Qualquer pessoa pode comprar e colecionar arte de forma inteligente. sem conhecimento prévio do negócio das artes, experiência em colecionismo ou graduação em história da arte. Tudo o que você precisa é apreciar uma arte e desejar tê-la em seu ambiente.

Embora o artigo a seguir contenha recomendações e sugestões relacionadas a determinadas obras de arte, lembre-se de que não existe regra de arte certa ou errada e não existe maneira certa ou errada de comprar ou colecionar arte. Qualquer um pode colecionar o que quiser, ou comprar qualquer arte que quiser, onde e quando quiser, por qualquer motivo que decida comprar e por quanto dinheiro quiser gastar com ela.

Vamos supor que você veja uma obra de arte à venda e goste – uma pintura, uma escultura, uma impressão – não faz diferença. E tenha condições financeiras de adquirir, mas precisa de alguns elementos na tomada de decisão, eu sugiro primeiro você se perguntar:

  1. Quem é o artista?
  2. Qual é a proveniência, história e documentação da arte (ou mais simplesmente, onde a arte esteve e quem é o dono atual)?
  3. O preço pedido é justo em relação ao mercado ou obras do mesmo artista vendidas a pouco tempo?

Vamos dar uma olhada mais aprofundada em cada uma dessas questões.

Quem é o artista?

Para responder a esta primeira pergunta, você provavelmente tenha duas fontes básicas de informação, a falada e a escrita. A parte falada geralmente vem do artista, negociante ou galeria que representa ou vende a arte. As informações verbais também podem vir de amigos, colecionadores e outras pessoas que estão familiarizadas com a arte ou o artista em questão.

As informações impressas vêm em uma variedade de formas, incluindo sites do artista, site da galeria, recursos de banco de dados de artistas online, catálogos de exposições de galerias (online ou impressos), currículos de carreiras de artistas, resenhas de exposições (online ou em publicações impressas) e referências de arte livros, sites e bancos de dados, incluindo dicionários de artistas, índices de arte ou enciclopédias de artistas. Na grande maioria dos casos, muitas dessas informações estão disponíveis com quem está vendendo a arte.

Em todos os casos, você deseja ouvir e ler sobre o artista no qual está interessado. Os tipos de informação que você encontra no decorrer de suas leituras e audições, independentemente do artista que você está aprendendo, incluem fatos como o seguinte:

  • A data de nascimento e morte do artista (se aplicável).
  • Onde o artista mora e trabalha.
  • Galerias, museus ou instituições onde o artista expôs arte em exposições individuais ou coletivas com outros artistas.
  • Prêmios, bolsas e homenagens que o artista recebeu.
  • Colecionadores públicos, privados ou corporativos que possuem a arte do artista.
  • Posições que o artista ocupou (artista residente, professor, conferencista, escritor, etc.)
  • Publicações que mencionam o artista, como sites de arte online, livros, catálogos, revistas de arte e assim por diante.
  • Organizações às quais o artista pertence.
  • Onde, quando e com quem o artista estudou.

Você usa essas informações para tirar conclusões básicas sobre o artista … nada complicado, nada excessivamente erudito ou acadêmico. Você apenas quer ter uma ideia razoável de quem é o artista e quão significativas são suas realizações. Saber como avaliar as informações sobre a carreira de um artista se torna cada vez mais importante quanto mais cara ou significativa a arte que você está pensando em comprar. Basicamente, quanto mais caro, mais respeitado e documentado o artista deve ser.

Quanto às conclusões baseadas nesses fatos, podemos destacar os seguinte itens:

  • Quanto mais extenso for o perfil do artista, online ou não, melhor. Sim, o site do artista é importante, assim como a galeria que representam o artista.
  • Quanto mais livros, catálogos e referências online melhor.
  • Quanto mais publicações online que incluem individualmente o artista mais autoridade ele deve possuir no mercado.
  • Quanto mais menções o artista tiver em um site ou publicação e quanto mais tempo tem essas menções mais influente é o artista.
  • Quanto mais tempo o artista cria e expõe arte, melhor. Um artista de 45 anos com realizações de 25 anos tende a ser mais respeitado e estabelecido no mercado do que um artista de 45 anos que está fazendo arte a 10 anos.
  • Quanto maior o número de exposições, prêmios e outras realizações profissionais que um artista recebeu, melhor.
  • Quanto mais significativas as coleções que possuem a arte de um artista, mais importante ele tende a ser. Quando ele faz parte de acervo de museu isso é um bom sinal. Coleções reconhecidas no mercado também tendem a valorizar bastante um artista.

