rochester contratou anualmente um artista proeminente, muitos de status nacional e internacional, para criar uma edição original de impressões para nossos assinantes.

Como organização sem fins lucrativos, o Print Club de Rochester conta com contribuições e doações de filiados para financiar projetos, eventos e atividades para promover artistas e gravadoras.

Print Club

The Print Club of Rochester is an organization devoted to the promotion of fine art printmaking.  In existence since 1930, it is one of the longest continually running print clubs in the United States.

The club offers educational demonstrations, workshops and lectures.  Members are invited to participate in our annual juried Members Exhibition.  Membership is open to artists, collectors and print enthusiasts.

Since its inception, the Print Club of Rochester has annually commissioned a prominent artist, many of national and international status, to create an original edition of prints for our subscribers.

As a non-profit organization, the Print Club of Rochester relies on membership dues and donations to fund projects, events and activities to promote artists and printmaking.

https://www.printclubofrochester.org/

https://www.facebook.com/PCoR.NY1930/

 

Southern Graphics Council

the_university_of_tennesse_chattanooga_galeria_de_gravura
A Universidade do Tennessee em Chattanooga é um modelo nacional para as universidades metropolitanas. Em colaboração com os nossos muitos parceiros regionais, oferecemos aos nossos alunos um ambiente de aprendizagem experiencial agraciado com excelentes professores de ensino em programas de bacharelado, mestrado e doutorado.

The University of Tennessee at Chattanooga is a national model for metropolitan universities. In collaboration with our many regional partners, we offer our students an experiential learning environment graced with outstanding teaching scholars in bachelor’s, master’s, and doctoral programs.

https://www.utc.edu/

 

New York Society of Etchers

the_new_york_society_of_etchers_galeria_de_gravura
Sobre nós BEM VINDA! A Sociedade de Nova York de Etchers, Inc. foi concebida pela primeira vez em 1998 como uma plataforma para fornecer oportunidades de exibição para especialistas em gravura em relevo em Nova York. Hoje a sociedade é uma organização impressa internacionalmente reconhecida, com dezenas de grandes exposições para o nosso crédito. Atualmente, há cerca de duzentos e setenta e cinco gravadores em todo o estado de Nova York com uma variedade de interesses, experiências e influências que participam das atividades de nosso grupo. A Sociedade foi organizada no espírito de um grupo predecessor conhecido como o New York Etchers Club, fundado em 1877. Hoje, nossa declaração de missão publicada define o grupo como o de uma sociedade exibicionista, que é igualmente dedicada a documentar um grande conjunto de publicações contemporâneas. trabalhar com reproduções fotográficas de obras expostas. Os catálogos da sociedade também servem de registo permanente, incorporando entrevistas com membros respeitados da comunidade de gravura, ensaios escritos por artistas gráficos sobre as suas experiências como artistas visuais, fotografias das nossas instalações de exposição e, em muitos casos, fotos dos artistas. Os catálogos se esforçam ainda mais para tomar nota das mudanças nas várias abordagens técnicas e tendências na gravura artística; abordar o impacto da tecnologia em nossas atividades e organização; observe a passagem de números significativos na história da gravura de Nova York; e, até certo ponto, observar os tempos. Nunca há prêmios em dinheiro ou prêmios materiais oferecidos a artistas expositores. Em vez disso, acreditamos firmemente que a realização de cooperar com outros artistas ao exibir a melhor obra de arte possível é recompensa suficiente por si só. Os jurados da exposição anunciados publicamente estão acima de qualquer crítica, e os processos de seleção impressa são sempre estritamente anônimos – os jurados podem conhecer apenas o tamanho, o meio e o título de uma obra em consideração. Consequentemente, alguns artistas não são atraídos pelas nossas atividades. Apesar de tudo, a Sociedade New York de Etchers inspirou um grande número de talentos em todos os níveis de carreira, levando a exposições e recepções que brilham.

About Us

WELCOME! The New York Society of Etchers, Inc. was first conceived in 1998 as a platform for providing exhibition opportunities to intaglio printmaking specialists in New York City.  Today the society is an internationally recognized artist-run print organization with dozens of major exhibitions to our credit. Currently there are some two hundred and seventy-five printmakers across New York State with a variety of exhibiting interests, experience and influence that participate in our group’s activities.

The Society was organized in the spirit of a predecessor group known as the New York Etchers Club founded in 1877.  Today, our published mission statement defines the group as that of an exhibiting society, which is equally dedicated to documenting a large body of contemporary print work with photographic reproductions of exhibited works. The society’s catalogues also serve the permanent record by incorporating interviews with respected members of the printmaking community, essays written by graphic artists about their experiences as visual artists, photographs of our exhibition installations and in many cases pictures the artists.  The catalogues further strive to make note of changes in the various technical approaches and trends in artist printmaking; address the impact of technology on our activities and organization; note the passing of significant figures in New York printmaking history; and, to some extent remark on the times.

There are never cash prizes or material awards offered to exhibiting artists.  Instead, we believe strongly that the achievement of cooperating with fellow artists in exhibiting the best artwork possible is reward enough in itself. The publicly announced exhibition jurors are above reproach, and the print selection processes always strictly anonymous – jurors may know only the size, medium and title of a work under consideration.  Consequently, some artists are not attracted to our activities. Though it all, The New York Society of Etchers has inspired a large following of talent at every career level prompting exhibitions and receptions that shine.

http://www.nysetchers.org/

https://www.facebook.com/newyorksocietyofetchers/

 

The Printmakers of Cape Cod

the_printmakers_of_cape_cod_galeria_de_gravura

Sobre

Os impressores de Cape Cod foram organizados em 1976 para incentivar, auxiliar e promover a gravura em Cape Cod, bem como para oferecer oportunidades educacionais para novos impressores, colecionadores e outros interessados ​​em gravuras originais.

Printmakers de Cape Cod patrocina workshops, exposições e outros eventos durante o ano. Oficinas recentes incluíram monotipia à base de óleo e água, xilogravura, gravura e impressão de viscosidade.

Os eventos sociais incluem inaugurações de exposições, jantares ocasionais, viagens de ônibus e o Almoço de Piquenique da Reunião Anual e Troca de Impressões. Esses eventos oferecem oportunidades informais para compartilhar informações e desenvolver amizades exclusivas com outros impressores.

About

Printmakers of Cape Cod was organized in 1976 to encourage, assist, and promote printmaking on Cape Cod as well as to provide educational opportunities for new printmakers, collectors, and others interested in original prints.

Printmakers of Cape Cod sponsors workshops, exhibitions, and other events during the year. Recent workshops have included oil- and water-based monotype, woodcut, etching, and viscosity printmaking.

Social events include exhibition openings, occasional potluck dinners, bus trips, and the Annual Meeting Picnic Lunch and Print Swap. These events provide informal opportunities for sharing information and developing unique friendships with other printmakers.

http://www.printmakersofcapecod.org/

 

World Printmakers

Prensas para gravura vêm em todos os tamanhos e formas, e as prensas da Halfwood Line foram projetadas para trazer a experiência da impressão para mais pessoas, mais maneiras, do que nunca. As Halfwood Presses são lindas como obras de arte em si e adequadas ao mundo em mutação, além de considerações para trazer experiências de gravura para os mais jovens.

Faça uma escolha no menu suspenso acima e veja a disponibilidade de vídeos também.

Presses for printmaking come in all sizes and shapes, and presses of the Halfwood Line have been designed to bring the printmaking experience to more people, more ways, than ever before. Halfwood Presses are beautiful as artworks in themselves and suitable to the changing world plus considerations for bringing printmaking experiences to the very young.

Make a choice from the drop-down menu, above, and watch for availability of videos, too.

http://www.printmakingworld.com/

https://www.facebook.com/Printmakers-in-the-World-346627942164077/

 

IFPDA (International Fine Print Dealers Association)
A International Fine Print Dealers Association (IFPDA) é a autoridade em impressões de arte e seu conhecimento e coleção. Agora, com mais de 160 membros em treze países, os membros da IFPDA refletem uma comunidade mundial de revendedores de arte especializados de antigos mestres a contemporâneos, bem como editores de edições de artistas contemporâneos de renome internacional. Através de sua rede, presença on-line e programas públicos, o IFPDA promove o conhecimento e estimula a discussão sobre a coleta de impressões na esfera pública e na comunidade artística global. A Feira de Belas Artes da IFPDA, realizada anualmente na cidade de Nova York, é a maior e mais celebrada feira de arte dedicada ao meio artístico da gravura. O prêmio anual IFPDA Book Award homenageia a excelência acadêmica e a pesquisa original. A IFPDA também promove pesquisa, educação e diálogo para uma nova geração por meio de sua Fundação beneficente.

The International Fine Print Dealers Association (IFPDA) is the authority on fine art prints and their connoisseurship and collection.

Now with more than 160 members in thirteen countries, members of the IFPDA reflect a worldwide community of expert art dealers from old master to contemporary as well as publishers of editions by internationally renowned contemporary artists.

Through its network, online presence, and public programs, the IFPDA fosters knowledge and stimulates discussion about collecting prints in the public sphere and the global art community. The IFPDA Fine Art Print Fair, held annually in New York City, is the largest and most celebrated art fair dedicated to the artistic medium of printmaking. The annual IFPDA Book Award honors scholarly excellence and original research. The IFPDA also advances research, education, and dialogue for a new generation through its charitable Foundation.

http://www.ifpda.org/

https://www.facebook.com/IFPDAdotORG/

 

IPCNY (International Print Center New York)

MISSÃO

O Centro Internacional de Impressão de Nova York (IPCNY) é a principal instituição de arte sem fins lucrativos de Nova York dedicada à apresentação inovadora de gravuras de artistas emergentes, estabelecidos, nacionais e internacionais. Fundado em 2000, o centro de impressão é um centro vibrante e espaço de exposições localizado no distrito de galerias de Chelsea, em Nova York. A abordagem centrada no artista do IPCNY engaja o meio em todo o seu potencial variado, e inclui exposições com curadoria de convidados que apresentam uma nova e dinâmica bolsa de estudos, bem como cópias semestrais bienais do trabalho criadas nos últimos doze meses. Uma gama animada de programas públicos atrai o público mais profundamente com os trabalhos expostos. Uma instituição 501 (c) (3), o IPCNY depende da fundação, do governo e do apoio individual, bem como das contribuições dos membros para financiar seus programas.

