http://www.gravura.art.br/artistas/carlos-dias.html

 

 

 

 

 

http://www.gravura.art.br/artistas/carlos-dias.html

Criado num meio híbrido de música, cinema, televisão e arte, Dias nunca deixou de lidar com todas essas mídias, nem se furtou de descobrir e explorar outras novas ou reciclar antigas.

Sua pesquisa de linguagens não é trivial e abrange um espectro enorme de fontes, que vai da música ao cinema e à fotografia, fontes não convencionais, como o videoclipe, o fanzine ou o karaokê, passando ainda por instalações, sites-specifics e situações conceituais, vindo desembocar nas artes plásticas e pictóricas, sem deixar de flertar com as gráficas.

A multidisciplinaridade, no corpo de trabalho do artista, não deve ser percebida como uma sólida engrenagem que dita a produção, mas sim, como uma construção orgânica que vai se definindo a partir de cada obra. Por exemplo, num vídeo, a música, o lettering que aparece em cena, a fotografia, a instalação onde o vídeo é projetado ou a pintura que interfere na tela de projeção, tudo faz parte de uma construção que não é apenas o suporte para a mensagem, mas a própria mensagem, expressão do processo pelo qual a obra se consubstancia.

http://www.gravura.art.br/artistas/carlos-dias.html

About The Author

Leave a Reply

Your email address will not be published.