Qual é a proveniência, história e documentação da arte?

A resposta a essa pergunta é determinada pela reunião de todas as informações sobre a obra de arte específica que você está pensando em comprar.

Uma boa documentação e procedência aumentam o valor de mercado de uma obra de arte e, o mais importante, prova conclusiva que é do artista a assinatura da obra. Boa procedência no mundo da arte é essencial, sem procedência o objeto não tem valor.

Comece pedindo ao artista ou vendedor para lhe dizer tudo o que puder sobre a arte de que você gostou. Descubra onde esteve, o que representa, como surgiu, quem é o proprietário, se foi exibido, ganhou prêmios, foi retratado ou mencionado em livros, catálogos, artigos ou resenhas. Esses são os tipos de perguntas que você deve fazer. As respostas costumam ser esclarecedoras e simplesmente divertidas.

Sempre que a arte for de um artista vivo, peça ao artista para lhe contar a respeito, sua história, como foi produzida e porque ele a fez.

Reúna o máximo possível de documentação física de fontes online ou impressas, como as mencionadas anteriormente neste artigo. Isso inclui impressões, cópias ou fotocópias de publicações online ou não que mencionem a arte, certificados ou declarações de autenticidade e, sempre que possível, declarações assinadas do artista e / ou galeria detalhando o que eles disseram a você.

O preço pedido é justo?

Supondo que a arte ainda esteja sendo considerada neste momento, agora é a hora de falar sobre dinheiro. Avaliar o preço pedido não é tanto uma questão de quanto a arte pode valer em algum ponto no futuro ou se é um bom investimento; ninguém conhece essas respostas. O que você quer saber é se o preço é justo hoje. É uma pergunta que deve ser feita e avaliada porque, como qualquer outro bem ou serviço, a arte às vezes pode ser superfaturada.

Independentemente do que um artista ou proprietário de galeria diga a você quando você perguntar sobre um preço – como, por exemplo, que cada obra de arte é única ou que o preço é exatamente o que vale (o que quer que isso signifique) – esse tipo de lógica não é boa

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam (ou do que alguns artistas ou galeristas querem que você acredite), os preços da arte não são um mistério ou nascem do nada.

Tudo que você precisa fazer é comparar a arte que você está pensando em comprar e os registros de vendas públicas e privadas de obras de arte semelhantes que já foram vendidas.

Obviamente, para fazer isso, você deve primeiro estar ciente de que tais registros existem; muitas pessoas não têm ideia de que podem realmente pesquisar preços de arte localizando registros de vendas anteriores. Não apenas esses registros de preços existem, mas eles existem aos milhões, em muitos casos datam de várias décadas ou mais, estão disponíveis em enormes bancos de dados online (que geralmente cobram pelo acesso).

Comece sua pesquisa de preço com o artista ou vendedor. Peça a eles que lhe falem ou, melhor ainda, que mostrem resultados recentes de vendas de arte de qualquer artista em que você esteja interessado, principalmente resultados de peças semelhantes às que você está pensando em comprar. Certifique-se de que o artista tenha um histórico de vendas de obras de arte semelhantes às de sua preferência por valores comparáveis ​​ao que estão te oferecendo

A outra parte da avaliação de preços é descobrir o que está acontecendo fora da galeria. Onde mais a arte é vendida e por quanto? Essas vendas podem ocorrer em outras galerias, em leilões, online em sites de mercado de arte secundária ou em todas as opções acima e, mais uma vez, você deve procurar consistência nos preços de venda que sejam comparáveis ​​ao que você está sendo solicitado a pagar . Por exemplo, se o preço que está sendo solicitado a pagar for significativamente mais alto do que os preços que você está encontrando em outro lugar na Internet ou no mercado, você precisará descobrir por quê.