HISTÓRIA

O IPCNY foi fundado pelo Conselho de Regentes do Estado de Nova York em 1995 sob a liderança visionária da fundadora Anne Coffin. Sua primeira temporada completa de atividades foi lançada em 2000 com a Hard Pressed: 600 anos de estampas e processos, nossa exposição inaugural na Galeria AXA, no centro da cidade. No mesmo outono, o IPCNY inaugurou seu próprio espaço para exposições em Chelsea com uma mostra jurada de gravuras contemporâneas, a primeira de mais de 50 exposições New Prints que foram reconhecidas por financiadores, incluindo o National Endowment for the Arts, Conselho de Artes de Nova Iorque. , Departamento de Assuntos Culturais de Nova York, Fundação Andy Warhol para Artes Visuais, Fundação para Artes Contemporâneas e Fundação Areté. Em 2010, o IPCNY mudou-se para um espaço maior, onde mostramos novos trabalhos de mais de 1.600 artistas e desenvolvemos mais de 30 exposições curadas. Em 2007, o IPCNY adicionou um Spring Benefit Dinner às suas iniciativas de angariação de fundos e homenageamos três distintos membros da comunidade de gravura todos os anos.

Tendo contratado sua segunda diretora, Judy Hecker, em 2016, do Departamento de Desenhos e Impressões do Museu de Arte Moderna de Nova York, e aproximando-se do seu 20º aniversário, o IPCNY entrou em um emocionante próximo capítulo. A visão desse capítulo se baseia na missão central da IPCNY, aprofundando sua abordagem centrada no artista, explorando o papel das impressões em práticas artísticas e culturais mais amplas e envolvendo as comunidades de artistas internacionais.

MISSION

International Print Center New York (IPCNY) is New York’s flagship non-profit arts institution dedicated to the innovative presentation of prints by emerging, established, national, and international artists. Founded in 2000, the print center is a vibrant hub and exhibition space located in New York’s Chelsea gallery district. IPCNY’s artist-centered approach engages the medium in all its varied potential, and includes guest-curated exhibitions that present dynamic, new scholarship as well as biannual New Prints open calls for work created in the last twelve months. A lively array of public programs engages audiences more deeply with the works on display. A 501(c)(3) institution, IPCNY depends on foundation, government, and individual support, as well as members’ contributions to fund its programs.

HISTORY

IPCNY was chartered by the Board of Regents of New York State in 1995 under the visionary leadership of founder Anne Coffin. Its first full season of activities was launched in 2000 with Hard Pressed: 600 Years of Prints and Process, our Inaugural Exhibition at AXA Gallery in midtown. That same fall, IPCNY opened its own exhibition space in Chelsea with a juried show of contemporary prints, the first of more than 50 New Prints exhibitions which have been recognized by funders including the National Endowment for the Arts, New York State Council on the Arts, NYC Department of Cultural Affairs, the Andy Warhol Foundation for the Visual Arts, Foundation for Contemporary Arts, and Areté Foundation. In 2010, IPCNY moved to a larger space, where we have shown new work by over 1,600 artists, and developed over 30 curated exhibitions. In 2007, IPCNY added a Spring Benefit Dinner to its fundraising initiatives, and we have honored three distinguished members of the printmaking community every year.

Having hired its second Director, Judy Hecker, in 2016 from the The Museum of Modern Art, New York, Department of Drawings & Prints, and approaching its 20th anniversary, IPCNY has entered an exciting next chapter. The vision for that chapter builds on IPCNY’s core mission, deepening its artist-­centered approach, exploring the role of prints within broader artistic and cultural practice, and engaging international artist communities.

https://www.ipcny.org/

https://www.facebook.com/internationalprintcenter/

 

Portugal 

Guilhotina Atelier de Gravura. Porto, Portugal.

Fundado por Ana Torrie abre em 2013 ao público o atelier guilhotina, oficina de gravura edição e impressão de obra gráfica original.

O Atelier Guilhotina aflora cheio de viço em 2013, desenvolvendo trabalhos de pesquisa e produção artística no domínio das artes gráficas. Tendo promovido oficinas, exposições e residências artísticas, foi então que decidiu galgar até Gaia para da Casa da Imagem tornar, com lhaneza, sua casa.

Cativados, mais que cativos, pela absorção langorosa dos processos de técnicas de impressão, pois lançadas as cabeças como canas, dedos como iscos, para doutros lugares trazer novos mundos. Congeminaram juntos muitas ideias ligadas às técnicas de Impressão, como o P.A. – Prova de Artista – Encontro Internacional de Gravuristas, Impressores e Editores que vai já na 5ª edição, a Chapa Azul, e Edgar Van Print – uma carrinha oficina itinerante de técnicas de impressão.

Membros: Ana Torrie

Nasceu em 1982.

Em 2007, finaliza a Licenciatura em Escultura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Incentivada pelo pai a prosseguir o seu desenvolvimento artístico fora do Portugal parte para a Polónia e é quando tem o seu primeiro contacto com a gravura na Akademia Sztuk Pieknych Im. Jana Matejiki.2008, ainda na Polónia, marca o início de um novo ciclo na sua obra com Edgar, http://anatorrie.tumblr.com/edgar. De volta a Portugal quase que se torna Mestre gravadora no Mestrado de Técnicas de Impressão das Belas Artes do Porto, o qual interrompe para se estabelecer no Brasil depois de conhecer e trabalhar com o Mestre litógrafo Kazuo Iha. Funda o atelier Guilhotina http://guilhotinaprint.tumblr.com– uma oficina de gravura edição e impressão de obra gráfica original, onde pretende desenvolver e promover um conjunto de práticas de impressão e auto-edição, oferecendo um vasto leque de workshops, residências e exposições. O projecto mais recente foi o P.A. – Encontro internacional de gravadores e impressores que trouxe gravadores de Portugal, Cuba, Brasil, Espanha estabelecendo parceria com diversas associações, instituições e Museus (https://provadeartista.weebly.com/). Desenvolveu como tese de Mestrado o projecto Chapa Azul, uma carrinha com uma oficina  móvel de técnicas de impressão.  Onde desenvolveu durante dois anos, junto com Mariana Barrote e Walter Almeida uma série de oficinas de Técnicas de Impressão em Escolas, Museus e na Rua. Prossegue agora com um novo projecto – Edgar Van Print.

https://www.facebook.com/guilhotinaprint/

Contacto: anatorrie@gmail.com

guilhotinaprint@gmail.com

http://guilhotinaprint.tumblr.com/

 

Contraprova. Atelier de Gravura. Lisboa, Portugal.

 

rede-de_arte_e_oficio_de_lisboa_galeria_de_gravura

Lira Nordestina – (Juazeiro do Norte – Cariri).

 

lira_nordestina_galeria_de_gravura

 

A Lira Nordestina, antiga Tipografia São Francisco, localizada em Juazeiro do Norte – CE é um dos espaços mais antigos e famosos do Brasil em termos de produção de cordel e xilogravura. Entre os

CONTRAPROVA foi criada em 2008, na tentativa de suprir a falta de um atelier de gravura em Lisboa onde os sócios tivessem acesso sem restrições de horário; o estúdio promove actualmente projectos editoriais e actividades educativas para públicos diversamente especializados, trabalhando para que a gravura possa voltar a ter uma voz activa no domínio das actividades culturais em Portugal.

(Agradecimentos especiais: Família da artista Ilda Reis – Ana Matos (Galeria das Salgadeiras), Família da artista Alice Jorge – Alexandre Pomar, escritora Adília Lopes, e artista David de Almeida)

Morada:

Rua do Garrido 62 (Alameda), 1900-221 Lisboa.

contraprova.gravura@gmail.com

https://www.facebook.com/ContraprovaGravura/

http://contraprova-gravura.blogspot.com/

https://www.instagram.com/explore/locations/1016875406/contraprova-atelier-de-gravura/

 

Sociedade Cooperativa dos Gravadores Portugueses – GRAVURA

as_causas_da_julia_galeria_de_gravura

Sobre a História da Gravura em Portugal

Era assim que se chamava e foi criada no dia 20 de Julho de 1956. Não só uma cooperativa mas também uma sociedade para driblar os censores. Terminavam as Gerais de Artes Plásticas (1946-1956) e tinha início uma experiência pioneira que veio inovar e revolucionar o fazer e o divulgar da arte e dos artistas portugueses.

Com a GRAVURA a arte alcançou a necessária democratização e os objectivos que já vinham das EGAP´s: chegar ao maior número de pessoas possível. Para isso se uniram esforços e se fizeram experiências, aprendeu-se e ensinou-se a Gravura, modalidade que nem sequer a Escola de Belas Artes contemplava.

Levou-se a arte ao mais recôndito do país através de exposições itinerantes onde democraticamente todos os artistas colaboravam. Lembro do Sá Nogueira me dizer que foi das experiências mais gratificantes que teve, poder levar uma exposição a Castelo Branco, por exemplo, e dialogar com os estudantes locais sobre problemas artísticos. Muitos jovens foram por elas influenciados.

Por outro lado, entraram para sócios artistas há muito afastados das EGAPs e outros que nunca lá tinham exposto, como o Almada, por exemplo.

Aqui fica uma fotografia de Alice Jorge a iniciar o “Mestre” com o apoio de Júlio Pomar.

http://ascausasdajulia.blogspot.com/2008/07/sociedade-cooperativa-dos-gravadores.html

https://run.unl.pt/handle/10362/5700

 

Atelier Paiva Raposo. Porto Portugal.

atelier_paiva_raposo_galeria_de_gravura

Este Atelier iniciou o seu funcionamento em 1990 com uma sequência de Cursos de Iniciação à Pintura e à Gravura que se têm vindo a realizar de forma regular ao longo dos últimos 28 anos. O objectivo visou sempre a formação artística numa perspectiva de contemporaneidade ao nível da Pintura e da Gravura.

O funcionamento da oficina de Gravura e a metodologia aplicada ao ensino desta tecnologia, tem-se regido por uma constante preocupação de contemporaneidade numa perspectiva em que a tecnologia da Gravura se torna pólo aglutinador de experimentalismos e, ao mesmo tempo, incentivador de discursos personalizados quer a nível gráfico, quer noutras áreas de expressão plástica.

Desde há 2 anos, este Atelier mantém uma parceria com O Ponto das Artes – Quadrimóvel funcionando numa excelente sala na sede da empresa, a megastore em Agualva-Cacém.

Para além dos Cursos de Iniciação (Pintura-Gravura) que se realizam, de um modo geral em Março e em Julho, todos os anos, este Atelier-oficina encontra-se em funcionamento de Setembro a Julho para alunos regulares — ver Cursos. Este Atelier-oficina encontra-se envolvido, anualmente, em vários projectos de exposições em Portugal e no estrangeiro.

https://atelierpaivaraposo.weebly.com/

 

Associação de Gravura Água-forte. Lisboa, Portugal

História

A Associação de Gravura Água-Forte surge do encontro de um pequeno grupo de gravadores, cujo objectivo principal se resume em fazer e divulgar a Gravura.

