Nós mapeamos algumas tendências mundiais que devem acontecer em 2021, um ano que ainda estaremos em plena pandemia. São cinco tendências nas artes visuais.

1 – Grã-Bretanha sai da União Européia
Ainda não está muito claro como o Brexit afetará as transações de arte de agora entre países, mas com certeza o mercado será afetado, até porque Londres é o maior mercado europeu de arte tanto para venda como para compra.

Em 2018, o mercado de arte no Reino Unido cresceu ligeiramente, tornando-se um dos maiores mercados de arte do mundo. De acordo com o Art Market Report, o mercado de arte do Reino Unido era o segundo maior do mundo.

2 – O crescimento de Paris
A feira de arte de Paris, popularmente conhecida como Foire Internationale d’Art Contemporain, acontece duas semanas depois da Frieze de Londres. A feira de Paris tem se tornado cada vez mais popular nos últimos anos graças ao presidente Macron, que deu uma festa para artistas e marchands na cidade no ano passado.

Vários sinais indicam um crescimento do mercado de arte em Paris. Por exemplo, um dos maiores negociantes da indústria da arte, David Zwirner anunciou que estará na cidade. Seu novo espaço será inaugurado durante a feira com uma mostra da Raymond. Uma pintura de Nicolas de Stael também estará disponível para a venda na mesma semana.

3 – Tarifas e o mercado chinês
O primeiro mês do ano de 2020 começamos com guerras comerciais entre as administrações de Donald Trump e Xi Jinping no mercado de arte. Qualquer obra de arte chinesa com mais de cem anos que entre no mercado dos Estados Unidos estará sujeita a um imposto de quinze por cento. Esse custo adicional tem causado estragos no mercado de arte chinês não apenas nos Estados Unidos, mas também em todo o mundo.

Muito antes de as tarifas serem efetivadas, as tensões entre os dois grandes líderes podiam ser sentidas. E agora, o mercado de arte parece estar cobrando seu preço. A Pace Gallery anunciou em julho que fecharia seu posto avançado, que foi inaugurado em Pequim em 2008.

A Pace Gallery foi uma das primeiras galerias do Ocidente estabelecidas na China. O fundador da Pace Galleries relatou que é difícil fazer negócios no momento na China e tem sido assim há algum tempo.

4 – Galerias de médio porte em ascensão
No ano retrasado antes da pandemia algumas das maiores galerias do mundo exibiram os melhores trabalhos de artistas falecidos. Isso deu aos representantes dos artistas falecidos a chance de trabalhar com alguns dos maiores conjuntos de bibliografias, inventários e histórias de exposições. Essa estratégia levou ao surgimento de galerias de médio porte que exibem obras de artistas que podem não ser muito populares.

Por exemplo, Andrew Edlin é um negociante baseado em Nova York que exibe as obras de artistas pouco conhecidos. Há alguns meses, sua galeria informou que representaria a autodidata Pearl Blauvelt, cujas obras foram descobertas em uma casa abandonada após sua morte em 1987.

Com as propriedades se tornando cada vez mais proativas, você pode esperar que o nível de competição no mercado de arte também aumente.

5 – Skates e uísque estão se juntando
Espera-se que Londres tenha uma venda única de peças únicas excepcionais coletadas ao longo de vinte anos por um colecionador anônimo. O valor estimado dessas peças é em torno de cinco milhões de dólares. A coleção consiste na coleção mais valiosa de garrafas de uísque.

No início do ano, a Sotheby ofereceu um conjunto completo de skates Supreme que são edições limitadas. Eles apresentaram as obras de Marilyn Minter e Damien Hirst, para citar alguns. O lote único tinha um valor estimado de oitocentos mil dólares.

Em maio deste ano, a Sotheby voltou a ser notícia ao realizar vendas online de mais de 1300 peças da marca streetwear. Em junho, Christie estabeleceu o recorde mundial do leilão ao vender a guitarra do Pink Floyd, arrecadando um total de 21,5 milhões de dólares.

Como artista ou colecionador, é importante observar as tendências que estão acontecendo no mercado de arte mundial hoje. Essas tendências afetarão e podem revolucionar toda a indústria da arte no futuro.

About The Author