Verificar os registros do leilão é bem fácil; qualquer um pode fazer isso. Tudo o que você precisa fazer é pesquisar o nome do artista em bancos de dados de preços de arte online (a maioria dos quais estão disponíveis apenas por assinatura) para ver se alguma de suas obras foi vendida. Alguns bancos de dados são gratuitos, a maioria das grandes casas de leilão agora permite que você pesquise e acesse resultados de vendas anteriores sem nenhum custo, alguns dos sites pagos mostram informações básicas sobre o que é vendido, mas você tem que pagar para ver os preços de venda reais e detalhes de listagem. Cada registro de vendas que você encontra fornece informações como o tipo de arte vendida (pintura, escultura, etc.), seu tamanho, título, quando e onde foi vendida e por quanto foi vendida. De acordo com o preço negociado pela obra de arte vale a pena pagar a taxa desses sites.

Quando um artista tem registros de leilão, isso indica que ele alcançou um certo nível de reconhecimento e respeito dentro da comunidade artística.

Os registros de leilão mais significativos para seus propósitos são aqueles de obras de arte que são semelhantes em tamanho, assunto, data de execução e outros detalhes. Lembre-se de que os preços do leilão representam mais os valores de atacado do que de varejo, então não espere que sejam tão altos quanto o que você está sendo solicitado a pagar em uma galeria ou diretamente do artista.

No entanto, espere que estejam em um valor próximo. E se houver uma variação muito grande o artista ou o dono da galeria devem ter uma boa explicação do porquê a discrepância, vale solicitar uma explicação porque a variação pode ocorrer mesmo.

As vendas no varejo em outras galerias, tanto online quanto em lojas físicas, são tão importantes quanto os registros de leilões e ainda mais quando você tem poucos ou nenhum registro de leilões para pesquisar. Muitas vezes você pode aprender sobre essas vendas conversando com vários negociantes, colecionadores e pessoas conhecedoras da comunidade artística sobre o artista em que está interessado. Novamente, os nomes dessas pessoas e empresas costumam ser fáceis de encontrar online. Normalmente o Linkedin é uma ótima rede de pesquisa.

Se você está pensando em comprar diretamente de um artista que não expõe regularmente, geralmente encontrará poucas ou nenhuma galerias que reconheçam o nome e poucos registros de leilão. Nesses casos, peça ao artista informações sobre pessoas ou instituições que possuem sua arte e, mais uma vez, faça o possível para descobrir se essa arte foi vendida por preços comparáveis ​​aos que o artista está te pedindo.

Nos casos em que você tem pouco ou nenhum leilão ou preços de galeria para pesquisar o negócio é ir buscar artistas ou artes semelhantes. Avaliar preços dessa maneira é outra forma de trabalhar a partir de comparáveis. Quando você compra de um artista, por exemplo, descubra quanto outros artistas que produzem trabalhos semelhantes e vivem na mesma área cobram por sua arte. Se você estiver comprando uma arte mais antiga, como uma paisagem dos anos 1940, compare o preço pedido com os preços de paisagens semelhantes dos anos 1940 feitas por outros artistas que pintaram na mesma região ou área.

Quando você estiver confortável com o preço pedido e pronto para comprar, certifique-se de obter um recibo detalhado descrevendo a arte, suas características físicas e seu estado. Este recibo deve ser adicionado a todas as outras documentações fornecidas pelo vendedor em relação à história, procedência e autenticidade da arte.

E para finalizarmos suponha que por deseja muito essa arte mas não tem o valor exato porém tem um valor próximo. Os preços das obras de arte costumam ser negociáveis ​​e fazer uma oferta certamente é uma opção, mas não barganhe apenas pelo esporte.

Todo esse esforço para comprar uma única obra de arte pode parecer um pouco tedioso enquanto você lê sobre isso aqui, mas na verdade é exatamente o contrário. Você tem que comprar arte a partir de uma pesquisa, não só pela emoção da arte. Você tem que pensar no investimento porque o que não falta são boas artes no mercado e o valor solicitado pela obra tem que estar de acordo com o mercado, até porque você pode querer vender no futuro e se você pagou um bom preço pode ganhar ainda em cima. Mas não é só a questão financeira que conta na compra de uma obra de arte. Ela realmente tem que ter valor visual para seus olhos.

About The Author