Em 1999, nove gravadores Amélia Soares, Fátima Ferreira, Helena Cunha, Inez Wijnhorst, Isabel Pyrrait, Madalena Fonseca, Richard de Luchi, Teresa Pato e Tereza Morgado montam e partilham uma oficina em Lisboa, no piso térreo de uma casa antiga, localizada entre os bairros da Estrela e de São Bento.

A história da Associação começaria com um pequeno anúncio afixado na parede da Cooperativa de Gravadores Portugueses, em cuja oficina frequentemente alguns dos membros se encontravam para trabalhar. Tratava-se de um anúncio da venda de uma prensa em segunda mão.

Na sequência da aquisição dessa prensa, viria a nascer a Associação de Gravura Água-Forte, em 2000. O espaço integra hoje, para além da oficina de gravura, uma pequena galeria onde se realizam periodicamente, exposições na área da gravura e das artes gráficas.

São objetivos principais a criação e a divulgação da gravura nas suas principais vertentes, o intercâmbio com gravadores portugueses e estrangeiros, o estudo e a divulgação de técnicas tradicionais e a experimentação na gravura, nomeadamente a pesquisa e a utilização de materiais menos tóxicos na sua execução.

Nesse mesmo ano, entre 1999 e 2000 a gravadora Mami Higuchi integrou a nossa Associação, sendo a primeira associada da Água-Forte após a fundação da Associação e tendo contribuído profundamente para o seu desenvolvimento, muito especialmente no que se refere aos intercâmbios entre Portugal e o Japão e aos contactos com gravadores japoneses que viriam posteriormente, a realizar workshops na nossa oficina. Mais tarde, ela própria fundaria em conjunto com a gravadora Júlia Pintão a Matriz, Associação de Gravadores do Porto, cidade para onde foi residir, tendo-se desenvolvido até hoje uma estreita colaboração entre ambas as Associações.

Atualmente a Associação de Gravura Água-Forte conta com oito membros, Amélia Soares, Ana Galvão, Fátima Ferreira, Manuel Lopes, Madalena Fonseca, Margarida Lourenço, Teresa Pato e Tereza Morgado, entre os quais se contam cinco fundadores.

Contudo, Madalena Fonseca encontra-se ausente do país, em situação de indisponibilidade temporária.

https://www.agua-forte.com/pt/

 

Matriz- Associação de Gravura do Porto

matriz_associacao_de_gravura_do_porto_galeria_de_gravura

Associação composta por artistas que se dedicam a gravura artística: Acácio de Carvalho, Céu Costa, Júlia Pintão, Mamy Higuchi, Ricardo da Silva , e dois colaboradores e apoiantes João Pedro Pedroso e António Pimenta. Membros Honorários: Dacos – Gravador, Elisabeth Sackler, Henrique Silva – Pintor, Jules Maidoff – Pintor / Gravador. Amigos da Matriz: Ana Carvalho Milú Sardinha Olga Barbosa Gina Chaves Domingas Vasconcelos Alice Fernandes Amélia Macedo.

http://matrizassociaodegravuradoporto.blogspot.com/

 

Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual

 centro_de_arte_e_comunicacao_visual_galeria_de_gravura 

O Ar.Co nasceu em 1973 como escola de arte independente dedicando-se à experimentação, à formação e à divulgação das artes, artesanias e disciplinas da comunicação visual.

Ontem como hoje, a natureza alternativa do projecto pedagógico centra-se numa forte ênfase conferida à experimentação prática, na promoção de uma atmosfera escolar pluridisciplinar e numa concepção do ensino artístico como servindo os mais diversos públicos e objectivos.

As suas principais áreas de formação – Desenho, Pintura, Fotografia; Joalharia; Cerâmica; Ilustração/Banda Desenhada; Cinema/ Imagem em movimento; História e Teoria da Arte; Projectos Individuais e multi-disciplinares – contribuem para uma oferta que se traduz, quer num treino completo, profissionalizante e competitivo, quer em oportunidades pontuais de sensibilização ou reciclagem, não descurando as dimensões de aprendizagem técnica e de experiência terapêutica.

A par da formação e como parte integrante desta, o Ar.Co promove encontros e conferências com especialistas numa vasta gama de áreas, realiza exposições públicas incidindo sobre a produção escolar e, ciclicamente, sobre a produção nacional e internacional de uma ou várias das suas áreas disciplinares.

O Ar.Co mantém relações de colaboração com outras escolas e entidades institucionais e privadas, nacionais e internacionais, visando a promoção de iniciativas no contexto dos seus objectivos e vocação.

O Ar.Co é uma associação cultural, sem fins lucrativos, de utilidade pública.

https://arco.pt/site/pt

www.facebook.com/pg/arcocentrodearte

 

 

Atelier Cabine

 

atelier_cabine_galeria_de_gravura

 

O Atelier Cabine é um espaço de trabalho coletivo dedicado à prática oficinal artística de joalharia e de gravura e ao exercício e ensino das atividades de expressão plástica. O projeto visa o desenvolvimento do trabalho autoral dos artistas residentes, sendo simultaneamente anfitrião de atividades expositivas. Fazem parte Ana Rafael, Hugo Bernardo e Marília Maria Mira. A primeira vez que Ana Rafael fez gravura foi na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, enquanto frequentava o curso de pintura, tendo passado mais tarde também pelo Ar.Co – Centro de Comunicação Visual, onde passou a explorar melhor o meio. Quando termina o curso adquire uma prensa, onde tem exercido a prática. O seu interesse neste suporte reside no resultado final da gravura, que permite fazer sulcos no papel, a chamada Gravura Cega ou Relevo. Entre os seus trabalhos mais relevantes, relembra a exposição de recortes em papel aliados a objetos tridimensionais, realizada em 2014. Os seus clientes são artistas plásticos e colecionadores.

A atividade de artista plástico de Hugo Bernardo é focada no desenho e na pintura e a gravura surge em 2006, no Ar.Co – Centro de Comunicação Visual, ao trabalhar com Hugo Amorim, tendo trabalhado posteriormente também com Constança Meira. Em rigor, o suporte da gravura é um mecanismo de artes plásticas, algo que permite criar com uma organização extremamente oficinal, em que tem de se respeitar etapas e cuja exigência técnica permite um resultado muito específico.

Hoje, com a democratização das imagens através dos meios digitais a possibilidade de imprimir é gigantesca, portanto, a gravura, enquanto meio de cópia e reprodução desaparece, e adquire outro estatuto, o da exploração de provas únicas com um acabamento visual e gráfico inconfundível. Como trabalho mais relevante menciona a exposição Monotipias, figuras isoladas em espaços abstratos, exposto na Galeria Alecrim 50 em 2014. Os seus clientes são essencialmente colecionadores, que compram por demanda pessoal, e curiosos, tendo clientes regulares e irregulares.

Marília Mira tirou o curso de Joalharia no Ar.Co – Centro de Comunicação Visual entre 1982 e 1987, a que se seguiu a Escola Massana d’Art i Disseny, em Barcelona, iniciando o seu percurso profissional quando regressa a Portugal, em 1988. Começou por montar ateliê em casa e, em 1994, abre uma oficina com Stefano Maroschek. Faz uma residência no espaço de Leonor Keil e, mais tarde, volta à oficina nas traseiras do Castelo de São Jorge, agora Oficina Catarina Dias, como artista convidada. A possibilidade de integrar o Atelier Cabine surge entretanto. Para além da sua prática de Joalharia, dá aulas no Ar.Co – Centro de Comunicação Visual e na Escola Artística António Arroio. Entre os seus trabalhos mais relevantes refere: corações feitos com pele de tubarão para usar nas mãos; coleção de contentores de cheiro: objeto portável no corpo que permitia que a pessoa adquirisse um cheiro ambiental; trabalhos com fotografia impressa em diversos materiais como organza; Sala 66, integrado num evento realizado no Museu de Arte Antiga, em que escolheu a sala 66 (Sala Patinho), retirando pequenos pontos e transformando em imagem esmaltada que transformou em pendentes. Os seus clientes são pessoas que fazem encomendas de objetos que os próprios desenharam, ou pessoas que adquirem as suas próprias criações, sempre particulares.

Num espaço que era uma antiga padaria, foram feitas adaptações para funcionar como ateliê de joalharia e de gravura e para permitir dar cursos de pintura, de desenho e de gravura. A acessibilidade ao ateliê é determinante. Um ateliê no centro tem associado um valor histórico e simbólico: no século XIX muitos edifícios tinham as habitações em cima e as lojas em baixo. Aqueles que se dedicam às Artes e Ofícios têm a responsabilidade de trabalhar com coisas que têm um valor ancestral. Há um trabalho de preservação a fazer para que estes saberes-fazer específicos não desapareçam.

atelier.cabine@gmail.com

https://www.facebook.com/ateliercabine/

https://www.publico.pt/2017/04/21/p3/cronica/duplo-espaco-o-atelier-de-ana-rafael-atelier-cabine-1827953

http://www.castelodif.com/atelier-cabine-aaa2017.html

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/atelier-cabine_22

https://www.redearteseoficios.pt/

 

Artes e Letras Atelier

Pequeno laboratório tipográfico experimental.

Small letterpress experimental studio.

Rua da Porta da Vila – Óbidos & Rua dos Poiais de São Bento, 90 – Lisboa – Portugal

https://www.facebook.com/atelierarteseletras/

arteseletrasatelier@gmail.com

www.behance.net/Idesenhos

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/artes-e-letras-atelier_20

https://www.instagram.com/arteseletrasatelier/

https://arteseletrasatelier.tumblr.com/

https://www.redearteseoficios.pt/

 

Carapau Amarelo

Maria Boavida tira o curso de Design Gráfico no Ar.Co – Centro de Comunicação Visual, em Lisboa e, quando termina, trabalha na área durante cerca de dois anos, nomeadamente na Oficina de Museus. Nesse período, sente vontade de voltar ao desenho e ao trabalho manual e faz um curso de Ilustração no CIEAM – Centro de Investigação e de Estudos de Arte e Multimédia da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, onde tem o primeiro contacto com a Encadernação. Segue-se um mestrado de Ilustração na Falmouth University, em Inglaterra, que funcionava à base de projetos individuais e que lhe permitiu experimentar articuladamente várias técnicas, desde a Gravura, a Litografia, a Serigrafia à Fotografia, etc. Decide imediatamente aprender a fundo Gravura e Serigrafia. Os seus primeiros trabalhos foram projetos de grandes dimensões, de forma a poder aprender a dominar bem a técnica. Percebeu que, tendo já tirado o curso de design gráfico, onde aprendeu as técnicas de Tipografia e Gravura, o processo trabalho lhe ficava mais acessível.

Ao mesmo tempo, descobre que a técnica de Serigrafia é muito versátil, proporcionando um trabalho artesanal e decide regressar a Lisboa para se dedicar à Serigrafia. Assim foi. Em 2010 adquire o equipamento necessário e cria a marca Carapau Amarelo. Na oficina realiza trabalhos muito diferentes. Os que mais se destacam são diametralmente opostos, como os trabalhos de estacionário — em papéis de luxo e robustos, com impressão a branco ou cores metálicas — e o trabalho de impressão a metro. Os seus clientes são particulares e empresas, sobretudo designers independentes e ateliês de design, ilustradores e editoras.

O amplo espaço que a oficina ocupa na freguesia de Santa Clara surgiu como uma oportunidade. Embora gostasse de estar mais perto do centro, reconhece que é muito fácil chegar à oficina e, porque está implantada numa zona industrial, permite-lhe aceder aos serviços a que recorre frequentemente: serralharias, gráficas e fornecedores de papel. Vê um crescente interesse na aprendizagem da Serigrafia, nomeadamente por parte de designers e ilustradores que querem aprender o processo, por ser uma técnica que permite controlar a produção. Maria Boavida dá workshops de um dia no ateliê Carapau Amarelo e formação contínua, em horário pós-laboral, na Volta – Oficina Criativa, na Lx Factory.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/carapau-amarelo_28

carapauamarelo@carapauamarelo.com

https://www.instagram.com/carapauamarelo/

https://www.facebook.com/carapauamarelo/

http://www.carapauamarelo.com

www.etsy.com/shop/CarapauAmarelo

https://www.redearteseoficios.pt/

 

Carlos Guerreiro

Escolhe a profissão por gosto e o fascínio mantém-se até hoje, tanto pela área de encadernação como pela de douração. Aprende o ofício de encadernador com treze anos, em 1971, com o mestre Diogo Noronha, que mais tarde o convidou a integrar a sua oficina de douração, no Instituto Padre António Oliveira, em Caxias, considerado à época o melhor instituto da Europa e o quinto melhor do mundo, que fechou depois do 25 de abril de 1974. Em 1973, com dezoito anos, vai trabalhar para os arquivos nacionais da Torre do Tombo onde se manteve a trabalhar ao longo de vinte anos. Aí leciona também cursos para os técnicos. Na mesma altura, trabalha na oficina Jesus e Costa com outro mestre. Em 1998 mete uma licença sem vencimento de longa duração e continua a trabalhar na sua oficina, que abriu com vinte e dois anos, quando ainda trabalhava na Torre do Tombo, e onde pretende continuar a trabalhar mesmo depois da reforma.

Compra um espaço em trespasse, no início dos anos 80, e faz ele próprio desde o mobiliário às ferramentas de trabalho. Hoje a oficina é muito visitada por turistas, estando mesmo incluída em visitas guiadas na cidade de Lisboa. Os seus clientes são sobretudo alfarrabistas, a Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian, a Sociedade Portuguesa de Autores e particulares. Ao todo, desempenha este ofício há quarenta e quatro anos. Entre os seus trabalhos mais relevantes encontram-se: caixa em pele para a Carta de Pêro Vaz de Caminha; restauro do Livro dos Copos; vários livros de honra, nomeadamente para a Assembleia da República, para a Presidência da República, para o Príncipe Alberto do Mónaco e para a Rainha de Inglaterra; pastas de protocolo para o Rei do Togo; pastas de secretária para a Assembleia Nacional de Angola.

Carlos Guerreiro considera que este ofício, em Portugal, pode estar em vias de desaparecer. A frequência de workshops não é suficiente, é preciso tempo e idealmente, trabalhar com um mestre durante vários anos.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/carlos-guerreiro_29

carlosguerreiro1959@gmail.com

www.facebook.com/carlosguerreiroencader

http://encadernador-carlosguerreiro.blogspot.com/

https://www.redearteseoficios.pt/

 

Desisto

Margarida Borges, Ricardo Martins e José Mendes formam o estúdio de Artes Gráficas Desisto. A produção de edições independentes, motiva-os a aprender a trabalhar com risografia. Começaram como usuários e evoluíram para a manipulação da máquina, ainda junto de colegas que os deixavam usar. Em 2015 fazem uma residência na Bélgica, no Frans Masereel Centre, em Kasterlee, com foco na impressão, onde puderam conhecer a fundo a técnica da risografia. Aí, executam um trabalho com outras duas plataformas de edição, um conjunto de três publicações, um em serigrafia, outras duas em risografia, chamado Untitled. Foi depois disso que decidiram adquirir uma máquina, continuando a trabalhar como plataforma de edição. Têm alguns projetos a que dedicam alguma regularidade, como a edição de Parasitical Interviews, feitas em risografia e escondidas dentro de livros em livrarias ou a Spam, com ensaios políticos.

Margarida Borges tem a licenciatura em Design Geral pelo IADE – Instituto de Arte e Design, um mestrado em Design Editorial e Comunicação na ELISAVA, Universidade de Barcelona e uma pós-graduação em webdesign na ESTAL – Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa. Atualmente (2017) está inscrita no mestrado em Práticas Editoriais Contemporâneas, na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

Ricardo Martins fez o curso de som na RESTART, em Lisboa e depois frequentou quatro anos do curso de Ilustração no Ar.Co, que foi concluir em Barcelona na Escola d’Art i Disseny. Aí, completou também o mestrado em Design Gráfico. Depois tirou um curso em Tipografia Suíça e Projetos Editoriais, na Design Werkstatt, também em Barcelona, a que se seguiu uma pós-graduação em webdesign na ESTAL – Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa.

José Mendes tem a licenciatura em Design Visual pelo IADE – Instituto de Arte e Design e um curso em webdesign pela LSD – Lisbon School of Design. Depois foi para Barcelona fazer o mestrado em Design Editorial e Comunicação na ELISAVA, Universidade de Barcelona.

Os seus clientes são maioritariamente ilustradores, salas de concerto e artistas plásticos. Toda a sua produção é muito pensada e, embora a risografia seja boa para fazer grandes tiragens, gostam de fazer pequenas quantidades.

A pressão turística afastou-os do centro da cidade, da Rua de Santa Justa, onde trabalharam durante algum tempo. As rendas caras, o lixo sonoro das 24h/24h, a alimentação quotidiana dispendiosa, contribuíram para esse afastamento. Decidiram abrir o novo ateliê em Alvalade, um bairro tranquilo onde há uma grande solidariedade entre os que o habitam. Trazer este tipo de ofícios para fora do centro histórico acaba por ser interessante, para que estas atividades possam continuar a funcionar e, ao mesmo tempo, para que ativem outras zonas da cidade.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/desisto_42

info@desisto.pt

https://www.facebook.com/desisto.pt/

http://desisto.pt/

https://www.instagram.com/desisto.pt/

https://www.redearteseoficios.pt/

 

Besouro – Coimbra

O Besouro é um projecto criativo que pretende produzir livros e outras coisas – sobretudo em papel.

É um local e um compromisso de expressão e manifestação criativa.

+ a poética e a poesia génese da arte

+ catalizador para sentir e fazer sentir

+ espaço de confronto

+ espaço para pensar e fazer pensar

Edições e Publicações que tenderão sobretudo a ser feitas manualmente ou com técnicas pouco usuais ou pouco industriais.

+ tipografia / chumbo / madeira)

+ colagem

+ corta e cose

+ serigrafia | gravura | estampagem e outras formas de monotipia

+ meter as mãos na coisa

Interessa-se sobretudo por:

+ poesia

+ fotografia

+ ensaio | pensamento

+ ilustração | desenho

+ ideias

https://editabesouro.wordpress.com

https://www.facebook.com/editabesouro/

 

Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva

A Fundação Ricardo Espírito Santo Silva (FRESS) é uma plataforma que concentra, promove, alerta e divulga e lança profissionais na área das Artes e Ofícios. É criada em 1953, fruto de uma doação de Artes Decorativas de Ricardo do Espírito Santo Silva, que criou o projeto de promoção e divulgação das Artes e Ofícios tradicionais com base num projeto de Museu-Escola. A Fundação nasce, pois, como um Museu-Escola, com um espaço no Palácio Azurara, localizado nas Portas do Sol, em Lisboa, também doado pelo fundador, na altura já com o intuito de, no prazo de cerca de um ano, abrir as oficinas adjacentes ao Museu. No entanto, só mais tarde, já depois da morte prematura do fundador, em 1955, o edifício é doado pelo Estado à Fundação para alargar o projeto inicial.

As oficinas vão-se estabelecendo na Fundação com base na ideia inicial do fundador: convidar mestres que tenham oficinas em Lisboa que estejam a fechar. A primeira oficina a vir para a Fundação é a de batedor de ouro, ofício que estava nas mãos de uma família em Campolide há mais de duzentos anos. Esta família monta oficina na Fundação com o espólio que detinha. A seguir veem os marceneiros, ainda convidados pelo fundador para estabelecerem uma oficina e a dar formação. Nestes meados do século XX, a formação é feita com base num ensino tradicional, de passagem de conhecimento pela experiência direta, para pessoas muito jovens vinham aprender um ofício. Ainda hoje a Fundação tem mestres que iniciam a formação com dez, onze anos. Hoje, o paradigma da formação é outro e define-se a nível académico.

Outras oficinas vão surgindo, como a oficina de encadernação com o seu espólio de ferros de dourar que é hoje a maior coleção de ferros em Portugal e talvez na Europa — do século XVI ao século XIX — para decorações portuguesas e francesas tradicionais. Na realidade o fundador não viu tudo já a funcionar. Foi dada continuidade ao projeto e foram-se acrescentando ofícios, aqueles que, no entendimento do projeto, eram fundamentais para reproduzir e dar continuidade à produção de mobiliário e de acessórios decorativos de excelência, mantendo o lado da conservação e restauro desse mesmo mobiliário. A manufatura ainda hoje é assegurada na Fundação: aqui faz-se tudo, desde o desenho à produção final da peça. É com base nessa produção de manufatura ainda hoje existente que se alicerça a formação profissional.

Neste momento a Fundação tem dezoito oficinas em atividade. Um dos trabalhos mais relevantes aqui executados foi o restauro do fogão de sala da casa Fourdinois, uma casa de marcenaria artística francesa dos finais do século XIX, encerrada no início do século XX, que foi emblemática por ter fornecido casas reais, tendo tido peças apresentadas em exposições universais. Este fogão de sala com seis metros de altura, muitas componentes artísticas de origem e algumas lacunas, pertence à Câmara Municipal de Oeiras. Foi realizado um trabalho de reconstituição histórica e de investigação com o apoio da Escola Superior de Artes Decorativas, prévio à intervenção propriamente dita. O processo de restauro esteve a cargo de uma equipa de marceneiros, entalhadores, cinzeladores, serralheiros, latoeiros e pintores durante dois anos. Outro exemplo é o restauro da farmácia Islâmica, pertencente ao Museu da Farmácia do Porto. Trata-se do restauro de um espólio desmembrado de uma farmácia Islâmica da Síria completamente revestida em madeira pintada. O património islâmico é salvaguardado anualmente, o que leva a que a datação dos elementos que o compõem seja complexa dada a sua diversidade. Trata-se de uma obra global que incluiu pintura decorativa, cinzelagem, douramento, carpintaria, marcenaria, etc. Fez-se, também, o restauro e decoração do Palácio de Seteais, em Sintra, como do Palácio de São Clemente no Rio de Janeiro. Muitas embaixadas espalhadas pelo mundo têm a mão da Fundação. Os seus clientes são hoje essencialmente privados, nacionais e estrangeiros, quer na área de conservação e restauro quer na área de manufatura. Antigamente a Fundação tinha muitas encomendas do Estado que, a certa altura, começa a ter os seus próprios gabinetes de restauro e deixa de recorrer a terceiros.

Para Conceição Amaral, Presidente da Fundação, é vital estar no centro da cidade. Os ofícios tradicionais não são só comércio: um ofício tradicional fixa uma diversidade de profissões que a cidade tem de ter para manter a sua identidade. Sem os ofícios as famílias saem da cidade. Lisboa é historicamente uma cidade de ofícios, a própria estrutura da cidade é organizada pelos ofícios. Havia a Casa dos Vinte e Quatro: extinta em sequência da entrada do liberalismo e da monarquia constitucional, era um órgão deliberativo da administração municipal de Lisboa e, mais tarde, de outras cidades do Império Português, composto por representantes das corporações de ofícios ou guildas. Neste sentido, os ofícios tinham muito poder para regular a cidade e as suas relações comerciais. Hoje, de repente não há douradores na Rua dos Douradores nem sapateiros na Rua dos Sapateiros. Lisboa tem uma grande vantagem sobre muitas outras cidades europeias: o facto de ter havido uma adaptação mais lenta à standardização, permitiu que mantivéssemos quase intacto o lado mais genuíno dos ofícios. Neste momento, há medidas políticas para apoiar as Artes e os Ofícios e é um contributo importante as oficinas estarem em rede.

Conceição Amaral considera o século XXI como o século do regresso ao que é genuíno: as áreas do trabalho manual estão a ser revalorizadas e o artífice hoje é um criador. A procura de formação destes ofícios tradicionais está a voltar e a Fundação, que é certificada a nível europeu, é cada vez mais procurada também por estrangeiros. Os cursos mais procurados são as Artes e Ofícios da Madeira e a Pintura Decorativa e as formações disponíveis vão desde a licenciatura na Escola Superior de Artes Decorativas, e, na FRESS Forma, a formação de nível 4 (dois anos de formação que conferem certificação profissional e o 12º ano), a formação modelar certificada (pacotes de 25 ou 50 horas de especialização numa área), cursos de curta duração em várias áreas e as oficinas criativas. Estas últimas têm lugar no Mercado do Bairro Alto, um espaço da Junta de Freguesia da Misericórdia que foi reabilitado para dar continuidade à identidade do Bairro Alto como um bairro de ofícios. Por ser um espaço de passagem, é também um bom local para angariar pessoas para a formação e, nesse sentido, vai ter formação através de diversas oficinas criativas para jovens, adultos e crianças. O programa incluirá atividades em colaboração com diversas associações e instituições.

A Fundação defende que o uso de novas tecnologias é hoje uma oportunidade e um desafio para reinventar as Artes e os Ofícios, que sempre foram um trabalho da mão. A tecnologia vem permitir dar mais tempo à criação. No caso da Fundação, não é fácil passar de um modelo totalmente manufaturado para a integração de novas tecnologias, mas fazer todo o processo à mão, de facto, não é uma mais-valia. Um artífice hoje é um criativo que cria a partir de um material e de uma técnica. A tecnologia permite-lhe abreviar processos e tempos de produção, baixar preços para investir mais tempo no processo criativo.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/fundacao-ricardo-do-espirito-santo-silva_129

geral@fress.pt

https://www.instagram.com/explore/locations/254907917/

http://www.fress.pt/

https://www.redearteseoficios.pt/

 

Ilídio António

Faz a aprendizagem do ofício de encadernador aos treze anos, em 1966, na ARDEM – Associação para a Recuperação dos Deficientes da Mobilidade, uma escola-oficina em Alfama, com o mestre Orlando Pires. A escola recebia à altura milhares de livros para recuperação da extinta Biblioteca Itinerante da Fundação Calouste Gulbenkian. A partir de 1972, Ilídio António começa a trabalhar na oficina Raul de Almeida, onde fica oito anos e, em 1980, surge a oportunidade de abrir a sua própria oficina, no local onde já fazia os serões desde 1973, no Bairro Alto. Foi convidado a dar aulas no Convento dos Inglesinhos, na altura em que era um Centro de Aprendizagem de Ofícios, com oito cursos promovidos pelos Serviços de Assistência da Ordem de Malta e aí iniciou a oficina com quinze alunos. Antigamente encontravam-se muitos aprendizes nesta área, porque se podia aprender um ofício aos doze anos. Depois passou para os catorze, o que ainda é aceitável, e depois para os dezasseis, uma altura em que já é muito complicado aprender um ofício. Há que ter os dedos muitos sensíveis e ter vontade.

Entre os seus trabalhos mais relevantes, recorda sobretudo os livros quinhentistas que lhe chegam, bem como a encadernação adequada à época de um livro sobre cavalaria do século XVII. Tem clientes fidelizados há mais de trinta anos, na sua maioria particulares, mas também instituições como a Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian. A própria clientela é que cria a forma de estar num determinado local. Porém, em termos de tradição, o Bairro Alto é e sempre foi o bairro das Artes Gráficas. As oficinas foram fechando, quer porque os donos morreram ou se reformaram, mas permanece ainda essa imagem. Vai a casa buscar e entregar livros.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/ilidio-antonio_73

ilidiomf@gmail.com

https://www.redearteseoficios.pt/

 

Lavandaria

A Lavandaria começou por ser um projeto de um grupo de amigos que queriam ter um espaço onde pudessem trabalhar em conjunto. Construíram os materiais necessários para fazer serigrafia e, até hoje, Mariana Fernandes e Marta Teixeira da Silva sobrevivem juntamente com Rafael Lourenço, todos com formação em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Marta Teixeira da Silva começa a trabalhar com serigrafia ainda na faculdade, aprendendo sobretudo com Paulo Lourenço, o técnico de serigrafia aí residente. Quando a possibilidade de ter um espaço surgiu, em 2014, começar a trabalhar em serigrafia foi um desenvolvimento natural. O lado mais fascinante era poder tirar o trabalho do computador e passá-lo a papel e a tinta. Os trabalhos são desafiantes pela escala, pela quantidade ou pela especificidade. O nível do desafio foi-se alterando porque, no início, havia coisas que eram mais difíceis e que hoje se tornaram simples.

Na Lavandaria existem dois tipos de trabalhos: o trabalho próprio de autor e as encomendas. Entre os três, fizeram um rótulo em serigrafia para uma edição limitada da cerveja portuguesa Sovina e um livro de André da Loba totalmente realizado em serigrafia, intitulado Splash, em vinte e cinco exemplares. Os seus clientes são sobretudo ilustradores, ateliês de design, ateliês de arquitetura, artistas plásticos e empresas.

Todos moram perto do ateliê e gostam de estar ali. O contacto direto com a rua e com os vizinhos sempre foi importante. As pessoas passam e vão falando, visitam, e, ao mesmo tempo, é um sítio tranquilo. Neste sentido, manter uma vida de bairro é uma mais-valia, mas também porque a proximidade com os clientes funciona como uma parceria num espaço de tempo limitado.

Cada vez há mais pessoas interessadas em aprender o ofício. Talvez por oposição ao mundo digital, que tem boas ferramentas, mas não tem as subtilezas do trabalho manual, embora seja mais lento na sua preparação e execução. Por vezes, há professores universitários que lhes pedem para visitar o espaço com os alunos.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/lavandaria_86

hello@lavandaria.net

https://www.instagram.com/_lavandaria_/

https://www.facebook.com/lavandariastudio

http://www.lavandaria.net/

 

MeelPress

Hugo Amorim faz o Curso de Pintura e o Curso Avançado de Artes Plásticas no Ar.Co – Centro de Comunicação Visual e, nos últimos anos, por volta de 2003, começa a dedicar-se à gravura. Imediatamente descobre que a gravura tem um lado manual e plástico característico que lhe agrada. Assim que termina o curso é convidado a ficar como Professor Assistente no Departamento de Gravura, na Ar.Co e, um ano depois, a ser o seu responsável técnico. Nessa altura, em 2007, decide convidar alguns artistas a trabalhar consigo na Ar.Co, nomeadamente Francisco Tropa e Ana Hatherly, e dessa parceria resultaram os seus primeiros trabalhos como editor. Mais tarde, sentindo necessidade de evoluir no seu trabalho, decide montar ateliê e assim surge a MeelPress. Continua a convidar artistas para produzir trabalhos em colaboração, realizando algumas exposições e estabelecendo também parcerias pontuais com várias galerias, nomeadamente com a Appleton Square — onde se realizam exposições individuais a um ritmo mensal e para as quais produz por vezes múltiplos em gravura que acompanham essas mesmas exposições —; e com a Galeria Cristina Guerra, colaborando com o curador Nuno Crespo que convidou oito artistas para fazer uma exposição só sobre múltiplos intitulada Mercadoria Chinesa, usando a gravura como principal meio de reprodução desses múltiplos.

Entre os seus trabalhos mais relevantes ressalta-se ainda a primeira exposição de gravura de Alexandra Conefrey, comissariada por João Pinharanda e intitulada The Pit: Dois Abismos, com vinte e duas gravuras de Alexandre Conefrey na Fundação EDP (2015) e uma edição com a artista Ana Pérez Quiroga, para o MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia.

Os seus clientes são fundamentalmente artistas plásticos, colecionadores e hotéis. Hugo Amorim acha que ter o ateliê no centro da cidade faz todo o sentido, de modo a receber vários tipos de clientes no espaço: deste modo podem ver os projetos em curso. Na MeelPress também se organizam workshops semanais de gravura destinados a pessoas interessadas em desenvolver trabalho e que queiram aprender a técnica.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/meelpress_93

hmc.amorim@gmail.com

https://www.facebook.com/EDITMEEL

http://meelpress.com/

 

O Homem do Saco

O Homem do Saco é um ateliê de tipografia e edições de que fazem parte Eduardo Brito, Luís Henriques, Luís França, Joana Gama, Juan Yusta, Manuel Diogo, Mariana Pinto dos Santos, Miguel Pereira, Ricardo Castro e Rui Miguel Ribeiro. O seu surgimento data de 2013, como uma associação sem fins lucrativos, partindo de uma partilha de interesses desse conjunto de pessoas oriundas de várias áreas — da História de Arte à Farmácia, da Sociologia à Economia —, que se juntaram por uma afinidade editorial: o desejo de criar pequenas edições: edições em offset, capas de livros, capas de revistas, ilustrações, etc. Deste modo, o ateliê dedica-se a edições de algumas dezenas de exemplares em tipografia de carateres móveis, recorrendo também a impressões digitais ou, em offset, em edições de tiragens maiores e não excluindo a mistura de várias técnicas de impressão. Por outro lado, tem-se dedicado à recolha, em todo o país, de material que vai ser abandonado ou fundido, como tipos de chumbo, móveis de cavalete, etc. A política do ateliê é procurar que cada livro seja um objeto único e distinto, mudando, em cada edição, o formato, a letra e o papel. Nas edições mais artesanais, em plaquetes de 30 a 50 exemplares servem-se de um pequeno aforismo, de um poema ou de um texto curto com uma ilustração, como tema para esses livros cosidos à mão, sempre diferentes entre si, sempre originais.

De entre os trabalhos realizados podem destacar-se: um cartaz para o Dia Mundial da Poesia de 2017 no CCB – Centro Cultural de Belém, baseado na Antologia do Cadáver Esquisito do Mário Cesariny, impresso em papel artesanal, com serigrafia e tipografia; uma série de cartazes realizados sobre o filme As Bodas de Deus, de João César Monteiro, ilustrativos da relação com Deus e com a religião; um livro-objeto, Album primo-avrilesque, monografia do escritor, humorista e artista plástico francês Alphonse Allais, constituído por uma série de quadros monocromáticos cujas legendas dizem respeito a situações caricatas relativas à cor. Neste ateliê fazem-se também convites de casamento, cartões pessoais e capas de livros, assumindo sempre que se deve praticar uma lógica de custo justo nos trabalhos.O ateliê, não trabalha numa perspetiva exclusivamente comercial, mas recebe encomendas por parte de artistas, realizadores, artistas e associações culturais. Aqui, a tipografia não se confunde com um ofício saudosista: uma letra pertence ao alfabeto, mas também pode ser um signo ou uma ferramenta de impressão. A abordagem do ateliê é transversal: explora-se uma interpretação livre dos métodos e dos limites do ofício.Para os membros do O Homem do Saco, é importante estar no centro da cidade: é aí que vivem.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/o-homem-do-saco_100

ldantanho@gmail.com

https://www.instagram.com/homemdosaco/

https://www.facebook.com/oficinaohomemdosaco/

http://ohomemdosaco.com/

 

Sporgravo

Amado Neto começa a trabalhar no ramo nos anos 60, aos doze anos, numa oficina na Rua da Padaria, na Baixa Pombalina, com o mestre Manuel da Silva, onde se mantém ao longo de mais de vinte anos. Em 1986, abre a sua própria oficina, a Gravoprensa, na Rua da Madalena, também na Baixa, numa sociedade com um colega de ofício. A sociedade acaba por se desfazer e decide abrir uma firma em nome próprio, a Sporgravo, também na Rua da Madalena, onde se encontra até hoje.

Os seus clientes vão desde aqueles que passam na rua e entram na loja às encomendas de instituições do Estado. Recebe também encomendas a nível internacional. Amado Neto lembra que antigamente os gravadores pertenciam todos a Lisboa e estavam concentrados no centro da cidade, tal como todo o comércio. Curiosamente, a tendência em procurar por um carimbo ou por uma placa gravada na Baixa ainda se mantém. Contudo, a gravação manual é um ofício que está a desaparecer pois as novas tecnologias fizeram-no evoluir para outros campos. Hoje, o trabalho de gravação não é tão utilizado como antigamente e é preterido por soluções técnicas alternativas, como os autocolantes. Muitos trabalhos, atualmente feitos a laser, Amado Neto fá-los manualmente. Disso é exemplo uma placa em latão à entrada da oficina, realizada com peças sobrepostas e feita para um hotel em Lisboa, que afirma ser o ex-libris do seu Curriculum.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/sporgravo_108

sporgravo91@gmail.com

https://www.facebook.com/sporgravo.lda

 

Stolen Prints

Em atividade desde 1996, a linha de trabalho desta empresa de design editorial e a relação que estabeleceu com a área das artes plásticas, levou a Stolen Prints a optar por investir no sistema de impressão em risografia como alternativa ao sistema de impressão tradicional, em offset. As vantagens: permite gerar projetos de menores quantidades, de características mais táteis, com características plásticas lembrando as tecnologias anteriores ao digital cada vez a ser mais usada por pequenas estruturas, por todo o mundo. Numa primeira instância adquiriram uma máquina com apenas três cores e hoje são já têm catorze as cores, número considerável no universo da impressão risográfica, uma vez que é um sistema de impressão que imprime cada cor de forma independente. A meio caminho entre o processo de serigrafia e o processo de offset, a risografia é um sistema com génese nos mimeógrafos, mas mais rápido e com capacidade para maiores tiragens. Este sistema inicialmente utilizado nos navios (quando precisavam de gerar documentação para rápida distribuição), nos Jardins Escola e nas Juntas de Freguesia, etc., foi absorvido pelas Artes Gráficas para a produção cartazes, posters, livros, etc.

A máquina de risografia reproduz com algum erro de impressão e essa característica é precisamente uma das suas mais valias: é porque comete determinados erros, desacerto ou falhas de impressão que suscita atração. Hoje, há um cansaço da perfeição da impressão devido, eventualmente, a alguma uma nostalgia dos sistemas analógicos.

Luís Alegre, um dos sócios fundadores, completa o curso de Pintura na Escola Superior Artística do Porto. Depois vem para Lisboa e faz uma pós-graduação em design de mobiliário urbano na Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva – FRESS, a que se segue o Mestrado e o Doutoramento em Design de Comunicação na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa. Ao longo do seu percurso académico, mantém sempre uma ligação à prática profissional. Atualmente, a empresa está a criar uma ligação internacional com uma rede de ateliês ligados à risografia.

A risografia permite criar o miolo de um livro ou de uma pequena publicação, mas a capa dessa publicação já não deve ser usada esta técnica porque não é muito resistente ao toque. Assim, a serigrafia é um bom complemento para acabamentos de capas, cartazes, t-shirts, e também permite dar um verniz de acabamento, mesmo que a impressão seja em risografia.

Destacam-se alguns trabalhos: a WonderWall, uma impressão em tela e trabalhos relacionados com capas de livros, nomeadamente as capas dos livros de António Lobo Antunes, sobretudo as de coleções comemorativas; a coleção Elsinore da 20|20 Editora; o livro Uppercut de André Carrilho (risografia); uma edição de João Fonte Santa chamado O Colapso da Civilização, que esteve exposto no MAAT, enquadrado na exposição Utopia/Distopia.

Para Luís Alegre a centralidade é uma vantagem e ter o ateliê no Bairro Alto garante uma boa acessibilidade dos clientes. Os seus clientes são essencialmente artistas plásticos, ilustradores e outros ateliês na área do design. A Stolen Prints organiza, pontualmente, workshops.

https://www.redearteseoficios.pt/pt/oficinas/stolen-prints_120

stolenbooks.publisher@gmail.com

https://piknu.com/u/stolenprints

https://www.facebook.com/stolenprints/

 

Traça Pombalina

 traca_pombalina_galeria_de_gravura 

Completa o Curso Superior de Conservação e Restauro na Escola Superior de Conservação e Restauro de Lisboa. Ao ter contacto com a parte de Conservação e Restauro de Documentos Gráficos, o interesse de Vasco Antunes pela área solidifica-se. Assim que termina o curso vai trabalhar para a Biblioteca Nacional onde tem contacto com a Conservação e Restauro de livros e se mantém ao longo de cerca de oito anos. Quando sai da Biblioteca Nacional, decide abrir o seu ateliê denominado Traça Pombalina onde se encontra até hoje. Está a trabalhar na conservação, restauro e encadernação de livros desde 1999, tendo feito ainda um curso de Encadernação no Instituto de Artes e Ofícios da Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, em Lisboa e vários outros pequenos cursos. Entre os seus trabalhos mais relevantes do ateliê destaca o trabalho de Conservação e Restauro dos Birds of America, um livro de ilustrações de John James Audubon de todas as aves da América do Norte em tamanho real, cuja primeira edição foi feita num esquema de fascículos entregues por subscrição ao longo de doze anos, realizado em 2001. Estes, são livros com cerca de um metro, em quatro volumes e com quatrocentas estampas ao todo.

Vasco Antunes abre o ateliê no Bairro Alto porque é uma zona da cidade com tradição de livreiros e antiquários, que constituem uma grande parte da sua clientela. Os seus clientes são maioritariamente instituições públicas e privadas, colecionadores particulares e alfarrabistas. A proximidade com os livreiros e com os clientes dos livreiros, que são os colecionadores particulares, é a grande razão para se manter no centro da cidade. Esses clientes são bastante importantes, pois têm sempre alguma coisa para restaurar. Se um cliente for uma instituição não faz tanta diferença uma oficina estar no centro, pois são os prórios ou uma empresa contratada para o efeito que entrega e recolhe os livros.

antunesvasco@sapo.pt

https://tracapombalina.wordpress.com/

 

Volta – Oficina Criativa

ginasio_de_oficios_galeria_de_gravura

 

Rita Daniel Rodrigues cresce numa família onde se fazia crochet, bordados, cerâmica, tecelagem e carpintaria. Depois de concluir um mestrado em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, procura uma experiência de vida e de trabalho fora de Portugal: começa por São Paulo, está três anos em Barcelona e três em Zurique, onde trabalha em ateliês de arquitetura. Sempre partilhou com Gonçalo Almeida um interesse pelos ofícios tradicionais, ele com interesse específico na área das madeiras e ela na área de impressão manual. O gosto por estas artes e ofícios torna-se mais concreto, evolui para uma via profissionalizante e dá forma a uma oficina partilhada, um espaço que possa ser partilhado por todos.

Em 2015, ambos emigrados na Suíça, começam a pensar nesta ideia mais formalmente e, quando perceberam que podem candidatar-se ao VEM – Valorização do Empreendedorismo Emigrante, um programa governamental organizado pelo Alto Comissariado das Migrações, cujo objetivo era apoiar projetos de criação do próprio posto de trabalho, ou empresa, por parte de emigrantes com intenção de regressar a Portugal. Assim, nasce o Volta, um ateliê aberto que promove o contacto com o trabalho manual, da serigrafia à marcenaria, da encadernação ao têxtil, a par com uma aposta na formação. Este espaço pode ser utilizado de duas formas: alugado à hora ou apenas sendo membro. O Volta permite assim que o hobby que é desenvolvido em casa tenha agora lugar num espaço comum, com todas as ferramentas, máquinas e equipamentos necessários à disposição. A zona que lhes pareceu ideal para o projeto foi a LX Factory porque tem um caráter industrial e de oficina, pode estar aberta a qualquer hora e onde é possível fazer barulho. A localização dá um enquadramento perfeito ao projeto, até pela sua integração numa comunidade criativa muito ativa.

Dos trabalhos mais relevantes que foram realizados no Volta, são exemplo uns móveis de apoio para lavatório para o restaurante O Reserva, em Lisboa; embalagens com aplicação do logótipo em serigrafia para a marca Preta; e ferramentas para as atividades que têm, como por exemplo um tear vertical e uma roda de oleiro.

Os seus clientes vão desde designers gráficos, ilustradores, arquitetos e outros profissionais de áreas criativas como ao público em geral. Os seus formandos, com idades dos 25 aos 80 anos, procuram aprendizagens nas diversas áreas disponíveis. Para Rita, que faz a coordenação e curadoria da programação do Volta, bem como a produção da área de marcenaria e serigrafia, tanto há um desenvolvimento intenso das tecnologias digitais, como há o retorno a estas técnicas tradicionais pelo desejo de saber de onde vêm e de perceber como são feitas. São valores que têm vindo a implementar-se nos últimos anos, um fator que ajuda a que estas técnicas ganhem sentido e tenham procura.

hello@volta-oc.pt

https://www.instagram.com/voltaoficinacriativa/

https://www.facebook.com/voltaoficinacriativa/

https://fica-oc.pt/

 

Espanha

Fundacion Ciec

fundacion_ciec_galeria_de_gravura

LA FUNDACIÓN

La Fundación CIEC, Centro Internacional de la Estampa Contemporánea, es una fundación privada creada el 7 de Abril de 1997, fruto del tesón del artista Jesús Núñez con el objetivo de promocionar y difundir las artes plásticas en general y el arte gráfico en particular.

“Un Centro-Museo Vivo, donde el nacimiento y desarrollo de la obra gráfica está representado de una manera diáfana a un gran nivel didáctico, teórico, visual y práctico” (Jesus Nuñez)

La Fundación CIEC realiza numerosas actividades e iniciativas entre las que destacan la formativa y la expositiva. La organización de cursos y talleres a lo largo de todo el año y la creación en el año 2003 del Master de la Obra Gráfica nos habla de la importancia de esta actividad así como el número de profesores, artistas y alumnos que han participado. La  exhibición de los fondos de la Colección, la realización de exposiciones temporales, las visitas guiadas y las visitas didácticas para centros formativos y público en general, los talleres para niños y la asistencia a ferias de arte contribuyen notablemente al mejor conocimiento y difusión del arte gráfico y sus artistas. A todo ello hay que sumar las publicaciones, ediciones, conferencias, presentaciones de libros, conciertos y demás eventos que han convertido a la Fundación CIEC en todo un referente en el mundo de la Gráfica contemporánea.

Desde 2006 se reconoce su labor y la de su Presidente con la creación del Prêmio Internacional de Arte Gráfico Jesús Núñez que convoca la Diputación de A Coruña.

http://www.fundacionciec.com/la-fundacion/

https://www.facebook.com/Fundacion-CIEC

ciec@fundacionciec.com

https://www.instagram.com/fundacion_ciec/

 

Gravura Taller de Grabado

gravura_taller_de_grabado_galeria_de_gravura

Gravura abre suas portas em 1979 na cidade velha de Málaga. Desde a sua criação, o artista Paco Aguilar desenvolveu um importante trabalho de difusão da Gravura Calcográfica: oficinas e aulas contínuas de iniciação à gravura, edição de trabalhos gráficos e organização de exposições de artistas contemporâneos. A partir de 1989, a colaboração de Mariana Martín começa, juntamente com Inmaculada Carrasco, responsável pela gestão da oficina.

O ensino de técnicas de gravura começou em Gravura com um curso ministrado pelo mestre gravador José Faría em 1980. PacoAguilar continuou este trabalho realizando oficinas regularmente na própria oficina, mantendo um regime de oficina aberta, com aulas semanalmente para qualquer pessoa interessada em técnicas de gravação. Atualmente, no mês de julho, oficinas são organizadas para aprofundar em técnicas específicas de entalhe, estas monografias são realizadas no maravilhoso ambiente rural do Parque Natural Torcal de Antequera.
Para Gravura passaram muitos artistas e pessoas interessadas em arte que encontraram na oficina um espaço para aprender, experimentar e apreciar a linguagem do metal. As exposições que acontecem em Gravura são de caráter mensal e giram, principalmente, em torno do trabalho gráfico original, o trabalho em papel e a escultura.

Na coleção de obras da oficina podemos encontrar artistas como Paco Aguilar, José Faria, Enrique Brinkmann, Chema Lumbreras, Óscar Pérez, Michele Lehmann, Lorenzo Saval, Ángel l. Calvo Capa, Pablo Alonso Herráinz, Francisco Peinado, Christian Bozón, Vargas Machuca, Javier Roz, Natália Resnik, José António Diazdel, Rafael Alvarado, Sebastián Navas, José Ganfornina, Eryk Pall, Ana Bellido e Stefan Von Reiswitz, entre outros.

www.facebook.com/Galería-Taller-Gravura-218348141525284/

https://gravura.es

gravura@gravura.es

 

Manera Negra

manera_negra_galeria_de_gravura
A oficina de gravura Manera Negra é um espaço de criação, formação e pesquisa, promove o uso da gravura e as técnicas artísticas de impressão como disciplina e meio de expressão. Nasceu para oferecer um espaço para criação e formação em Barcelona e divulga o trabalho gráfico dos artistas que o compõem. O Black Fashion Workshop oferece cursos de Gravura e Serigrafia, técnicas tradicionais e técnicas contemporâneas, ensino personalizado durante a semana e cursos em grupo aos sábados. Também oferece suas infra-estruturas como uma oficina gratuita para todos os artistas que trabalham por conta própria. Além de fornecer serviços de trabalhos gráficos originais, colaborações, projetos de suporte técnico, edições, livros de artistas, artistas, criadores, associações, grupos e empresas

http://www.maneranegra.com/

https://www.facebook.com/maneranegratallergrabado/

https://www.mariapujol.es/

 

G&e Grabado y Edición

grabado_y_edicion_print_and_art_edition_magazine_galeria_de_gravura
É uma plataforma internacional dedicada à divulgação de múltiplas edições de arte e arte, com mais de 7 anos de experiência no mercado. Seu conteúdo aborda todas as informações relacionadas ao mundo editorial, posicionando-se como referência para a arte gráfica. Estamos nas principais feiras internacionais, como Art Basel, Arco, Maco México, Londres Multiplicada. Notícias, exposições, novas edições e novidades no mundo dos gráficos, bem como estudos e pesquisas, sem negligenciar referências à história e evolução da arte serial. Figuras internacionais colaboraram conosco: ALISON WILDING, OUKA LEELE, GAO XIGJIAN, GEORGE BASELITZ, SANTIAGO SERRANO, LILIANA PORTER, JOSÉ HERNÁNDEZ, MANUEL FRANQUELO, FRANCISCO TOLEDO, FERNANDO BELLVER, DAVID LEVINTHAL, ALBERTO CORAZÓN OU ​​ABRAÃO LACALLE entre outros.

http://www.grabadoyedicion.com

https://www.facebook.com/Grabado-y-Edici%C3%B3n-Print-and-Art-Edition-Magazine-516406951790279/

 

Taller De Serigrafía Y Grabado

bilbaoarte+galeria_de_gravura

Para gravar está equipado com duas prensas manuais, uma prensa manual vertical, uma caixa de resina, um queimador, um projetor ultravioleta para gravura, um chofereta, um isolador de fotogravura, uma área de tintas, uma sala de ácido equipada com baldes, ferramentas e ferramentas para gravação oca e em relevo, raspadores, rolos, punções, goivas, uma furadeira elétrica, um secador e consumíveis básicos.

Para serigrafia está equipado com mesas de impressão plana (com e sem base de sucção) com remo, mesa para impressão têxtil com seis bases, mesas de desenho e impressão, mesa de luz, prensa térmica, equipamento ultravioleta, equipamento de limpeza e recuperação de telas, raspadores, raspadores, telas diversas e consumíveis básicos.

A professora da oficina de gravura e serigrafia é Pilar Valdivieso.

https://bilbaoarte.org/el-centro/instalaciones/taller-de-serigrafia-y-grabado/

 

El Mono de la Tinta.

el_mono_de_la_tinta_galeria_de_gravura

Desde el 2003 el taller crea obra propia y forma en las diversas técnicas de la obra gráfica.

https://www.elmonodelatinta.com/

https://www.facebook.com/Mono-de-la-Tinta-1784365661848049/

http://lascosasdelmono.blogspot.com/

https://www.instagram.com/elmonode/

 

Taller De Grabado La Granja

taller_de_grabado_la_granja_galeria_de_gravura

https://www.facebook.com/lagranjae.luis/

https://tallerdegrabadolagranja.wordpress.com/

 

35 Cursos de Grabado en Madrid

https://www.emagister.com/cursos-grabado-madrid-kwprov-9381-35.htm

 

Fabiola Gil Estúdio

O estudo

The Woodcut Study Fabiola Gil tem vários objetivos. Primeiro, dar a si mesma um espaço confortável, inspirador e versátil, onde ela possa desenvolver todas as suas facetas criativas. Da mesma forma, a polivalência do espaço torna-a um lugar favorável para ela também desenvolver seu trabalho de ensino para todos os interessados ​​em compartilhar seu espaço de trabalho com ela e aberto a receber novos conhecimentos artísticos, especialmente na arte de mokuhanga – xilogravura japonesa. bem como outras técnicas de gravação. Finalmente, deve-se notar também que ele não quer ser um espaço reservado apenas para o trabalho de Fabiola, mas por causa de sua amplitude, localização e características, é um espaço aberto a ser compartilhado para que outros artistas possam exibi-lo.

www.fabiolagil.com

 

Galeria Taller José Rincón

Localizada na Calle Valverde 39, a oficina abre suas portas em 2002, com o objetivo de ministrar aulas de gravura a alunos não iniciados, dando a possibilidade de utilizar suas instalações e oferecendo suporte técnico a artistas que conheçam a arte gráfica.

A oficina, com 200 m2 distribuídos em dois andares, permite separar a área de gravação da área de estampagem.

A sala de estampagem possui 3 loops Martoc: T-45, T-60 e T-80.

A sala de gravação possui mesas e mesas de trabalho para diferentes processos.

https://www.grabado-joserincon.com/

www.facebook.com/galeriatallerjoserincon/

 

Taller de grabado y litografia

O Círculo de Belas Artes de Madrid (CBA) é uma entidade cultural privada sem fins lucrativos, declarada “Centro de Proteção de Belas Artes e Utilidade Pública”. Desde a sua criação, desenvolveu um importante trabalho de alcance internacional no campo da criação e difusão cultural. Um dos centros culturais privados mais importantes da Europa, o CBA caracteriza-se pela sua atitude aberta em relação às tendências artísticas mais destacadas e inovadoras. É um centro multidisciplinar onde as atividades vão desde artes plásticas à literatura através da ciência, filosofia, cinema ou artes cênicas.

www.circulobellasartes.com

 

França

L’Atelier-m Gravures

L’Atelier M est une association loi 1901 qui a ouvert ses portes en 1995 à deux pas du Vieux Port. Cet atelier a pour vocation d’inciter à la création de gravures contemporaines et à leur promotion.

Créé sous l’impulsion de l’artiste Maoual, l’atelier M est un lieu partagé par plusieurs graveurs confirmés pour la recherche et l’expérimentation.

La gravure est un art dont la technique consiste à imprimer des tirages sur du papier, multiples ou monotypes, depuis une matrice en métal -c’est la taille-douce- ou d’une matrice en bois ou en linoleum -c’est la taille d’épargne- grâce à un passage sous la presse.

Les tirages se font directement sur les lieux, on dispose de plusieurs presses

à bras, manuelles donc, dont les plateaux de dimensions différentes, permettent

de réaliser des travaux très variés.

Les limites du format de l’impression ont été repoussées jusqu’à la taille grand aigle 120x80cm.

O Atelier M é uma lei de associação 1901 que abriu suas portas em 1995 perto da Porto Velho. Este workshop tem como objetivo incentivar a criação de gravuras contemporâneas e sua promoção.

Criado sob o impulso do artista Maoual, o workshop M é um lugar compartilhado por vários gravadores confirmados para pesquisa e experimentação.

Gravura é uma arte cuja técnica é imprimir impressões em papel, múltiplas ou monotípicas, a partir de uma matriz metálica – que é o entalhe – ou uma matriz de madeira ou linóleo – esta é a Tamanho da economia – graças a uma passagem sob a impressora.

As impressões são feitas diretamente no local, temos várias impressoras com braços manuais, cujas bandejas de diferentes dimensões para realizar trabalhos muito variados.

Os limites do formato de impressão foram aumentados para o tamanho da grande águia de 120x80cm.

http://www.atelier-m.org/

https://www.facebook.com/people/LAtelier-m-Gravures/100018322275235

 

Itália

Escola Gráfica Internacional

O Stamperia

Em sua sede em Cannaregio, a Escola abriga uma grande tipografia equipada, duas salas de aula para os cursos de Arte e Design, dois estúdios para artistas residentes, uma biblioteca de estudos, um espaço para exposições de galerias, um laboratório de serigrafia e um grande jardim. onde artistas e estudantes trabalham em dias ensolarados. A galeria SGgallery prepara exposições e exposições de arte e design, alternando exposições de artistas e designers de nível internacional com obras criadas por estudantes e artistas residentes. Em nossa prensa há oito prensas calcográficas, uma prensa litográfica, uma tipografia com o tipo móvel, uma prensa vertical de xilogravura. No laboratório de serigrafia, há três prensas de serigrafia e uma fotomicrografia para procedimentos fotomecânicos.

 

La Stamperia

Nella sua sede di Cannaregio, la Scuola ospita una grande stamperia attrezzata, due aule per i corsi di Arte e Design, due studi per gli artisti in residenza uno studio-biblioteca, una  galleria-spazio espositivo, un laboratorio di serigrafia ed un ampio giardino dove gli artisti e studenti lavorano nelle giornate soleggiate. La galleria SGgallery allestisce mostre e rassegne d’arte e design, alternando esposizioni di  artisti e designer di livello internazionale con lavori  realizzati da studenti ed artisti in residenza. Nella nostra stamperia sono presenti otto torchi calcografici, un torchio litografico, una tipografia con caratteri mobili, un torchio verticale xilografico. Nel laboratorio di serigrafia vi sono tre torchi serigrafici ed un bromografo per procedimenti foto-meccanici. Nella Stamperia è sempre presente nostro personale qualificato affiancato da giovani assistenti, studenti d’arte partecipanti al progetto ERASMUS.

https://www.instagram.com/graficapubblicitaria/

https://www.scuolagrafica.it/

https://www.scuolagrafica.it/art/

https://vimeo.com/123718469

https://www.facebook.com/graficapubblicitaria.scuolavenezia/

https://www.facebook.com/Scuola-Internazionale-di-Grafica-Venezia-282604465083640/

 

Silver Age

Silver AgE é um centro de pesquisa de fotografia e artes visuais .

Criado para promover iniciativas artísticas no campo das artes visuais, para propor e organizar atividades culturais destinadas a divulgar , aprimorar e interpretar as artes figurativas na era contemporânea.

Através de workshops e workshops, seminários e conferências, publicações e exposições digitais e em papel, o projeto Silver AgE visa aprofundar e estudar técnicas tradicionais de tiro e impressão, aprofundar a sua história e envolver artistas e criativos que os fizeram eles ainda são um instrumento de pesquisa artística e uso profissional para propor a um público mais amplo.

Fundada em 2016 por Massimiliano Muner e Luigi Tolotti, prata uso idade e fornece um estúdio fotográfico profissional, sala poses, câmara escura, imprensa estúdio, banco óptico, espaços de oficinas e exposições educativas e criativas, além de uma coleção câmera análogos e instantâneos disponíveis para aqueles que querem se aproximar da fotografia tradicional.

A Silver AgE é co-criadora, coordenadora e parceira técnica do festival Fotografia Zero Pixel .

Associação Cultural Silver

AgE CF 90149250327

via del Molino a Vento, 31

34143 – Trieste

http://www.silver-age.net

https://www.facebook.com/silveragenet

info@silver-age.net

 

Stamperia d’arte Albicocco

https://www.stamperiaartealbicocco.it/

https://www.facebook.com/stamperiadarte.albicocco

https://www.instagram.com/stamperia_arte_albicocco/

 

Inglaterra

London Print Workshop

Sobre nós

O londonprintstudio é um estúdio de artistas sem fins lucrativos, espaço de trabalho, editor e galeria com sede no oeste de Londres. Com equipamentos tradicionais de gravura e um estúdio digital, há uma galeria para aluguel, uma ampla variedade de cursos, acesso a técnicos especializados e impressão em grandes formatos. O londonprintstudio trabalha com artistas, organizações comunitárias, galerias, instituições educacionais e o público. A colaboração criativa está no centro da prática do estúdio.

About us

londonprintstudio is an artist-run, not-for-profit artists studio, workspace, publisher and gallery based in West London. With traditional printmaking equipment as well as a digital studio, there is a gallery for hire, a wide range of courses, access to specialist technicians and large format printing. londonprintstudio works with artists, community organisations, galleries, educational institutions and the public. Creative collaboration is at the heart of the studio’s practice.

www.londonprintstudio.org.uk

www.facebook.com/londonprintstudio/

www.instagram.com/londonprintstudio/

https://www.youtube.com/channel/UCf8IIi1tAJffO_Y4tefl2QQ/featured

 

Intaglio Print Maker

The History

Intaglio Printmaker has its roots firmly fixed in Australian heritage.

In 1981 Intaglio Printmaker opened in London as a brave new venture for its Australian owners who had personal interests in the UK.

Karyn White initially came over from Australia on behalf of the owners to set up the first shop in Newington Causeway SE1. Following a challenging year rebuilding a derelict warehouse and launching the shop, it was time to call in Christine Munton (the first Brit in the business!) to do the book-keeping and keep a check on the finances.

In 1988, after a move to the Angel, Islington, Karyn and Christine bought the business from the Australian partners.

Two moves later have returned us back to SE1 in Southwark.

A história

O Intaglio Printmaker tem suas raízes firmemente fixadas na herança australiana.

Em 1981, a Intaglio Printmaker abriu em Londres como um bravo novo empreendimento para seus proprietários australianos que tinham interesses pessoais no Reino Unido.

Karyn White inicialmente veio da Austrália em nome dos proprietários para montar a primeira loja em Newington Causeway SE1. Depois de um ano desafiador para a reconstrução de um depósito abandonado e o lançamento da loja, era hora de chamar Christine Munton (a primeira brit no negócio!) Para fazer a contabilidade e manter um controle sobre as finanças.

Em 1988, após uma mudança para o Angel, Islington, Karyn e Christine compraram o negócio dos parceiros australianos.

Dois movimentos depois nos devolveram de volta a SE1 em Southwark.

http://intaglioprintmaker.com/

Email: info@intaglioprintmaker.com

 

Royal Society of Painter-Printmakers

Established in 1880, the Royal Society of Painter-Printmakers (RE) is Britain’s longest established elected body of professional artists who make prints. The RE’s purpose is to promote and encourage the highest standards of creative and technical excellence in printmaking in all its diverse forms.

The RE holds regular exhibitions of Members’ prints at Bankside Gallery and at other venues.

The RE runs a lively annual programme of lectures and workshops.

Through many publications including Printmakers’ Secrets (A&C Black, 2009), RE Members aim to spread information and thus wider understanding about the fine art of printmaking.

Its 200-strong membership includes artists from all over the world including the USA, Japan, Argentina and Europe.

The Society’s historic Diploma Collection of prints by its entire membership, past and present, is housed at Oxford’s Ashmolean Museum.

Fundada em 1880, a Royal Society of Painter-Printmakers (RE) é a mais antiga instituição eleita da Grã-Bretanha de artistas profissionais que fazem impressões. O objetivo da ER é promover e incentivar os mais altos padrões de excelência criativa e técnica em gravura em todas as suas diversas formas.

O RE realiza exposições regulares de impressões dos membros na Galeria Bankside e em outros locais.

O RE executa um animado programa anual de palestras e workshops.

Através de muitas publicações, incluindo os Segredos das Gravadoras (A & C Black, 2009), os membros da RE pretendem divulgar informações e, assim, ampliar o entendimento sobre a arte da gravura.

Sua associação de 200 membros inclui artistas de todo o mundo, incluindo EUA, Japão, Argentina e Europa.

A histórica Coleção de Gravuras do Diploma da Sociedade por todos os seus membros, passados ​​e presentes, está alojada no Museu Ashmolean de Oxford.

https://www.facebook.com/reoriginalprints/

https://www.re-printmakers.com/

Leave a Reply

Your email address will not be published.